Menu
2019-09-09T18:49:38-03:00
Pente-fino nos investimentos

Debêntures representam quase metade da captação por empresas no ano até agosto

Números divulgados pela associação mostraram que de janeiro a agosto, as empresas levantaram R$ 117,4 bilhões com esses instrumentos

9 de setembro de 2019
18:49
bols
Imagem: Shutterstock

As debêntures já representam quase metade do volume de emissões no mercado de capitais brasileiro neste ano, de acordo com a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

Números divulgados pela associação mostraram que de janeiro a agosto, as empresas levantaram R$ 117,4 bilhões com esses instrumentos, o que equivale a 48,9% do montante total captado, de R$ 240,1 bilhões, no mercado financeiro.

As debêntures emitidas de janeiro a agosto cresceram 7,3% em relação ao emitido no mesmo período do ano passado. Já o total captado pelas empresas no mercado doméstico no acumulado do ano aumentaram 38,7% em relação ao volume captado de R$ 173 bilhões no mesmo período do ano passado. O número de operações caiu 8,5% em relação aos oito primeiros meses de 2018, de 637 para 583 operações.

Os investidores institucionais ficaram com a maior fatia das emissões de debêntures - 62,9%, seguidos dos intermediários e demais participantes ligados à oferta, com 32,8%, e das pessoas físicas, com 4,3%. De acordo com a Anbima, entre as debêntures de infraestrutura, o volume de ofertas também ficou dividido entre os investidores institucionais, com 48,3%, pessoas físicas, com 30,5%, e intermediários, com 21,2%.

As operações de follow-ons de ações também foram destaque, totalizando R$ 49,5 bilhões de janeiro a agosto. No entanto, o montante é inferior aos R$ 111 bilhões levantados no mesmo período do ano passado. Já os fundos imobiliários captaram R$ 16,3 bilhões, com alta de 56% na mesma base de comparação.

No mercado externo, o total captado por empresas brasileiras entre janeiro e agosto foi de US$ 16,2 bilhões (R$ 62,5 bilhões), com alta de 21,5% sobre o volume de igual período de 2018. Desse montante, quase a totalidade (US$ 15 bilhões) foi no mercado de dívida, com emissão de bonds.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

projeções da corretora

XP Investimentos amplia cobertura e recomenda compra para dois FIIs de lajes corporativas

Cotas dos fundos PVBI11 e RECT11 têm potencial de alta de no mínimo 12% e oferecem rendimento de dividendo de até 8,4%

pandemia no país

Covid-19: Brasil acumula 4,4 milhões de casos e 134,9 mil mortes

O Brasil chegou a 4.455.386 casos de covid-19 desde o início da pandemia. Em 24 horas desde o boletim de ontem (16), foram registrados 36.303 novos diagnósticos positivos

seu dinheiro na sua noite

A inflação da Helena

Na semana passada, minha filha veio me perguntar sobre o aumento do preço do arroz. Ou melhor, bem ao estilo dela, nem me deu tempo de responder e trouxe na ponta da língua as razões para a disparada, incluindo a alta do dólar. A conversa me pegou de surpresa. A Helena completa 10 anos nesta […]

Bluechips salvam o dia

Ibovespa descola-se de ressaca global pós-overdose de bancos centrais e fecha em leve alta; dólar cai

Apesar da melhora pontual na bolsa brasileira, os investidores mantiveram um pé atrás pela ausência de sinalização de novas medidas de estímulo pelo Fed

larry kudlow

Casa Branca pede estímulos do Congresso para pequenos negócios nos EUA

“Um estímulo do Congresso aos pequenos negócios seria ainda melhor” para a recuperação econômica, afirmou o conselheiro econômico da Casa Branca, Larry Kudlow

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements