Menu
2019-03-09T14:41:09-03:00
Nicolas Gunkel
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP) com Nanodegree em Marketing Digital pela Udacity. Foi editor de Redes Sociais e repórter do site Exame, além de repórter no jornal Metro São Paulo.
MAS JÁ?

Reformas e segurança poderão fazer Bolsonaro tentar segundo mandato, diz Mourão

O vice-presidente da República afirmou que, se Bolsonaro quiser, ele está disposto a concorrer a um novo mandato como vice na chapa

9 de março de 2019
14:41
Hamilton Mourão
Imagem: Marcos Corrêa/Presidência da República

Aprovar reformas e dar uma sensação maior de segurança à população poderão fazer o presidente Jair Bolsonaro tentar um segundo mandato, disse o vice-presidente Hamilton Mourão em entrevista à RedeTV exibida na noite de sexta-feira, 8.

O vice destacou, no entanto, que Bolsonaro não pretende concorrer à reeleição neste momento.

"Se a gente, nos próximos dois anos, conseguir zerar o déficit fiscal, passar as reformas que forem necessárias, dar uma sensação de segurança maior às pessoas nas ruas, nós teremos cumprido grande parte da nossa tarefa e isso poderá acender no presidente a visão de que, para cumprir o trabalho, ele precisa de outro mandato", declarou Mourão.

Ele afirmou que, se Bolsonaro quiser, ele está disposto a concorrer a um novo mandato como vice na chapa.

Após uma semana de polêmicas com o presidente nas redes sociais, o vice tentou afastar o discurso que defende o impeachment de Bolsonaro. "Não quero crer nisso aí, até porque o presidente Bolsonaro jamais fará por merecer sofrer o impeachment".

Militares

Ao falar da mudança no sistema de aposentadoria dos militares, o vice declarou que o assunto já está "pacificado" nas Forças Armadas.

Ele pontuou que o projeto a ser enviado ao Congresso até o próximo dia 20 vai estabelecer o aumento no tempo de serviço de 30 para 35 anos, o estabelecimento de contribuição para pensionistas e o aumento na alíquota de contribuição ao longo dos próximos dois ou três anos para se igualar aos civis.

"O grupo militar, coerente com seu espírito de sacrifício, vai fazer parte dele para cooperar com o equilíbrio das contas no País", disse Mourão.

Emendas

Questionado sobre a negociação com o Congresso para aprovação da reforma da Previdência e de outras propostas, Mourão alertou para o uso das emendas parlamentares como moeda de troca entre o governo e deputados e senadores.

Para ele, o Planalto não pode usar o instrumento "pura e simplesmente como mero atendimento do curral eleitoral" e deve se diferenciar de governos anteriores ao conduzir o assunto.

Ontem, o Broadcast Político revelou que o governo prometeu a deputados e senadores que fechará um cronograma de liberação das emendas ainda no primeiro semestre deste ano, durante a tramitação da reforma da Previdência, e garantiu que os recursos não serão contingenciados.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

FECHAMENTO DA SEMANA

Ufa! Ibovespa avança quase 5% em semana de alta volatilidade, mas dólar vai a R$ 5,68

A PEC emergencial e a disparada dos títulos públicos norte-americanos monopolizaram o noticiário, pressionando o câmbio e a bolsa

Regime especial

STF forma maioria para manter sigilo das informações do programa de repatriação

A análise tem origem em uma ação proposta pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB) em 2017.

Algo não agradou

Guedes vê perda estrutural em PEC do auxílio

O sentimento na equipe de Guedes foi de perda da possibilidade de acionamento dos gatilhos em caso de calamidade por mais dois anos seguintes

DIÁRIO DE BORDO

À procura de um porto seguro para seu dinheiro em tempos turbulentos no Brasil? Veja onde investir

Se “mar calmo nunca fez bom marinheiro”, o que aprendi nesses meus 25 anos de mercado financeiro é que em momentos de ruídos e turbulências precisamos ser ainda mais persistentes e consistentes em nossos investimentos.

Suspeita de crime

CVM confirma processo para investigar suposto ‘insider trading’ na Petrobras

A suspeita de que alguém pode ter lucrado R$ 18 milhões com o vazamento de informações sobre o que ocorreria na estatal vieram à tona no início da semana e mexeram com os ânimos do mercado.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies