Menu
2019-10-14T14:30:15-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Tesourada suave

Líder do Fed afirma que cortar juros em 50 pontos-base em julho seria “exagero”

James Bullard foi o único a votar por reduzir os juros em 25 pontos-base no encontro do Comitê Federal de Mercado Aberto na semana passada

25 de junho de 2019
15:08 - atualizado às 14:30
Federal Reserve
Imagem: Shutterstock

O presidente da distrital de St. Louis do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), James Bullard, afirmou nesta terça-feira que seria um "exagero" a instituição promover um corte de 50 pontos-base da sua taxa básica de juros na reunião marcada para 30 e 31 de julho, ainda que tenha sido o único a votar por reduzi-la em 25 pontos-base no encontro do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) na semana passada.

Esse voto foi atribuído por ele à surpresa causada pela inflação abaixo da meta mesmo diante do atual ritmo de crescimento da economia e, por outro lado, porque o ritmo da atividade estava forte "olhando para trás", mas transparece uma desaceleração quando se olha adiante.

O corte de um quarto de ponto porcentual seria uma "apólice de seguros", explicou Bullard. "É melhor levar a inflação de volta à meta enquanto podemos."

Questionado em entrevista à Bloomberg TV sobre o timing do seu voto, com participantes de mercado à espera do encontro entre os presidentes dos EUA, Donald Trump, e da China, Xi Jinping, no âmbito do G20, Bullard argumentou que a necessidade de "recentralizar" a inflação não é "tão dependente assim" do que acontecer nessa reunião bilateral em Osaka, no Japão.

Já sobre a mais recente série de críticas de Trump ao Fed, de quem o republicano demanda redução dos juros básicos, Bullard respondeu que não liga para como o seu voto por cortar a taxa dos Fed Funds ressoa no universo político.

Para o presidente do Fed de St. Louis, se essa taxa estivesse mais baixa, traria a curva de juros dos Treasuries - hoje invertida na porção entre a T-bill de 3 meses e a T-note de 10 anos - "de volta ao normal".

Em relação ao desafio de fazer a inflação acelerar rumo à meta de 2% diante de um dólar fortalecido, Bullard reconheceu que "muito" dessa tarefa vai depender de "quão longe" o Banco Central Europeu (BCE) e o seu presidente, Mario Draghi, irão na sua postura "dovish", ou seja, propensa a ainda mais afrouxamento.

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

pandemia em pauta

Guedes: Por ‘infelicidade’, Bolsonaro não deixou claro problema da saúde

Guedes defendeu a imunização contra a covid-19 para evitar nova queda economia, diante da “tragédia que voltou a nos atingir” ao falar sobre o agravamento da pandemia.

O melhor do seu dinheiro

Stuhlberger blindado no dólar

Com alta de quase 10% em 2021, o dólar tem sido, até agora, um dos melhores investimentos do ano. Pode até parecer estranho, tendo em vista a quantidade de estímulos fiscais e monetários nos Estados Unidos. Mas parte dessa valorização não vem exatamente do fortalecimento da moeda americana, mas do enfraquecimento do real. É no […]

FECHAMENTO DA SEMANA

Ufa! Ibovespa avança quase 5% em semana de alta volatilidade, mas dólar vai a R$ 5,68

A PEC emergencial e a disparada dos títulos públicos norte-americanos monopolizaram o noticiário, pressionando o câmbio e a bolsa

Regime especial

STF forma maioria para manter sigilo das informações do programa de repatriação

A análise tem origem em uma ação proposta pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB) em 2017.

Algo não agradou

Guedes vê perda estrutural em PEC do auxílio

O sentimento na equipe de Guedes foi de perda da possibilidade de acionamento dos gatilhos em caso de calamidade por mais dois anos seguintes

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies