Menu
2019-09-25T08:33:06-03:00
Será que cai?

Alcolumbre vota para derrubar veto sobre bagagem grátis

O retorno da gratuidade das bagagens foi colocado pelos congressistas na votação da Medida Provisória que abriu o setor aéreo para o capital estrangeiro. A articulação da franquia foi encabeçada por senadores do PSDB e do MDB.

25 de setembro de 2019
8:09 - atualizado às 8:33
Bagagem
Mulher carrega bagagem em aeroporto - Imagem: shutterstock

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), votou para derrubar todos os vetos do presidente Jair Bolsonaro que proibiram a franquia gratuita de bagagem em voos domésticos. Os itens foram vetados pelo Planalto com a justificativa que a franquia mínima afasta o interesse de empresas estrangeiras investirem no setor. A sessão do Congresso foi encerrada sem a votação em separado do veto à gratuidade da bagagem e será retomada nesta quarta-feira, 25.

O retorno da gratuidade das bagagens foi colocado pelos congressistas na votação da Medida Provisória que abriu o setor aéreo para o capital estrangeiro. A articulação da franquia foi encabeçada por senadores do PSDB e do MDB.

  • Estão oficialmente abertas (por tempo limitado ou enquanto durarem as vagas) as inscrições para o melhor curso de análise gráfica para enriquecer em qualquer mercado. Entre aqui e aproveite!

Segundo o texto aprovado pelo Congresso, a franquia mínima deveria ser de: 23 Kg nas aeronaves acima de trinta e um assentos, 18 Kg para as aeronaves de vinte e um até trinta assentos e 10 Kg para as aeronaves de até vinte assentos.

Mais cedo, em entrevista ao chegar para a sessão, Alcolumbre defendeu manter o veto de Bolsonaro que proibiu a bagagem gratuita. "Eu acho que tem que manter o veto. Eu, Davi, pessoalmente", declarou. No entanto, o voto de Alcolumbre foi fotografado pelo Estadão/Broadcast Político quando o presidente do Senado registrou a cédula com seu posicionamento em relação aos vetos analisados pela sessão do Congresso.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu a manutenção do veto. Segundo ele, a derrubada só interessa às empresas que estão no atual sistema. "Porque a regra que está colocada é a regra que, agora, com autorização de 100% do capital estrangeiro para as companhias aéreas, gera a possibilidade, em 12 meses, que as companhias aéreas estrangeiras venham para o Brasil e operem o mercado regional", afirmou Maia.

Para o veto ser derrubado são necessários, pelo menos, 257 votos de deputados e 41 de senadores contra o veto. Caso contrário, o veto será mantido.

A autorização para cobrança do despacho de bagagem foi dada, em 2016, pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), órgão responsável pela fiscalização do setor aéreo comercial.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Embraer monitorada

S&P mantém rating BBB da Embraer em observação para eventual rebaixamento

Avaliação reflete a aprovação ainda pendente da Comissão Europeia sobre o acordo entre a empresa brasileira e a Boeing, diz agência

Cartas sobre a mesa

Petrobras e FUP negociam no TST empregos da fábrica de fertilizantes do PR

Estatal anunciou o fechamento da Ansa no dia 14 de janeiro e o início das demissões a partir do dia 14 deste mês

De volta à pauta

Deputados apresentam projeto de Lei para manter emissão da carteirinha digital

Medida Provisória assinada pelo governo e que tratava sobre o tema digital perdeu a validade

Para conter o dólar

BC tem perda de R$ 4,539 bilhões com swap cambial em fevereiro até dia 21

Autoridade monetária registrou prejuízo de R$ 7,615 bilhões com sua posição em swap cambial em janeiro

Em alta

Brasil tem quarta gasolina mais cara da América do Sul, mostra ranking

Preço da gasolina brasileira só não é mais cara que do Uruguai, do Peru e do Chile

De casa nova

Datena vai se filiar ao quarto partido e mantém dúvida sobre candidatura em 2020

Ideia é fazer um ato discreto de filiação na liderança do MDB na Câmara

No azul

Balança comercial tem superávit de US$ 520 milhões na 3ª semana de fevereiro

No mês, saldo é positivo em US$ 1,105 bilhão até o dia 23, 64,5% menor do que o registrado em todo o mês de fevereiro do ano passado

Olho no câmbio

BC: Fluxo cambial total em fevereiro até dia 21 é negativo em US$ 2,321 bi

Brasil encerrou janeiro com saídas líquidas de US$ 384 milhões

Dívida

Tesouro: Dívida Pública Federal fecha janeiro em R$ 4,229 trilhões

Dados foram divulgados nesta quinta-feira; em dezembro, o estoque estava em R$ 4,248 trilhões

Não desceu redondo

‘Sem brilho’: confira como os analistas reagiram ao balanço da Ambev

Apesar de registrar lucro trimestral e anual, resultado demonstra que desafio à frente é grande

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements