Menu
2019-06-19T11:40:10-03:00
Estadão Conteúdo
De olho na Previdência

Confiança do empresário melhora em junho e interrompe sequência de queda, diz CNI

Índice está 2,4 pontos acima da média histórica e 7,3 pontos acima do registrado em junho de 2018, quando a confiança foi fortemente afetada pela paralisação dos caminhoneiros

19 de junho de 2019
11:40
Trabalhador da indústria
Trabalhador da indústria - Imagem: Shutterstock

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) atingiu 56,9 pontos em junho, o que representou uma alta de 0,4 ponto em relação a maio. Esse resultado interrompe a trajetória de queda que durou quatro meses. O ICEI foi divulgado nesta quarta-feira, 19, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Os indicadores do ICEI variam de zero a 100 pontos e, quando estão acima de 50 pontos indicam empresários confiantes.

O índice está 2,4 pontos acima da média histórica e 7,3 pontos acima do registrado em junho de 2018, quando a confiança foi fortemente afetada pela paralisação dos caminhoneiros, destaca a CNI.

"A expectativa de aprovação da reforma da Previdência deve ter provocado o ajuste nas expectativas e na confiança do empresário. De todo modo, é necessário uma melhora das condições efetivas dos negócios para alavancar a confiança dos agentes", afirma o economista da CNI Marcelo Azevedo, em nota divulgada pela entidade.

De acordo com a CNI, o ICEI antecipa tendências da economia. "Empresários confiantes tendem a fazer investimentos, aumentar a produção e criar empregos, fatores decisivos para o crescimento da economia", destaca.

Segundo a pesquisa, o aumento da confiança do empresário industrial em junho é resultado da melhora das perspectivas dos empresários em relação ao desempenho das empresas e da economia nos próximos seis meses. O índice que mede as expectativas subiu 0,9 pontos frente a maio e ficou em 61,7 pontos em junho.

Apesar disso, o índice que mede as condições atuais caiu para 47,6 pontos, 0,2 ponto abaixo do verificado em maio. O indicador continua abaixo da linha divisória de 50 pontos, que denota uma percepção de piora das condições atuais.

"Ainda que os empresários percebam piora nas condições correntes de seus negócios, as perspectivas para os próximos seis meses tornaram-se mais otimistas", afirma a CNI.

A pesquisa revela ainda que o otimismo é maior nas grandes empresas, segmento em que o ICEI ficou estável em 57,6 pontos em junho. Nas médias empresas, o indicador subiu um ponto em relação a maio e atingiu 56,7 pontos. Nas pequenas, o ICEI cresceu 0,7 ponto e ficou em 55,8 pontos.

Por segmento, o menor índice de confiança foi registrado na indústria extrativa. Nesse setor, a confiança caiu 2,2 pontos na comparação com maio e ficou em 54,3 pontos em junho. Na indústria de transformação, o ICEI deste mês alcançou 57,1 pontos e o da construção ficou em 57 pontos.

A pesquisa foi feita entre 3 e 12 de junho, com 2.400 empresas.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Renovação do Conselho

Comitê interno da Petrobras desaprova dois nomes indicados ao Conselho

Indicados foram considerados inaptos pelo Comitê de Pessoas por terem atuado em empresas com relação direta com a estatal nos últimos três anos

ESTRADA DO FUTURO

A equação do e-commerce: onde estamos investindo quando o assunto é varejo

O varejo é grande demais para exista um tipo de “vencedor leva tudo”. Na geração de demanda é a mesma coisa. Todos estão crescendo como derivada de uma tendência maior, que é o desenvolvimento do e-commerce

CRIPTOMOEDA

Bitcoin ultrapassa US$ 60 mil antes de abertura de capital da Coinbase Global

Criptomoeda teve alta de 4,87%, a quatro dias de IPO da maior corretora de moedas digitais dos EUA

pandemia

Mortes por Covid-19 cresceram 468% no Brasil entre janeiro e março, alerta Fiocruz

Para os novos casos, o aumento foi de 701%; Sul e Centro-Oeste tendem a cenário mais crítico nas próximas semanas.

IPCA DE MARÇO

Inflação vai a 0,93% e mercado vê risco de estourar meta

Taxa acumulada passou a 6,10% no mês passado, reforçando temor de que inflação oficial termine o ano acima do teto da meta, de 5,25%.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies