Menu
2019-06-14T13:23:26-03:00
Economia em marcha lenta

Dificuldades da economia frustraram planos de investimento de indústrias, diz CNI

Pesquisa aponta que, entre as empresas que investiram, 51% não conseguiram realizar projetos como planejado. Dessas, 38% realizaram os investimentos parcialmente, 9% adiaram para 2019 e 4% cancelaram

14 de junho de 2019
13:23
Produção industrial
Imagem: José Patricio/Estadão Conteúdo

As dificuldades de recuperação da economia frustraram os planos de investimentos das grandes indústrias no ano passado. De acordo com pesquisa sobre os Investimentos na Indústria 2018-2019, divulgada nesta sexta-feira, 14, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), 75% das empresas fizeram algum tipo de investimento no ano passado, abaixo dos 81% que planejavam investir no ano.

A pesquisa aponta que, entre as empresas que investiram, 51% não conseguiram realizar projetos como planejado. Dessas, 38% realizaram os investimentos parcialmente, 9% adiaram para 2019 e 4% cancelaram ou adiaram para depois de 2019.

"A frustração dos planos de investimento em 2018 deve-se à decepção com a retomada da economia. Em particular, o crescimento da demanda ficou abaixo do que se esperava, especialmente por causa do elevado desemprego. Além disso, as incertezas internas e externas que contaminaram boa parte do ano passado também trouxeram riscos ao investimento", afirma o gerente-executivo de Política Econômica da CNI, Flávio Castelo Branco, por meio de nota.

O economista acrescenta ainda que a maior parte dos investimentos é financiada com capital próprio das empresas. Diante da situação financeira mais debilitada que em anos anteriores, o investimento ficou prejudicado. Para Castelo Branco, a recuperação do investimento é fundamental para a retomada do crescimento sustentado.

A pesquisa mostra ainda que, entre as empresas que investiram no ano passado, 56% destinaram recursos para a continuação de projetos anteriores e 44% aplicaram em novos projetos. O objetivo principal dos investimentos em 2018 foi a inovação (53% das empresas). Outras 28% investiram no aumento da capacidade de produção, o que foi o maior porcentual registrado desde 2012.

Expectativas

Para este ano, as expectativas são positivas, segundo a CNI. Quatro em cada cinco empresas de grande porte planejam investir. Os principais objetivos do investimento previsto para este ano são a melhoria do processo produtivo (36%) e o aumento da capacidade da linha atual (22%). Os empresários dizem, segundo a pesquisa, que a expectativa de crescimento do consumo e os avanços tecnológicos estimularam a intenção de investimentos para este ano.

A pesquisa aponta ainda que o excesso de regulação e de burocracia e a falta de recursos financeiros interferiram nas decisões de investimentos para este ano. Mais da metade, 51% das indústrias afirmam que os recursos financeiros desestimularam os planos. Outras 49% apontaram a regulação e a burocracia como fatores que atrapalharam a disposição para investir.

A pesquisa foi feita entre 24 de janeiro e 15 de abril, com 334 indústrias de grande porte.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Novidade tecnológica

Banco Central lança o PIX, meio de pagamento que será mais prático que TED, DOC E boleto

Instituições financeiras e de pagamento com mais de 500 mil contas serão obrigadas a oferecer a opção

Nova alta

Petrobras anuncia aumento de 3% no preço médio da gasolina

Com o reajuste, o litro da gasolina subiu em média R$ 0,0512

Martelo batido

Cade aprova negócio da Brink’s, mas proíbe empresa de fazer aquisições por 3 anos

Conselho proibiu que a empresa adquira novas companhias de transporte de valores por três anos em todo o País

Fica como está

Cade rejeita recurso do MPF e mantém aprovação da compra da Embraer pela Boeing

Relator do processo entendeu que a lei não permite que o MPF recorra em casos de atos de concentração já aprovados

Puxando para baixo

FMI prevê economia global com recuperação frágil e dominada por riscos baixistas

Informação faz parte de um relatório produzido pela entidade para a reunião dos líderes das economias do G-20, marcada para esta semana

Aos números

Lucro da Caixa aumenta 20,6% em 2019 e chega a R$ 14,7 bilhões

Ano do banco foi marcado por uma agenda de vendas de ativos e devolução de recursos

mudança no calendário

CCJ adia votação da PEC de fundos para março após relator retirar mudança no teto

Votação da medida na comissão foi adiada para 4 de março; relator havia proposto que, por um ano, as despesas a serem desvinculadas de fundos obrigatórios não se sujeitariam à regra do teto

Balanço

Gerdau tem lucro de R$ 102 milhões no 4º trimestre

A Gerdau reportou lucro líquido de R$ 102 milhões no quarto trimestre de 2019, queda de 73% sobre igual trimestre de 2018. No ano de 2019, o lucro líquido foi de R$ 1,216 bilhão. O valor representa queda de 47,69% na comparação com o resultado de R$ 2,326 bilhões de igual período do ano anterior. […]

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta quarta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

Balanço

Telefônica tem lucro recorrente contábil de R$ 1,396 bilhões no 4º trimestre

Dona da marca Vivo, a Telefônica Brasil reportou lucro líquido recorrente contábil de R$ 1,396 bilhão no quarto trimestre de 2019, queda de 9,9% na comparação com o mesmo período de 2018

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements