🔴 CHANCE DE MULTIPLICAR O SEU CAPITAL POR 7,5X COM 1 CLIQUE – CONHEÇA A FERRAMENTA

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
Piora esperada

Dragão pesado: Ipea revisa para cima projeção para inflação – Veja o que a instituição espera do IPCA

Instituto aponta combinação de aumento dos preços internacionais das commodities com o momento do clima, com período de secas e geadas

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
24 de agosto de 2021
12:08 - atualizado às 12:12
ibovespa futuro dólar inflação hoje
Os dados do IPCA apontaram um aumento nos preços do próximo mês, e a inflação tem seus vilões segundo o IBGE - Imagem: Shutterstock

O mercado financeiro já tem elevado suas projeções para o índice oficial de inflação no Brasil, o IPCA, nos últimos meses. E o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) seguiu a mesma tendência, revisando em 1,2 ponto para cima a sua expectativa para o indicador.

O Grupo de Conjuntura do Ipea elevou sua projeção para o IPCA de 2021 para 7,1%, conforme a Nota de Conjuntura 17, publicada nesta terça-feira, 24, no site do órgão. Anteriormente, a projeção estava em 5,9%, em relatório que havia sido divulgado em junho.

A continuidade na elevação das cotações internacionais das commodities e o clima, com estiagem e geadas, desencadearam novos aumentos de preços de energia e alimentos, ao passo que a normalização gradual das atividades, em meio ao avanço da vacinação contra covid-19, dá margem para reajustes nos serviços.

Segundo o relatório do Grupo de Conjuntura do Ipea, parte da pressão inflacionária já era esperada, principalmente nos preços monitorados, por causa de represamento de reajustes em 2020, devido à pandemia.

Só que, mais recentemente, as "sucessivas altas das cotações das commodities no mercado internacional" e os "eventos climáticos adversos" surpreenderam negativamente e "desencadearam novos aumentos de preços de alimentos e de energia".

Gasolina e conta de luz

Diante da expectativa de reajustes mais acentuados para a gasolina e a energia elétrica, a projeção do Ipea para os preços monitorados em 2021 passou de 9,5%, nas estimativas de junho, para 11,0% agora. No caso dos alimentos, os movimentos recentes, tanto no atacado quanto no varejo, sinalizam que a desaceleração esperada para o segundo semestre "deve ser um pouco menor que a projetada anteriormente".

Agora, o Ipea projeta alta de 6,9% na alimentação no domicílio em 2021, ante 5,0%, nas estimativas de junho - o cenário de desaceleração está mantido, já que, no acumulado em 12 meses até julho, a alimentação no domicílio saltou 16,0%.

Os vilões que levarão a uma desaceleração mais moderada da alimentação no domicílio são as "proteínas animais" e os "derivados de trigo e milho", "refletindo não apenas a alta dos preços internacionais, mas também os efeitos climáticos e o aumento dos custos de produção", diz o relatório do Ipea.

Bens industriais e serviços

O problema é que as surpresas recentes associadas às cotações de commodities agrícolas e ao clima adverso ocorrem num momento em que a inflação de serviços começa a acelerar e os preços de bens industriais seguem pressionados.

Com a retomada das atividades de serviços, em meio à flexibilização de restrições ao contato social, à medida que a vacinação contra covid-19 avança, o Ipea elevou a projeção da inflação desses itens em 2021 para 5,0%, ante os 4,0% estimados anteriormente.

No caso dos bens industriais, o Ipea elevou a projeção para 6,6%, ante 4,8% anteriormente. "A pressão vinda pela aceleração das matérias-primas no mercado internacional, combinada com o aumento da utilização da capacidade instalada na indústria e os estoques abaixo do nível desejado, deve manter os preços dos bens industriais pressionados", diz o relatório do Ipea.

Diante disso, um "cenário de maior pressão inflacionária" é corroborado "tanto pelo índice de difusão quanto pelos indicadores de núcleo da inflação". "Em relação ao indicador de difusão, nota-se que, a partir do segundo semestre de 2020, a proporção dos itens que compõem o IPCA com variação positiva vem aumentando de forma continuada, sinalizando que a alta de preços vem se espalhando entre os diversos segmentos da economia.

De modo semelhante, as medidas de núcleo de inflação também registram uma trajetória de aceleração, de forma que, na média, a variação acumulada em doze meses desses indicadores aponta taxa de 5,32%", diz o relatório do Ipea.

Para os pesquisadores do Grupo de Conjuntura do órgão, "esse movimento de alta inflacionária maior, mais difusa e mais persistente em 2021 já começa a contaminar as estimativas para 2022". O Ipea projeta IPCA de 4,1% no próximo ano, já acima da meta de 3,5%.

Apesar disso, o relatório considera que "as expectativas estão ancoradas em uma acomodação nos preços internacionais das commodities e na baixa probabilidade de um fenômeno La Niña intenso". Adicionalmente, a "sinalização de continuidade da trajetória de alta de juros deve agir no sentido de atenuar as variações de preços". Os riscos à inflação em 2022 "seguem associados aos preços das commodities e à taxa de câmbio".

*Com informações do Estadão Conteúdo

Compartilhe

MAKE IT RAIN

Xi Jinping preocupado? China inicia novas medidas para tentar salvar a economia e a colheita; entenda

22 de agosto de 2022 - 9:10

O país asiático não só tenta apagar as chamas do dragão da desaceleração econômica, como também salvar a colheita do verão mais quente e seco de Pequim em 61 anos

AGRO EM ALTA

Governo oferecerá mais de R$ 340 bilhões para produtores rurais no novo Plano Safra; valores entram em vigor em julho

29 de junho de 2022 - 19:56

O programa do governo federal prevê o direcionamento de recursos públicos para financiar e apoiar a agropecuária nacional

O AGRO É POP

BB DTVM lança o AGRI11, primeiro ETF que segue o novo índice do agronegócio na B3

24 de maio de 2022 - 15:56

Na estreia, os papéis AGRI11 operam em alta; o ETF é o segundo fundo voltado ao agronegócio que a gestora do Banco do Brasil lança neste ano

MERCADO DE TRABALHO

Quatro setores da economia definem as profissões do futuro; confira quais são elas

27 de abril de 2022 - 11:50

As profissões do futuro estão nas áreas de tecnologia, indústria da transformação, agricultura e saúde. Ao todo, são quase 50 ocupações

DE OLHO NO AGRO

Tereza Cristina destaca importância da Rússia e Belarus em potássio e ureia e anuncia lançamento do Plano Nacional de Fertilizantes; entenda

2 de março de 2022 - 18:20

“Desde que nós soubemos, no ano passado, que a Bielorrússia (Belarus) sofreria sanções dos EUA e da União Europeia, começamos um périplo por alguns países”, disse a ministra

FOCO NO AGRO

Em meio a tensões entre Ucrânia e Rússia, Bolsonaro e Putin destacam parceria na área de fertilizantes

16 de fevereiro de 2022 - 15:45

Bolsonaro ainda citou o lado conservador do colega russo. “Compartilhamos de valores comuns, como crença em Deus e defesa da família”

DÉCIMO ANDAR

Fiagro: fique por dentro da nova forma de ganhar dinheiro investindo no agronegócio

30 de janeiro de 2022 - 7:50

Fundo é uma junção dos recursos de vários investidores para a aplicação em ativos de investimentos do agronegócio, sejam eles de natureza imobiliária rural ou de atividades relacionadas à produção do setor

NO PARABRISA DA ECONOMIA

Agenda de indicadores: Fique por dentro dos números que mexem com o mercado na próxima semana

7 de janeiro de 2022 - 16:57

O grande destaque entre os indicadores da economia previstos para a próxima semana é a inflação medida pelo IPCA. Confira a agenda completa

dinheiro no caixa

BrasilAgro vende área no Mato Grosso por R$ 589 milhões, mais do que o levantado no IPO

7 de outubro de 2021 - 19:58

Na abertura de capital, em fevereiro deste ano, empresa levantou R$ 500,1 milhões; com operação, a companhia diz aproveitar “bom ciclo das commodities”

Colhendo altas

Boa Safra (SOJA3) encontra solo fértil na B3, e Itaú BBA recomenda compra da ação, que já subiu 40% desde IPO

28 de setembro de 2021 - 16:28

As perspectivas para a empresa, que já é líder no mercado nacional de sementes, e os múltiplos da ação agradaram os analistas do banco de investimentos

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar