Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-12-02T16:04:00-03:00
Estadão Conteúdo
Dados da CNI

Faturamento real da indústria cresce 1,3% em outubro ante setembro

Resultado aponta para o quinto mês consecutivo de crescimento do indicador, que registra uma alta de 3,5% em relação a outubro do ano passado

2 de dezembro de 2019
16:04
indústria
Imagem: Shutterstock

Os Indicadores Industriais de outubro mostram crescimento de 1,3% do faturamento real na comparação com os números de setembro. Os dados foram divulgados nesta segunda-feira, 2, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Esse foi o quinto mês consecutivo de crescimento do indicador, que registra uma alta de 3,5% em relação a outubro do ano passado.

A pesquisa também aponta ligeira alta da utilização da capacidade instalada (UCI), que atingiu 78% em outubro, na série livre de influências sazonais. Em setembro, esse indicador estava em 77,9%. Na comparação com o mesmo mês de 2018, a UCI de outubro deste ano ficou 0,5 ponto porcentual maior.

O economista da CNI Marcelo Azevedo avalia que a série de alta do faturamento é uma "excelente notícia", pois abre caminho para uma recuperação mais forte da atividade e até mesmo do emprego nos próximos meses. "A expansão do faturamento é resultado do aumento da demanda, que vem proporcionando o ajuste dos estoques da indústria. A expectativa é que esse aumento da demanda se mantenha e passe a exercer influência cada vez maior na atividade industrial", diz o economista.

Com relação às horas trabalhadas na produção, a pesquisa aponta pequena queda de 0,1% em outubro frente a setembro, na série dessazonalizada. Já na comparação com o mesmo mês do ano passado, há uma alta de 0,1%.

A CNI destaca que a melhora dos indicadores de produção ainda não repercute no mercado de trabalho. O emprego no setor ficou estável em outubro e a massa real de salários caiu 0,7%, com queda no rendimento médio real de 0,3% em outubro frente a setembro, nas séries livres de influências sazonais. Na comparação com outubro de 2018, o emprego registra queda de 0,3%, a massa real de salários tem queda de 1,9% e o rendimento médio do trabalhador ficou 1,6% menor.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Oportunidade

Raízen (RAIZ4) está barata e pode subir 75% após o IPO; entenda os motivos

Gigante do ramo de biocombustíveis estreia na bolsa no dia 5 de agosto e pode se multiplicar exponencialmente diante de três frentes de negócio que a empresa está expandindo

Coluna do jojo

Mercados hoje: resultado da Petrobras e pós-Copom — qual será o digestivo necessário?

Dando sequência à temporada de resultados, teremos mais nomes no Brasil e lá fora. O destaque, porém, fica para a Petrobras, que brilhou ontem (4) na divulgação de seus resultados, surpreendendo com lucro 68% maior que a mediana das estimativas

Escalada dos juros

Credit Suisse já fala em Selic a 8,25% no fim de 2021

Os economistas Solange Srour e Lucas Vilela esperam que o BC promova mais três altas consecutivas de 1 ponto percentual nos juros nas próximas reuniões

Aprovação do vice

Reforma Tributária: vice-presidente defende cobrança de impostos sobre dividendos

Para Hamilton Mourão a tributação sobre lucros e dividendos tornaria o sistema tributário brasileiro mais justo

Esquenta dos Mercados

Pré-mercado: ajuste pós-Copom e balanço da Petrobras devem movimentar a bolsa hoje

E mais: a temporada de balanços não dá trégua, com os ruídos de Brasília destoando do coro do Ibovespa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies