Menu
2019-07-30T14:39:38-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Freio acionado?

Atividade industrial de SP cai 0,8% em junho na comparação com o mês anterior

Dados da Fiesp também mostram que, na série sem ajuste sazonal, houve recuo de 7,3% e de 5,6% no confronto com junho de 2018

30 de julho de 2019
14:39
Produção industrial
Imagem: José Patricio/Estadão Conteúdo

A atividade paulista teve queda de 0,8% em junho na comparação com maio, mostra o Indicador de Nível de Atividade (INA), divulgado nesta terça-feira, 31, pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), com ajuste sazonal.

Na série sem ajuste sazonal, houve recuo de 7,3% e de 5,6% no confronto com junho de 2018. Entretanto, no acumulado de 2019, tem alta de 1,1%.

Conforme a Fiesp, a principal influência para o recuo de 0,8% no mês decorre do declínio de 2,7% nas vendas reais e de retração de 0,1% das horas trabalhadas pela produção.

Já os salários médios reais e o Nível de Utilização da Capacidade Instalada subiram 0,6% e 0,4%, respectivamente.

O segundo vice-presidente da Fiesp, José Ricardo Roriz, afirma que apesar da queda do INA em junho, há percepção da redução do nível de incerteza com a aprovação de reformas e estímulos econômicos, que tendem a colaborar para um desempenho melhor da indústria paulista no segundo semestre.

Além da aprovação da reforma da previdenciária recentemente na Câmara em primeiro turno, há uma série de reformas que estão em andamento, como a tributária, a da liberdade econômica, além das ações de estímulos econômicos - como a liberação do saldo das contas ativas e inativas do FGTS.

"Essas medidas são essenciais para que a indústria paulista tenha um segundo semestre melhor. Sem essas ações, na melhor das hipóteses, iremos repetir o resultado do ano passado", disse.

Sensor

O indicador Sensor Fiesp sinaliza para a continuidade do quadro de fraqueza da indústria paulista em julho.

A pesquisa Sensor deste mês seguiu pelo terceiro mês consecutivo abaixo dos 50 pontos ao marcar 47,5 pontos, queda de 1,5 pontos, na leitura com ajuste sazonal.

Diante da provável aprovação da reforma da Previdência e da redução do nível de incerteza, o setor industrial deverá ganhar tração ao longo do segundo semestre, estima em nota a entidade.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

atenção, acionista

Carrefour paga R$ 175 milhões em juros sobre capital próprio e altera valor de dividendos

Cifra equivale a R$ 0,088148225 por ação em circulação; também anunciou uma modificação do valor por ação dos dividendos aprovados em abril, de R$ 0,382372952 para R$ 0,382361396

maior apetite por risco

Empresas do Brasil captam US$ 4,6 bilhões; montante deve aumentar com ofertas de Stone e Light

Emissores brasileiros haviam paralisado planos de captar no exterior nos últimos meses, em meio à turbulência interna com a pandemia e o aumento do juro norte-americano

em meio ao aumento de consumo de frango

SuperFrango, de Goiás, retomará IPO de R$ 1 bilhão

Após resolver adiar a operação, a empresa fará uma apresentação mais cuidadosa de seu negócio aos analistas; oferta é estimada entre R$ 1 bilhão e R$ 1,5 bilhão

levantamento

Estatais descumprem critérios do marco do saneamento

GO Associados calculou que as companhias públicas do Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Alagoas, Maranhão, Amazonas, Pará, Piauí, Roraima, Rondônia e Amapá não atendem a todos os critérios da “etapa 1” do decreto – que prevê o cumprimento de índices mínimos dos indicadores econômicos-financeiros

questionamentos em brasília

Novo marco de saneamento é alvo de ofensiva no Supremo e no Congresso

No Supremo, mais de 20 empresas estatais que prestam hoje serviços no setor querem a volta da possibilidade de fechar os chamados “contratos de programa”, diretamente com as Prefeituras e sem licitação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies