Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-08-08T12:56:56-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Jogo perigoso

Trump faz mais um aceno rumo à guerra cambial

Presidente americano, Donald Trump, volta a atacar o Fed afirmando que juro alto fortalece o dólar, prejudicando as empresas americanas

8 de agosto de 2019
12:56
O presidente dos EUA Donald Trump
O presidente americano Donald Trump - Imagem: Shutterstock

Dia sim e outro também, o presidente americano Donald Trump despeja impropérios sobre a política do Federal Reserve (Fed), banco central americano. Trump não se conforma com a decisão e aceno do Fed de que o momento não pede uma redução agressiva da taxa de juros, atualmente fixada entre 2% e 2,25% ao ano.

Trump tem feito um jogo perigoso e potencialmente destrutivo envolvendo o Fed e os chineses e cada nova declaração parece embutir a disposição do presidente americano de partir da guerra comercial para uma guerra cambial.

Sendo coloquial, Trump está pressionando o Fed a atuar e deixa a entender que se não for atendido, vai ligar para o Tesouro americano e pedir por intervenção cambial para baixar o valor do dólar.

A grande questão é que não se sabe como isso poderá ser feito. Vai vender dólar contra qual moeda? Outros governos vão atuar em conjunto? Qual seria a resposta dos chineses, europeus e japoneses?

Acenos

Essa percepção decorre de alguns eventos recentes. Primeiro da decisão do Tesouro americano de classificar a China como “manipulador de moeda”, pela primeira vez desde 1994. O efeito prático imediato não é grande, mas há um aceno político forte. Como um alerta, que veio justamente no dia que o BC da China deixou o yuan passar da linha dos 7 dólares, causando forte instabilidade nos mercados globais na segunda-feira.

Ontem, Trump criticou o Fed novamente e falou “que vamos ganhar de qualquer forma”, mas seria mais fácil se o Fed entendesse que os EUA “estão competindo” com outros países e que todos querem se dar bem às custas dos americanos.

Nesta quinta-feira, ele foi mais explícito ainda ao falar que o juro praticado pelo Fed, em comparação com outros países, “está mantendo o dólar alto”, tornando mais difícil a competição das empresas americanas.

“Temos as maiores e melhores empresas do mundo, ninguém chega nem perto, mas infelizmente o mesmo não pode ser dito do nosso Fed. Eles têm errado todos os passos e nós ainda estamos ganhado. Você consegue imaginar o que aconteceria se eles realmente acertassem o passo?”, escreveu.

Olhando o comportamento das bolsas hoje, parece não ter risco nesse jogo de Trump. Mas guerras cambiais são marcadas por rápida escala, com países cortando juros ou intervindo em taxas de forma repetitiva. Cenário pouco salutar em um ambiente no qual se consolidam expectativas de menor crescimento mundial.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

ENTROU NO JOGO

Previsão de US$ 1 trilhão da Greyscale ficou pequena: Goldman Sachs acredita que metaverso é oportunidade de US$ 8 trilhões

De acordo com cálculos do analista da instituição financeira, as previsões mais otimistas dão conta de um valor potencial de até US$ 12 trilhões

De volta ao lar

Embraer (EMBR3) reintegra o setor de aviação comercial após o fiasco com a Boeing. E agora, como ficam as ações?

Para a Embraer (EMBR3), a parceria com a Boeing em aviação comercial é passado; mas será que o mercado precifica corretamente suas ações?

Disposta a competir com as gigantes, Infracommerce (IFCM3) pode ver salto de mais de 70% nas suas ações, diz BofA; papéis sobem mais de 4%

Banco iniciou a cobertura dos papéis da fornecedora de infraestrutura de e-commerce para outras empresas com recomendação de compra e preço-alvo de R$ 25 por ação

AMPLIANDO A BASE

Em busca do pequeno investidor, BR Partners (BRBI11) fecha preço de oferta de ações; papéis sobem

Banco havia realizado IPO em junho do ano passado em operação que permitia a compra dos papéis nos primeiros 18 meses apenas por investidores que tivessem mais de R$ 1 milhão em aplicações, os chamados investidores qualificados

BITCOIN (BTC) HOJE

Bitcoin (BTC) avança para os US$ 38 mil antes da decisão de política monetária do Fed, mas semana ainda é difícil para mercado de criptomoedas

Investidores aguardam maiores informações sobre a retirada de estímulos e alta nos juros por parte do Banco Central americano

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies