Menu
2019-08-27T15:37:35-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Câmbio

BC faz venda surpresa de dólar no mercado à vista

Atuação veio pouco depois de o presidente Roberto Campos Neto falar que o real não vinha apresentando comportamento atípico

27 de agosto de 2019
15:08 - atualizado às 15:37
pá-de-dolares
Imagem: Shutterstock

Pouco menos de uma hora depois de o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, afirmar que o real não tem tido comportamento atípico em relação a outras moedas, o BC fez uma atuação surpresa no mercado à vista de dólar, vendendo moeda a R$ 4,125.

Até então, o BC vinha fazendo apenas atuações programadas, trocando o vencimento de swaps cambiais por dólar à vista, em operações comunicadas previamente e com volume máximo em US$ 550 milhões.

O leilão surpresa (aviso em dois para os mais antigos) foi feito às 13h20, chamando para propostas até 13h25. O lote mínimo é de US$ 1 milhão. O resultado saiu pouco depois, com a taxa de corte em R$ 4,125. O volume da operação não é divulgado e sempre foi assim (o difícil foi lembrar, já que desde fevereiro de 2009 o BC não atuava dessa forma). Devemos saber dos números dentro de uma semana, com dados do fluxo cambial.

A atuação aconteceu em meio a uma piora generalizada nos mercados globais que levaram o dólar a rapidamente escalar até R$ 4,1943, alta de 1,3%. Com o leilão, a moeda chegou a operar em baixa, mas depois voltou a subir, e valia R$ 4,1442 por volta das 15 horas, alta de 0,12% (Veja nossa cobertura de mercados).

Campos Neto também voltou a afirmar que embora o regime seja de câmbio flutuante, o BC vai atuar sempre que encontrar problemas de liquidez no mercado.

Recado reforçado por meio dessa atuação sem aviso prévio. Agora, o comprado (que ganha com a alta do dólar) sai um pouco da sua zona de conforto, pois o BC pode voltar a atuar a qualquer momento.

Como já dissemos, as atuações do BC não buscam mudar a tendência do mercado ou defender uma linha de preço, mas sim para suavizar eventuais movimentos de estresse do mercado. Tal estratégia é conhecida como “leaning against the wind” ou “inclinar-se contra o vento” em tradução literal.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

segredos da bolsa

Com “Super Quarta” à frente, semana deve ser marcada por cautela e otimismo dos mercados

A divulgação de outros dados econômicos ao longo da semana deve colocar ainda mais pressão da decisão do Fed e do BC brasileiro

Novo apagão?

Governo federal prepara MP que abre caminho para racionamento de energia

Intenção é criar um comitê de crise que terá o poder de adotar medidas como a redução obrigatória de consumo e acionamento de termoelétricas

Entrevista exclusiva

O curioso caso da Dexxos, a sócia da Petrobras que trocou de nome e sobe 690% na bolsa

Rafael Alcides, CEO da Dexxos (antiga GPC), fala ao Seu Dinheiro sobre a longa recuperação judicial e as perspectivas futuras para a empresa

em busca de energia limpa

Criptomoedas: Elon Musk diz que Tesla vendeu 10% do que detinha em bitcoin

Segundo executivo, operação prova que a criptomoeda poder ser liquidada facilmente “sem mover o mercado”

imunização

Governo de São Paulo adianta em 30 dias vacinação contra a covid-19; veja novas datas

Plano é vacinar toda a população adulta do estado, ao menos com a primeira dose, até o dia 15 de setembro

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies