Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-06-04T12:54:45-03:00
Estadão Conteúdo
Avanço do pmi

Índice de Gerente de Compras avança após quatro meses de redução

IHS Markit aponta que PMI Composto avança a 49,2 em maio. Atividade do setor de serviços caiu a um ritmo muito mais lento e a produção industrial voltou a crescer

4 de junho de 2021
12:54
Cédulas de real
Cédulas de real - Imagem: Shutterstock

O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) Composto do Brasil subiu de 44,5 em abril para 49,2 em maio, divulgou nesta sexta-feira a IHS Markit.

O PMI do setor de Serviços, que integra o Composto, foi a 48,3 em maio, após 42,9 em abril. O número é resultado de uma contração mais lenta em um período de cinco meses de redução.

As restrições da pandemia e o fechamento de empresas ainda são relatados como os principais obstáculos.

O índice de novos pedidos do setor privado encerrou uma sequência de quatro meses de redução e aumentou em maio. Os novos negócios, por sua vez, se estabilizaram na economia de serviços e cresceram no setor industrial.

O índice de emprego consolidado ficou amplamente estável na metade do segundo trimestre, com o crescimento dos fabricantes de produtos compensando a contração entre os prestadores de serviços.

"As empresas de serviços estão confiantes de que, com o retrocesso da pandemia, a atividade de negócios aumentará intensamente. Participantes da pesquisa mencionaram planos para elevar os investimentos, publicidade e novas ofertas. Como era de se esperar, a probabilidade é que isso se materialize assim que a disponibilidade da vacina melhorar e as condições começarem a voltar a algum tipo de normalidade", afirma em nota a diretora associada de Economia da IHS Markit, Pollyanna de Lima.

A taxa de inflação dos preços de insumos no setor privado diminuiu ainda mais em relação ao recorde registrado em março, mas foi uma das mais fortes desde o início da série histórica (2007). Aumentos mais lentos aconteceram nas categorias de serviços e industriais.

Nos preços agregados de vendas, porém, houve aumento mais rápido, e a taxa de inflação foi a mais forte da série histórica.

"As despesas operacionais continuaram aumentando nitidamente na economia de serviços, com as empresas repassando parte dos custos adicionais para seus clientes, apesar das limitações dos novos negócios. A intensificação da inflação dos preços de venda é preocupante e pode deter a demanda já frágil", alerta Lima.

Fabricantes de produtos e prestadores de serviços projetam um crescimento da produção ao longo dos próximos 12 meses. O nível agregado de sentimento positivo avançou ao maior patamar em três meses. As empresas do setor industrial estavam mais otimistas do que as de serviços.

De acordo com a IHS Markit, entre as empresas de serviços, o índice de novos pedidos ficou praticamente estável em maio, após quatro meses consecutivos de queda.

A demanda mostrou sinais provisórios de melhora, como resultado do encerramento de algumas restrições a viagens internacionais e de publicidade bem-sucedida.

Houve aumento nos novos negócios de exportação na metade do segundo trimestre, e a taxa de expansão foi a segunda mais rápida da série histórica iniciada em setembro de 2014, atrás apenas de fevereiro de 2015.

Os prestadores de serviços seguiram com excedente de capacidade em maio, com volumes de negócios pendentes caindo pelo sétimo mês consecutivo. Pedidos em atraso tiveram queda no ritmo mais rápido desde fevereiro. O índice de emprego registrou a sexta queda consecutiva, mas foi a mais fraca do ano.

A taxa de inflação dos preços de insumos diminuiu para o menor patamar em três meses em maio, mas permaneceu acentuada e acima da média de longo prazo. Os membros da pesquisa relataram preços mais altos para energia, alimentos, combustível, produtos de higiene e equipamentos de proteção individual (EPI).

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

PEC DOS COMBUSTÍVEIS

Tesouro pode perder até R$ 240 bilhões com PEC dos Combustíveis e inflação pode ir para 1% — mas gasolina ficará só R$ 0,20 mais barata; confira análise

Se todos os estados aderirem à desoneração, a perda seria de cifras bilionárias aos cofres públicos, de acordo com a XP Investimentos

Seu Dinheiro no Sábado

E a bolsa ainda pulsa: os grandões do Ibovespa brilham e puxam o índice — mas e as demais empresas?

Além do ciclo aquecido das commodities e da entrada de recursos estrangeiros, também vale lembrar o desconto nos ativos domésticos

BITCOIN (BTC) HOJE

Bitcoin (BTC) aprofunda queda da semana e é negociado aos US$ 35 mil hoje pela primeira vez em seis meses; criptomoeda já caiu 17% em sete dias

Especialista dá dicas de como sobreviver ao momento de “sangria” do mercado de criptomoedas — e o que não fazer no desespero

Dê o play!

A bolsa ainda pulsa, mas será um último suspiro? O podcast Touros e Ursos discute o cenário para o Ibovespa

No programa desta semana, a equipe do Seu Dinheiro discute o cenário para o Ibovespa e os motivos que fazem a bolsa brasileira subir

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

O respiro da bolsa brasileira, o tropeço do bitcoin e o vazamento de dados do PIX: confira as principais notícias do dia

Para quem não aguentava mais ver a bolsa brasileira apanhando enquanto Wall Street renovava recordes, este início de ano está sendo o momento da revanche. Ou melhor, de o Ibovespa “correr atrás do prejuízo”. Nesta terceira semana de janeiro, o principal índice da B3 mais uma vez contrariou o exterior e enfileirou altas, enquanto as […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies