Menu
2019-08-27T17:18:15-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Dados da Abimaq

Faturamento da indústria de máquinas sobe 2,4% e julho ante junho

No acumulado dos primeiros sete meses do ano, o resultado do setor registrou um crescimento de 2,4%

27 de agosto de 2019
14:35 - atualizado às 17:18
industria-brasil
Imagem: Shutterstock

O faturamento da indústria de máquinas e equipamentos subiu 2,4% em julho em relação a junho, segundo divulgou nesta terça-feira, 27, a Abimaq, entidade que representa as empresas do setor.

Na comparação com julho do ano passado, o faturamento recuou 5,2% e, no acumulado dos primeiros sete meses do ano, registrou um crescimento de 2,4%.

Segundo a Abimaq, o consumo aparente da indústria de máquinas e equipamentos, que considera o consumo interno de parte da produção do setor mais as importações, subiu 1,7% em julho ante junho.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Na comparação de julho ante o mesmo mês do ano passado, houve queda de 0,9%. No acumulado dos primeiros sete meses de 2019, a Abimaq registrou crescimento de 9,6% no consumo aparente.

Exportações

As exportações de máquinas, equipamentos e componentes cresceram 24,1% em julho ante junho, de acordo com a Abimaq. Na comparação com julho do ano passado, houve crescimento da mesma magnitude (24,1%). No acumulado do ano até julho, houve queda de 3,2%.

Em valores, as exportações em julho somaram US$ 846,24 milhões. No ano até o mês passado, as exportações somaram US$ 5,278 bilhões.

As importações subiram 11,1% em julho ante junho. Na comparação de julho com julho de 2018, houve um crescimento de 19,9% e, no acumulado do ano, avanço de 10,8%. Em valores, as importações somaram em julho US$ 1,674 bilhão. E no ano, US$ 9,455 bilhões.

O saldo entre exportações e importações em julho foi deficitário em US$ 828,69 milhões e no ano, de US$ 4,176 bilhões.

Emprego

O nível de emprego na indústria de máquinas e equipamentos teve leve alta de 0,6% em julho ante junho, de acordo com a Abimaq. Com isso, o quadro de empregados diretos no setor no mês passado era de 308.967 trabalhadores.

Na comparação com julho do ano passado, o número de empregados no setor cresceu 3,5%. No acumulado do ano até julho, houve um crescimento de 4,1% no nível de emprego do setor.

No ano, o setor de máquinas e equipamentos registrou uma média de 306.667 empregados diretos.

Uso da capacidade em queda

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (Nuci) da indústria de máquinas e equipamentos recuou 2,1 ponto porcentual em julho ante o mês anterior. Passou de 76% em junho para 73,9% no mês passado, segundo a Abimaq.

De acordo com a associação, o Nuci de julho deste ano também recuou em relação à marca de igual mês do ano passado, quando registrava 76,2%.

"Houve um desmonte grande da capacidade instalada nos anos recentes", afirmou em coletiva de imprensa nesta terça-feira, 27, a economista Maria Cristina Zanella, gerente de Economia e Estatística da Abimaq, associação que congrega as empresas do setor. Ela estima que, de 2013 para cá, o parque industrial foi reduzido em torno de 30%.

Nesse contexto de aumento de ociosidade, as perspectivas para o setor em 2019 estão menos positivas do que no início do ano. A previsão era de um crescimento de 5% e, segundo a economista, deve ficar entre 3% e 4% por conta de fatores internos, como a fraca retomada econômica no Brasil, e também externos.

Entre os detratores do crescimento, a crise econômica na Argentina é um dos principais. O país vizinho, que chegou a representar 15% das exportações das empresas brasileiras, hoje não chega a 6%.

Em 2017, os argentinos compraram cerca de US$ 1,4 bilhão em máquinas e equipamentos de fabricantes brasileiros. Em 2019, devem encerrar o ano importando menos da metade desse valor (US$ 600 milhões), segundo estimativas da associação. "A perspectiva não é boa por causa da crise econômica do país", diz a economista da Abimaq.

Em julho deste ano, pela primeira vez na série histórica, os Estados Unidos apareceram como principal destino internacional de máquinas e equipamentos nacionais, respondendo por cerca um terço das vendas ao exterior. No acumulado de janeiro a julho deste ano, a queda das exportações para o Mercosul foi de 39,8%. Para os Estados Unidos, houve aumento de 27,9%. Também houve recuo nas exportações do setor para a Europa no ano até julho (queda de 21,4%).

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

marque na agenda

Santander e Cielo abrem temporada de resultados do 4º trimestre de 2019; veja o que esperar

Empresas passam por movimento de adaptações, com taxas de juros a mínimas históricas, mudanças promovidas pelo governo que afetam o mercado e o avanço das fintechs

Seu Dinheiro Premium

Os segredos da bolsa: Ações para acompanhar de perto numa semana agitada no exterior

O exterior volta a dar as cartas ao mercado nesta semana. E, em meio à turbulência, saiba quais ações podem ser destaque nos próximos dias

DE OLHO NA BOEING

FAA diz a áreas americanas que 737 MAX talvez possa retornar antes do meio do ano

De acordo com fontes ouvidas pela Reuters, Dickson teria dito ainda que a previsão da Boeing e que espera que o retorno das aeronaves ocorra apenas no meio do ano é “muito conservadora”

RELAÇÕES INTERNACIONAIS

Bolsonaro diz que pode transferir embaixada em Israel para Jerusalém em 2021

O presidente disse que tem conversado com líderes árabes sobre o assunto e que, até o momento, não houve nenhuma oposição à proposta

AGRICULTURA

Na Índia, Tereza Cristina diz que agricultura brasileira não é vilã

A ministra admite que existe de fato uma preocupação grande com mudanças climáticas ao redor do mundo e que “ninguém tem pretensão de negar isso”, mas ressalta que os agricultores são os principais interessados no clima e em ter chuvas com regularidade

INDÚSTRIA

Indústria com mais tecnologia tem o menor peso na exportação em 24 anos

De acordo com o economista do Iedi, Rafael Cagnin, a queda nas exportações desses produtos, que somaram US$ 40,2 bilhões no ano passado, coloca a engrenagem do crescimento do País para girar no sentido oposto

O IMPACTO DO VÍRUS

Como o coronavírus pode impactar a economia chinesa

“Agora, crescem as preocupações de que as proibições de viagens em vigor começarão a ter um grande impacto na economia, com alguns falando em queda de um ponto percentual ou mais para o PIB chinês no primeiro trimestre de 2020”, escreveu Edward Moya, analista de mercado sênior da Oanda

REFORMAS

Reformas tributária e administrativa podem ir juntas ao Congresso

Em sua fala, o presidente reafirmou a necessidade de reduzir os impostos e destacou que Estados e municípios têm autonomia e independência para alterar alguns impostos. “Não culpe só a mim”

MAIS CASOS CONFIRMADOS

Novo coronavírus já infectou mais de 2 mil pessoas ao redor do mundo

Também há casos confirmados da doença nos Estados Unidos, Tailândia, Japão, Coreia do Sul, Vietnã, Cingapura, Malásia, Nepal, França e Austrália

MAIS DESINVESTIMENTOS?

Oi contrata Bank of America para acelerar venda de telefonia móvel, diz jornal

De acordo com o jornal O Globo, a companhia espera obter R$ 15 bilhões com o negócio

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements