Menu
2019-06-21T13:03:48-03:00
centro-esquerda em conflito

Ciro diz que Lula é ‘enganador profissional’ e ‘defunto eleitoral’

O candidato derrotado à Presidência da República em 2018 Ciro Gomes (PDT), que participou da reestreia do programa Provocações, da TV Cultura, disse ter ficado “deprimido” ao assistir a entrevista que Lula concedeu da prisão aos jornais El País e Folha de S.Paulo

15 de maio de 2019
11:04 - atualizado às 13:03
Ciro Gomes chega ao debate presidencial no SBT
Imagem: Marcelo Chello/Seu Dinheiro

O candidato derrotado à Presidência da República em 2018 Ciro Gomes (PDT) fez críticas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ao PT em sua participação na reestreia do programa Provocações, da TV Cultura, agora apresentado por Marcelo Tas nesta terça-feira, 14.

Ciro diz ter ficado "deprimido" ao assistir a entrevista que Lula concedeu da prisão aos jornais El País e Folha de S.Paulo pela falta de autocrítica. "Eu conheço o Lula. Ele é um encantador de serpentes, um enganador profissional. Não tem um companheiro com quem ele não tenha sido desleal ao longo da vida inteira, ele cultiva isso", disse.

O ex-governador do Ceará voltou a falar que, se Lula se considera um preso político, deveria ter pedido asilo em alguma embaixada. "A petezada amalucada não percebe a incongruência. Se eu sou acusado falsamente e ameaçado de prisão arbitrária e política, eu iria a uma embaixada pedir asilo e denunciar. Se Lula se acha um preso político, é a única saída. Sugeri isso."

O ex-ministro disse que o PT tem dificuldades para lidar com o fato de Lula ter se tornado um "defunto eleitoral" por conta das condenações. O ex-presidente está preso em Curitiba e foi condenado em três instâncias pelo caso do triplex na Operação Lava Jato.

"No PT todo mundo sabe que do ponto de vista eleitoral o Lula é carta fora do baralho. Como manejar este defunto eleitoral é muito delicado para todos eles. Ele fez uma lei que determina que num País com quatro graus de jurisdição, no 2º grau de condenação, você perde os direitos políticos. Ele está inelegível até fazer 90 anos."

Ciro também falou sobre Jair Bolsonaro. Disse que o presidente venceu a eleição aproveitando-se da onda antipetista e, com a facada, teve uma razão factível para não ir aos debates na TV, algo que o favoreceu, na avaliação do ex-ministro.

"Significava que o mais tosco, simples e fácil de ser entendido como intérprete do antipetismo decolava. Era o Bolsonaro. Nenhum de nós, políticos, achava que ele se aguentava porque era muito vazio. Ninguém botava fé. Ele foi adiante por conta da facada, que deu a ele uma razão para não ir aos debates."

Criticado pela esquerda por não ter declarado apoio a Fernando Haddad, candidato do PT contra Bolsonaro no 2º turno na eleição do ano passado, Ciro diz não sentir culpa e criticou o partido de Haddad citando erros da gestão de Dilma Rousseff e a escolha de Michel Temer (MDB) para a vice-presidência de Dilma.

"Era só olhar para as pesquisas. Para o bolsominion, o Bolsonaro pode andar pelado na rua e isso vai ser relativizado. Assim virou o fanático do PT. Só que eu já engoli m* em nome deles demais. Mais muita. Dilma 1 e Dilma 2, por exemplo. Se ninguém sabia, eu sabia que ela não tinha experiência de nada. E o Michel Temer eu denunciei que ele rouba há mais de 30 anos. O governo dela foi um desastre transcendental e o PT apaga", afirmou.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Seu Dinheiro na sua noite

O pior pregão desde o ‘Joesley Day’

Se o ano no Brasil só começa mesmo depois do Carnaval, 2020 resolveu chegar logo com uma voadora no peito dos brasileiros. Enquanto nós descansávamos ou curtíamos a folia, os mercados no exterior amargavam fortes perdas diante do agravamento da disseminação do coronavírus fora da China, notadamente na Itália. Pois bem, após a batucada pela […]

Gigante de tecnologia

Microsoft revê projeção trimestral e cita impactos do coronavírus

Empresa de tecnologia vive uma demora maior do que a esperada para a volta ao normal das operações em suas cadeias de suprimento

Caos na bolsa

Pressionado pelo coronavírus, Ibovespa cai 7% e tem o pior pregão desde o Joesley Day

O Ibovespa perdeu quase oito mil pontos nesta quarta-feira, impactado por um forte movimento de correção por causa da disparada de casos do coronavírus fora da China — todas as ações do índice fecharam em queda. Já o dólar à vista subiu a R$ 4,44, cravando mais um recorde nominal de encerramento

Mais uma polêmica

Vídeo de Eduardo Bolsonaro defendendo Orçamento impositivo circula pelo WhasApp

Vídeo mostra a fala do parlamentar no plenário da Câmara, no dia 26 de março do ano passado

Surto mundial

Por coronavírus, Costa Cruzeiros amplia medida de segurança em seus navios; Nestlé aconselha funcionários a não viajarem

Entre as providências está a proibição da entrada de pessoas que tenham viajado para países e regiões afetadas pela doença

FORA DO AR

Investidores da XP relatam problemas para acessar home broker nesta quarta-feira

Ao ser procurada, a assessoria de imprensa informou que “a plataforma apresentou lentidão para alguns clientes no início da tarde desta quarta-feira”

Medida do BC

Moody’s: diminuição de compulsório para depósitos a prazo é positiva

Para a agência, os gigantes do mercado são os mais beneficiados, por deterem 72% de todos os depósitos a prazo no Brasil

CDS no radar

Risco-país do Brasil tem novo dia de alta e vai a 106 pontos

Desde o começo de fevereiro o CDS vinha sendo negociado abaixo dos 100 pontos

CRIPTOMOEDAS

Criptomoedas ainda mantêm um papel limitado como forma de proteção, para analistas do JPMorgan

Apesar da baixa correlação das criptomoedas com ativos tradicionais, analistas do banco acreditam que elas ainda não podem servir como hedge da carteira

Gastos no exterior

Compras com cartão no exterior serão cobradas conforme a taxa de câmbio do dia

Opção estará disponível a consumidores a partir de 1º de março e já estava autorizada pelo BC desde 2016; atualmente, valor a ser pago na fatura é definido dez dias antes do fechamento

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements