🔴 NOVA META: RENDA EXTRA DE ATÉ R$ 2 MIL POR DIA – SAIBA COMO

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
No Seu Dinheiro você encontra as melhores dicas, notícias e análises de investimentos para a pessoa física. Nossos jornalistas mergulham nos fatos e dizem o que acham que você deve (e não deve) fazer para multiplicar seu patrimônio. E claro, sem nada daquele economês que ninguém mais aguenta.
LONDON LONDON

A libra é o ‘novo euro’? Banco alerta para crise da moeda britânica no governo de Liz Truss

Hoje, o euro ficou mais barato que o dólar norte-americano novamente, sendo negociado na faixa de US$ 0,98

Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
5 de setembro de 2022
16:57 - atualizado às 12:47
Imagem: Shutterstock

Quem pensa em viajar para o Reino Unido, atenção: o Deutsche Bank passou a prever uma “crise da libra” com o novo governo de Liz Truss, com potencial para golpear a forte moeda da rainha. 

Truss venceu nesta segunda-feira (05) a corrida para suceder Boris Johnson como líder do Partido Conservador — que já está no poder —, tornando-se a primeira-ministra britânica. 

Em uma reação imediata, a libra subiu em relação ao dólar, sendo negociada pouco abaixo de US$ 1,15. Mas o estrategista de câmbio do Deutsche Bank, Shreyas Gopal, alertou que os riscos de uma "crise da libra" não devem ser subestimados.

Segundo o banco alemão, os anúncios de políticas de governo nas próximas semanas serão cruciais para que o Reino Unido evite eventos macroeconômicos extremos, particularmente uma crise no balanço de pagamentos. Confira os planos de Truss para tirar o Reino Unido da crise.

Depois do euro, a inflação pode ser vilã da libra 

Em agosto, o euro ficou mais barato que o dólar pela primeira vez em mais de duas décadas, chegando a ser negociado na faixa de US$ 0,99. Hoje, essa mínima foi renovada a US$ 0,98.

Uma série de fatores pesaram contra o euro para que isso acontecesse. Além da guerra entre Rússia e Ucrânia, há também a inflação que avança pela Europa e alimenta os temores de recessão econômica. 

E, como se não bastasse, o Velho Continente está no meio de uma crise energética.

Como coincidência pouca é bobagem, esse é exatamente o cenário no qual o Reino Unido está mergulhado nesse momento. Além de ter que lidar com o conflito no leste europeu, os britânicos também travam uma batalha contra a disparada de preços, especialmente da energia. 

“Com o déficit em conta corrente já em níveis recordes, a libra exige grandes entradas de capital apoiadas na melhora da confiança dos investidores e na queda das expectativas de inflação. No entanto, o oposto está acontecendo”, disse o Deutsche Bank, em relatório. 

O banco alemão lembra que o Reino Unido enfrenta uma perspectiva de crescimento enfraquecida e sofre com a taxa de inflação mais alta do Grupo dos 10 (G-10) — que apesar do nome é formado por 13 países: Alemanha, Bélgica, Canadá, EUA, França, Itália, Japão, Holanda, Reino Unido, Suécia, Suíça, Espanha e Austrália.

Quem é o culpado de tudo isso?

Truss colocou o Banco da Inglaterra (BoE) e seu presidente, Andrew Bailey, na mira de sua campanha ao governo, culpando o banco central britânico por permitir que a inflação disparasse rumo às máximas em 40 anos. Ela está considerando uma revisão do mandato do BoE.

“Uma expansão fiscal grande, não financiada e não direcionada, acompanhada de possíveis mudanças no mandato do Banco da Inglaterra, poderia levar a um aumento ainda maior nas expectativas de inflação e — no extremo — ao surgimento do domínio fiscal”, diz o Deutsche Bank. 

Dá pra saber o quanto a libra vai cair?

O Deutsche Bank estima que a libra ponderada — uma medida do valor da libra em relação às moedas selecionadas mais importantes para o comércio internacional — teria que cair mais 15% para retornar o déficit do Reino Unido à sua média de dez anos.

Uma crise de financiamento do balanço de pagamentos pode parecer extrema agora, mas não é sem precedentes: uma combinação de gastos fiscais agressivos, choque energético e uma queda na libra resultou no Reino Unido sendo forçado a recorrer a um empréstimo do Fundo Monetário Internacional (FMI) em meados da década de 1970.

“Hoje, o Reino Unido mantém algumas linhas-chave de defesa, mas nos preocupamos que os riscos estejam aumentando”, diz o Deutsche Bank. 

*Com informações da CNBC

Compartilhe

DESTAQUES DA BOLSA

Falta de apetite chinês derruba as ações de Vale (VALE3), Gerdau (GGBR4) e CSN (CSNA3); mineradoras e siderúrgicas lideram quedas do Ibovespa hoje

23 de julho de 2024 - 14:18

A performance dos papéis reflete a queda da matéria-prima do aço no mercado internacional pelo segundo dia consecutivo

Novo indicador no mercado

Novo índice da B3 combina ações e BDRs mais negociados; confira os detalhes

22 de julho de 2024 - 18:17

Bolsa prepara para agosto o lançamento do novo indicador, que reunirá as ações do Ibovespa com recibos de ações de empresas internacionais

RECOMENDAÇÕES DE VENDA

HCTR11, DEVA11 e IRDM11: por que você deveria evitar esses três fundos imobiliários, na visão do Itaú BBA

22 de julho de 2024 - 14:50

O banco de investimentos analisou as perspectivas para diversos nomes do segmento de acordo com o contexto do mercado, a qualidade do portfólio, histórico e experiência da gestão

RECOMENDAÇÕES DA CLASSE

Dividendos altos e portfólios robustos: KNSC11, KNIP11 e outros seis fundos imobiliários de ‘papel’ para comprar agora, segundo o Itaú BBA

22 de julho de 2024 - 13:49

Os fundos que investem em títulos de crédito do setor imobiliário são tema de um relatório publicado pelo banco de investimentos hoje

EMISSÃO DE COTAS

HGRU11 quer captar até R$ 1,5 bilhão na bolsa e oferece um ‘desconto’ nas cotas, mas nem todo mundo poderá participar da oferta; entenda

22 de julho de 2024 - 12:35

A oferta é destinada exclusivamente a investidores profissionais, mas há uma exceção

ANOTE NO CALENDÁRIO

Agenda econômica: semana das big techs divide espaço com inflação e PIB dos EUA e congelamento de despesas; fique por dentro

22 de julho de 2024 - 7:01

Ganha destaque a próxima divulgação do Boletim Focus, com expectativas em relação a mudanças após o anúncio de R$ 15 bi em contingenciamento de despesas do governo

ENTREVISTA EXCLUSIVA

Bradesco Asset revela cinco apostas em ações para lucrar na bolsa brasileira — e um setor para manter distância

22 de julho de 2024 - 6:04

Ao Seu Dinheiro, Rodrigo Santoro Geraldes conta que a gestora também possui quatro apostas na carteira de ações fora do Ibovespa

FRIGORÍFICOS

Problemas para a BRF (BRFS3) e a JBS (JBSS3)? Brasil suspende exportações de carne de aves para 44 países — e a China é um deles

20 de julho de 2024 - 12:19

O Ministério da Agricultura decidiu voluntariamente paralisar as exportações de carnes de aves e seus produtos, com restrições que variam de acordo com os mercados

DÁ O PLAY!

Agora vai? Por que a bolsa brasileira despertou em julho e o que esperar das ações agora

20 de julho de 2024 - 11:00

Ibovespa já acumula alta de 3% em julho, depois de quase perder os 120 mil pontos no último mês; mas as ações finalmente vão decolar, ou será mais um voo de galinha?

BOLSA NA SEMANA

Por que as ações do Pão de Açúcar (PCAR3) desabaram 13% e lideraram as perdas do Ibovespa na semana — enquanto Usiminas (USIM5) subiu 5%?

20 de julho de 2024 - 9:22

As ações do Pão de Açúcar atraíram os holofotes dos investidores na semana após uma sangria na bolsa brasileira. Veja o que está por trás da queda dos papéis

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar