Menu
2019-07-08T11:20:58-03:00
entrevista Paulo Colaferro

‘A partir de agora, é preciso correr mais risco para ter maior retorno’

Mudança de patamar na taxa básica de juros provoca migração de ativos, diz Paulo Colaferro, vice-presidente da Planejar

8 de julho de 2019
11:20
bols
Imagem: Shutterstock

Analistas do mercado financeiro preveem que a Selic, taxa básica de juros do País, vai terminar 2019 abaixo dos 6% ao ano - há três anos, estava em 14,25%. Uma mudança desse tipo, não importa em qual país, provoca uma migração de ativos, diz Paulo Colaferro, vice-presidente da Associação Brasileira de Planejadores Financeiros (Planejar).

A partir de agora, para ver o patrimônio crescer sem correr risco, só gastando menos do que ganha, afirma. "Daqui para a frente, se exige mais inteligência e mais especialização para ter retornos interessantes." Leia os principais trechos da entrevista.

O que muda no planejamento do investimento com juros básicos menores?

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Quanto menor a taxa de juros, mais se vai exigir técnicas para montar uma alocação. É preciso sofisticar, no sentido de cada vez mais ir para a economia real: ter mais renda variável, ir a fundos com autonomia maior, como os multimercados, olhar para private equity (investimento em empresas fechadas), crédito privado. Isso acontece em qualquer economia. No Japão, se você colocar um juro real bom e sem volatilidade, com o risco do Tesouro japonês, todo mundo tira o dinheiro da Bolsa e vai investir nele. Nos EUA, se você pegar os períodos em que a taxa de juros era de 7%, a maioria dos portfólios estava pouco diversificada. Daqui para a frente se exige mais inteligência, mais qualificação, mais especialização para ter retornos interessantes. O mais importante para o investidor é segurar a ansiedade e entender qual a classe de ativos em que ele vai investir, como funciona, qual a volatilidade histórica. É importante que se perceba que risco e retorno são proporcionais: se posso ganhar muito, também posso perder muito. A grande dificuldade, uma vez que se monta uma estratégia, é se manter nela nos momentos de volatilidade.

É possível fazer o planejamento por conta própria?

Se não contar com um gestor profissional, é melhor ficar o mais conservador possível. A pessoa pode ser muito conservadora e ter sucesso financeiro e patrimonial. Se gastar muito menos do que ganha, pode ter sucesso. E isso depende de três pilares: quanto consumo da renda gerada - se sou consumidor de renda ou gerador de poupança; quanto pago de imposto; e quanto o investimento rende. Se quer fazer uma coisa simples, não quer pensar nem contratar ninguém, tudo bem, não consuma seu rendimento nunca e tenha muito tempo para formar poupança. A maioria das pessoas passa a maior parte do tempo olhando quanto o dinheiro rende, algum tempo quanto paga de imposto e nenhum tempo para quanto está guardando ou consumindo do patrimônio.

Quais são os obstáculos na migração para ativos mais voláteis?

O caminho mais seguro seria buscar uma formação para entender economia e os canais de investimento. Hoje há inúmeros cursos online gratuitos, mas o problema é que as pessoas têm muita ansiedade, vão pegar um tutorial do tipo 'Fique rico em 24h'. Querer colher os resultados muito depressa não se sustenta no longo prazo.

Ainda é preciso se proteger de uma possível volta da inflação?

É sempre importante, a conta do ganho real tem sempre de ser feita. Parece que devemos ter um longo período de inflação baixa. Mas quanto menor a inflação, menor é a taxa de juros, por isso, é importante acompanhar qual o juro real das aplicações.

É possível fazer um bom planejamento sem renda variável?

É pouco provável que você tenha retornos satisfatórios sem renda variável no portfólio. As pessoas me perguntam há 30 anos onde podem colocar o dinheiro sem precisar se preocupar. Sempre respondo: 'Não sei, se você descobrir me fala que quero colocar meu dinheiro lá também'. Isso não existe, no Brasil, nos EUA, na Suíça, seja onde for.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

NOVAS NORMAS

Nova norma sobre lavagem de dinheiro influencia entrada do Brasil na OCDE, diz BC

A Circular nº 3.978 busca modernizar os procedimentos de Prevenção à Lavagem de Dinheiro e ao Financiamento ao Terrorismo (PLDFT) no Brasil

DE OLHO NO PIB

Nova grade de parâmetros pode trazer previsão de PIB maior que 2,4%, diz Waldery

Por outro lado, Waldery admitiu a possibilidade de retirada da projeção de receitas com a descotização de hidrelétricas da Eletrobras, que depende da privatização da companhia

VEM GRINGO

Bolsonaro autoriza entrada do Brasil em acordo que abre licitação a estrangeiros

O ministro da Economia, Paulo Guedes, já havia dito na terça-feira, 21, durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos, que o Brasil entraria no acordo

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Nada como um minuto após o outro

Quem disse que o futebol é uma caixinha de surpresas não conhece a bolsa de valores. Quando deixei a redação do Seu Dinheiro no começo da tarde para fazer uma entrevista, o dia estava azedo nos mercados. Na mínima, o Ibovespa chegou a ficar abaixo dos 117 mil pontos. Não faltavam razões para o mau humor. Pela […]

Eye of the tiger

Ibovespa Balboa: índice leva uma surra no começo do dia, mas vira a luta e crava uma nova máxima

Os temores quanto à disseminação do coronavírus colocaram o Ibovespa nas cordas durante a manhã. Mas, ajudado pelo bom desempenho das ações dos bancos, o índice partiu para cima e fechou em alta, chegando pela primeira vez aos 119 mil pontos

CURSO DO SEU DINHEIRO

Qual é a REAL sobre a aposentadoria aos 40 anos?

O Seu Dinheiro lançou nesta semana um projeto para acelerar a sua aposentadoria. Recebi diversos e-mails de leitores com dúvidas sobre o projeto. Aqui está tudo que você precisa saber.

NOVO IMPOSTO NO RADAR

Paulo Guedes está de olho em criar “imposto do pecado” sobre bebidas, cigarros e açúcar

Tal medida poderia impactar no futuro ações de empresas de bebidas como Ambev, além de sucroenergéticas, como São Martinho, Biosev e Cosan

POLÍTICOS NA MIRA

BC aperta cerco contra políticos e familiares envolvidos em transações suspeitas

Atualmente, políticos como deputados federais, senadores e ministros já são considerados politicamente expostos, assim como seus parentes de primeiro grau

NADA DE VÍRUS POR AQUI

Ministério da Saúde afasta suspeita de casos de coronavírus no Brasil

Segundo o secretário, o Brasil está preparado para lidar com uma eventual epidemia da doença

Olho na Linx

Credit Suisse mantém recomendação de compra para Linx, mas reduz preço-alvo para ações

Em relatório divulgado hoje (23), os analistas Daniel Federle, Felipe Cheng e Juan Pablo Alba disseram que o corte tem a ver com as estimativas mais baixas para o volume de compras (TPV) dentro do Linx Pay e com a taxa que é cobrada pelo uso do sistema de pagamentos, que é conhecida como MDR

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements