Menu
2019-05-22T16:30:51-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
História sem fim

Varig México vai a leilão em junho – quase 12 anos após empresa aérea deixar de voar

Papéis à venda fazem parte do capital social da Varig de México, filiada da subsidiária brasileira Varig Logística. Operação nasceu para dar suporte aos voos da Varig no aeroporto.

22 de maio de 2019
16:14 - atualizado às 16:30
Avião da Varig
Varig - Imagem: Shutterstock

Engana-se quem pensa que o polêmico processo de falência da companhia aérea Varig teve um final definitivo. Passados quase 12 anos desde que empresa realizou seu último voo, o mercado ainda encontra resquícios da história de uma empresa que já foi um ícone do setor aéreo brasileiro.

A Justiça aprovou o leilão da Varig México, uma filiada da Varig criada nos anos 80 e que posteriormente foi incorporada pela subsidiária Varig Logística. A venda será no dia 6 de junho e o lance inicial de cerca de R$ 19 milhões.

O trâmite só mostra o quanto a quebra da Varig se arrastou. A empresa pediu recuperação judicial em 2005, parou de voar no ano seguinte, foi fatiada e teve diversas partes vendidas para donos diferentes.

Nesse processo, a Varig Log foi arrematada no início de 2006 e a parte "boa" da Varig foi comprada pela Gol em 2007. O que restou não durou muito e as duas empresas tiveram falência decretada nos anos seguintes.

O que sobrou e como será a venda

A Varig México é dona de uma concessão no aeroporto da Cidade do México para operar serviços logísticos como controle e armazenamento de cargas. A companhia nasceu para dar suporte à própria operação da Varig no país.

A concessão foi renovada pela última vez em 2003, por 20 anos. Ou seja, mesmo após a saída a Varig do mercado a divisão ainda têm um espaço no aeroporto mexicano. A intenção do leilão é atrair o interesse de outras empresa que prestam serviço no aeroporto.

O processo de venda foi aprovado pela 1ª Vara de Falência de São Paulo, onde corre a ação da Varig Log, e as ofertas em primeira praça serão aceitas até o dia 6 de junho.

De acordo com um comunicado da Superbid, empresa que está administrando o leilão, a negociação vai incluir 99,95% das ações do capital social da Varig de México. Ao todo, estão inclusas 32,985 mil ações, sendo 1985 de série A e 31 mil de série B.

O preço das ações teve como base uma análise econômico-financeira, que procurou estimar o valor de mercado da Varig México em 2019. Para isso foram considerados fatores como a dimensão da empresa, características da atividade operacional e a condição atual de reestruturação e crescimento do negócio.

A oferta inclui 32,985 mil ações, sendo 1985 ações de série A e 31 mil ações de série B. A Superbid informou ainda que, caso não sejam arrematadas, as ações vão para segunda praça com 30% de desconto, com o valor inicial caindo para R$ 13.433.890,92.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Altas e baixas

Klabin, Eletrobras, Ultrapar e BR Distribuidora: os destaques do Ibovespa nesta segunda-feira

As units da Klabin (KLBN11) reagem positivamente à compra de ativos da IP Brasil, enquanto as ações da Eletrobras sobem após o balanço trimestral da companhia

recomendação

Magazine Luiza, Pão de Açúcar e Vivara são melhores opções do varejo, diz XP

Corretora divide as ações das empresas em duas categorias: ganhadoras de curto prazo – o que inclui serviços essenciais – e de longo prazo – varejistas com sólido caixa

período é de crise

GM propõe suspensão temporária de contratos e redução de salários, diz sindicato

Liberação dos funcionários foi uma reivindicação do sindicato, por meio de licença remunerada e sem redução dos salários.

diante da crise

Paradas, pequenas empresas não têm fôlego nem para um mês

Segundo especialistas, a maioria não tem fluxo de caixa suficiente para bancar um período longo sem receitas

Riscos

Metade das grandes empresas tem caixa para suportar até 3 meses sem receita

Metade das empresas de capital aberto tem recursos para aguentar até três meses sem faturar, segundo levantamento com 245 companhias

Horizonte negativo

Fitch revisa perspectiva do setor bancário do Brasil de estável para negativa

Segundo a Fitch, o choque macroeconômico global por causa da doença impõe “desafios de execução para todos os setores no Brasil”

nos bastidores

Em meio a crise, Hamilton Morão ganha apoio de militares

Vice foi o único dos generais quatro estrelas que despacham no palácio a se dissociar, em público, do discurso do presidente pelo fim da quarentena

Contra covid-19

UE aprova pacote francês de 1,2 bilhão de euros para empresas do país

UE aprovou nesta segunda-feira, 30, o pacote francês de 1,2 bilhões de euros para sustentar pequenas e médias empresas do país, em meio à pandemia

olho nas cifras

Contas do governo têm déficit de R$ 25,8 bilhões em fevereiro

Resultado é pior que as expectativas do mercado financeiro, cuja mediana apontava um déficit de R$ 20,53 bilhões, de acordo com levantamento do Projeções Broadcast

crise

Brasil é diferente, diz Bolsonaro ao evitar comentar isolamento nos EUA

Presidente dos EUA estendeu o isolamento social até o dia 30 de abril; Bolsonaro voltou a falar em liberar o comércio

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements