Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-04-04T16:02:57-03:00
Estadão Conteúdo
Ainda suspensa

CVM nega pedido de adiamento de assembleia da Embraer

Marcada para esta terça-feira, AGE segue suspensa por decisão da 24.ª Vara Cível Federal de São Paulo, mas a decisão do regulador do mercado de capitais contraria vários pontos das reclamações

26 de fevereiro de 2019
6:57 - atualizado às 16:02
Embraer – Boeing
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O colegiado da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) negou nessa segunda-feira, 25, o pedido de adiamento da Assembleia Geral Extraordinária (AGE) da Embraer que irá apreciar o acordo com a Boeing, protocolado pelo investidor Renato Chaves.

A AGE, marcada para esta terça-feira, 26, segue suspensa por decisão da 24.ª Vara Cível Federal de São Paulo, mas a decisão do regulador do mercado de capitais contraria vários pontos das reclamações que vêm sendo apresentadas por Chaves e outros investidores.

Na decisão, publicada agora no site da autarquia, a diretoria acompanha integralmente o relatório da área técnica, para quem os documentos constantes da proposta da Embraer têm "alto grau de detalhamento". Chaves questiona, por exemplo, a falta de um laudo dos ativos que serão transferidos para a nova empresa. Para a Superintendência de Relações com Empresas (SEP), nem a Lei 6.404/76 nem a instrução CVM nº 481/09 exigem o laudo no tipo de operação que está sendo proposta.

A SEP também não viu problemas no tratamento confidencial que está sendo dado a um conjunto de ativos da Embraer que estão sendo transferidos para a nova empresa, chamados de "instalações contribuídas". A avaliação é que a proposta já aponta o valor financeiro dos ativos e dos passivos que serão transferidos .

O relatório técnico aprovado pela diretoria também afirma que não há necessidade de divulgação a versão final do acordo de acionistas porque a transação já deixa claro que a "Embraer não terá poder de gestão significativo da Nova Sociedade Aviação Comercial".

A CVM destaca ainda que a Embraer não possui acionista controlador e apresenta elevada dispersão acionária com grande percentual de capital estrangeiro em sua base de acionistas. "Caberá aos 36.000 acionistas decidirem na referida AGE se concordam ou não com a proposta da administração da Companhia", afirma a autarquia na decisão publicada em seu site.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Balanço do mês

Com alívio nos juros futuros, renda fixa atrelada à inflação é o melhor investimento de novembro; bitcoin, FII e ações ficam na lanterna

Passado o pânico com o drible do teto de gastos, queda nos juros futuros deu aos títulos com alguma parcela da remuneração prefixada espaço para se recuperar; mas ativos de bolsa continuaram sofrendo

Dia Agitado

Após receber aporte bilionário, Ânima (ANIM3) compra participação em plataforma para formação de profissionais de saúde

Através de sua controlada Inspirali, a mesma a receber o aporte mais cedo, a companhia fechou um acordo para a aquisição de 51% da IBCMED

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Ômicron e Powell assustam mercados, mas criptomoedas escapam da queda; confira os destaques do dia

O fim de novembro chega carregado de expectativa para o início oficial da temporada das festas de final de ano. As tradições natalinas podem variar de família para família, mas algumas coisas são universais — como as retrospectivas pessoais e a presença do clássico “Então é Natal”, da cantora Simone, em quase 100% dos lares […]

Natal antecipado

Dividendos: Blau Farmacêutica (BLAU3) vai distribuir juros sobre o capital próprio (JCP); confira o valor por ação

A ‘data de corte’ para os proventos, que devem cair na conta dos acionistas em 15 de dezembro, é na próxima sexta-feira (3)

FECHAMENTO DOS MERCADOS

PEC dos precatórios caminha e limita queda do Ibovespa, mas índice fecha novembro no vermelho; dólar vai a R$ 5,63

A nova variante do coronavírus e o posicionamento do Fed diante das ameaças amargaram o humor dos investidores no exterior, mas o Ibovespa conseguiu se segurar nos 100 mil pontos com o noticiário político

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies