Menu
2019-08-08T12:56:56-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Jogo perigoso

Trump faz mais um aceno rumo à guerra cambial

Presidente americano, Donald Trump, volta a atacar o Fed afirmando que juro alto fortalece o dólar, prejudicando as empresas americanas

8 de agosto de 2019
12:56
O presidente dos EUA Donald Trump
O presidente americano Donald Trump - Imagem: Shutterstock

Dia sim e outro também, o presidente americano Donald Trump despeja impropérios sobre a política do Federal Reserve (Fed), banco central americano. Trump não se conforma com a decisão e aceno do Fed de que o momento não pede uma redução agressiva da taxa de juros, atualmente fixada entre 2% e 2,25% ao ano.

Trump tem feito um jogo perigoso e potencialmente destrutivo envolvendo o Fed e os chineses e cada nova declaração parece embutir a disposição do presidente americano de partir da guerra comercial para uma guerra cambial.

Sendo coloquial, Trump está pressionando o Fed a atuar e deixa a entender que se não for atendido, vai ligar para o Tesouro americano e pedir por intervenção cambial para baixar o valor do dólar.

A grande questão é que não se sabe como isso poderá ser feito. Vai vender dólar contra qual moeda? Outros governos vão atuar em conjunto? Qual seria a resposta dos chineses, europeus e japoneses?

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Acenos

Essa percepção decorre de alguns eventos recentes. Primeiro da decisão do Tesouro americano de classificar a China como “manipulador de moeda”, pela primeira vez desde 1994. O efeito prático imediato não é grande, mas há um aceno político forte. Como um alerta, que veio justamente no dia que o BC da China deixou o yuan passar da linha dos 7 dólares, causando forte instabilidade nos mercados globais na segunda-feira.

Ontem, Trump criticou o Fed novamente e falou “que vamos ganhar de qualquer forma”, mas seria mais fácil se o Fed entendesse que os EUA “estão competindo” com outros países e que todos querem se dar bem às custas dos americanos.

Nesta quinta-feira, ele foi mais explícito ainda ao falar que o juro praticado pelo Fed, em comparação com outros países, “está mantendo o dólar alto”, tornando mais difícil a competição das empresas americanas.

“Temos as maiores e melhores empresas do mundo, ninguém chega nem perto, mas infelizmente o mesmo não pode ser dito do nosso Fed. Eles têm errado todos os passos e nós ainda estamos ganhado. Você consegue imaginar o que aconteceria se eles realmente acertassem o passo?”, escreveu.

Olhando o comportamento das bolsas hoje, parece não ter risco nesse jogo de Trump. Mas guerras cambiais são marcadas por rápida escala, com países cortando juros ou intervindo em taxas de forma repetitiva. Cenário pouco salutar em um ambiente no qual se consolidam expectativas de menor crescimento mundial.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

sem privilégios

Petrobras pode perder direito de preferência no próximo leilão do pré-sal

Segundo jornal, avaliação é de que esse direito distorce a concorrência e afasta competidores

O que esperar dos mercados?

BCs, Davos e feriados pautam os negócios na semana

Enquanto líderes mundiais viajam para o Fórum Econômico de Davos, os investidores aguardam novidades dos BCs e da atividade doméstica. Feriados diminuem a liquidez dos negócios

dinheiro no caixa

Ânima Educação anuncia oferta de ações que pode movimentar R$ 1 bilhão

Empresa quer recursos para novas aquisições estratégicas e investimentos nas atuais linhas de negócio da companhia

na mesma

China mantém taxas de juros de referência inalteradas pelo 2º mês seguido

Taxa de empréstimos de um ano, que em agosto passou a ser uma taxa principal, permanece em 4,15%

empresário tinha 96 anos

Morre fundador do grupo Queiroz Galvão

Fundador ao lado de seus irmãos Dario, João e Mário em 1953, Antônio ajudou a transformar a pequena construtora de Pernambuco em uma das maiores empreiteiras do País

Seu Dinheiro Premium

Os segredos da bolsa: ações de dois setores têm uma semana intensa pela frente

A agenda econômica doméstica continua no centro das atenções do mercado, mas diversos eventos no exterior podem trazer volatilidade à bolsa

De olho nos desbancarizados

Fintech do Santander, Superdigital quer ser a conta dos MEI e das classes C e D

Banco digital de bancão, a Super dá lucro, cobra tarifa e não se volta para os millenials descolados. Foco são os desbancarizados e, sobretudo, as folhas de pagamento dos grandes empregadores.

Rompimento da barragem

Um ano após Brumadinho, alta cúpula da Vale tenta se defender de acusações

Foi dentro de um jato particular da Vale, durante a viagem de volta ao Brasil, depois de participar do Fórum Econômico de Davos, na Suíça, que Fabio Schvartsman, então presidente da mineradora, recebeu a notícia do rompimento da barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG). Um ano após a tragédia de 25 de janeiro, […]

Fórum Econômico Mundial

Guedes, Doria e Huck sobem a montanha mágica de Davos — mas com intenções distintas

O ministro da Economia, Paulo Guedes; o governador de São Paulo, João Doria; e o apresentador de TV Luciano Huck brigam pelo protagonismo na edição deste ano do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça

Seu mentor de investimentos

Estamos diante de um novo ciclo de alta das commodities?

No passado, dois bull markets de commodities deram enorme força à economia do Brasil. E, para o Ivan Sant’Anna, um novo ciclo de alta desses produtos está se desenhando no horizonte — o que abre enormes possibilidades de investimento

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements