Menu
2019-12-28T22:48:03-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores

Bradesco vai fechar 450 agências até o ano que vem para reduzir despesas

Após estourar meta de gastos, o segundo maior banco privado do país pretende fechar 150 locais de atendimento ainda em 2019 e mais de 300 no ano que vem

31 de outubro de 2019
10:51 - atualizado às 22:48
Agência do Bradesco
Imagem: Estadão Conteúdo / Ricardo Lisboa

Depois de estourar a meta de despesas neste ano, o Bradesco decidiu tomar uma série de medidas de redução de custos. E a principal vítima da tesoura será a rede de agências.

O segundo maior banco privado do país pretende fechar 150 locais de atendimento ainda em 2019 e mais de 300 no ano que vem, disse hoje o presidente do Bradesco, Octavio de Lazari. Ele disse que não há uma região específica onde as agências serão fechadas.

As despesas operacionais e de pessoal do banco atingiram R$ 31,9 bilhões entre janeiro e setembro deste ano. Trata-se de um aumento de 7,5% em relação ao mesmo período de 2018.

Em teleconferência na manhã de hoje com a imprensa para comentar o balanço do terceiro trimestre, Lazari reconheceu que o crescimento das despesas em 2019 ficará acima da meta de até 4% estipulada pelo banco.

"Estamos conscientes de que temos de melhorar e estamos tomando todas as medidas para que isso aconteça", afirmou.

Apesar do aumento de 19,6% no lucro do terceiro trimestre, para R$ 6,542 bilhões, o mercado não reage bem aos números no banco. Por volta das 10h40, as ações preferenciais (BBDC4) eram negociadas em queda de 3,74%, cotadas a R$ 35,30. Leia também nossa cobertura de mercados.

O Bradesco contava com uma rede de 4.567 agências no fim de setembro. Mas com o avanço dos serviços bancários digitais, a necessidade de manutenção de uma ampla rede física de atendimento vem caindo drasticamente.

Junto com o fechamento de agências, o banco tomou outras medidas de contenção de gastos, incluindo um novo programa de demissão voluntária, que até o momento conta com 3 mil adesões, segundo Lazari.

Taxa dos fundos

Além das despesas, o Bradesco sofreu pressão do lado das receitas com prestação de serviços. De janeiro a setembro, o banco arrecadou R$ 24,8 bilhões com a cobrança de tarifas, uma alta de apenas 2,5% em relação ao mesmo período de 2018.

Lazari disse que o banco deve cumprir a meta de crescimento das receitas com serviços, que varia entre 3% e 7%. Mas a expansão ficará mais próxima ao piso das estimativas.

Apesar da maior pressão neste ano, o presidente do Bradesco se revelou otimista com o desempenho das receitas no ano que vem com a perspectiva de aumento na base de clientes tanto da instituição como do o banco digital Next, que deve encerrar o ano com pelo menos 2 milhões de correntistas.

Questionado sobre a perspectiva para as receitas com administração dos fundos em um cenário de Selic mais baixa, Lazari disse que não espera novas reduções nas taxas cobradas pelo Bradesco. "O movimento já foi feito durante o trimestre e hoje as taxas já precificam os juros menores", afirmou aos jornalistas.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

entrevista

‘Orçamento está falido e não deveria ser sancionado’, diz Rodrigo Maia

Para ex-presidente da Câmara, governo e Congresso tem responsabilidade por esse Orçamento em que as emendas parlamentares são maiores do que os gastos discricionários

ESTRADA DO FUTURO

O que o mercado está tentando te dizer sobre as ações do Banco Inter (BIDI11)

Como analistas, gastamos cada vez mais tempo avaliando histórias. E se você quer investir bem o seu dinheiro, também deveria fazê-lo

termômetro

Tesla, Robinhood e GM: as apostas do bilionário Jorge Paulo Lemann

Empresário brasileiro respondeu quais seriam os investimentos de curto e longo prazo, em uma espécie de termômetro sobre a confiança em torno do negócio

escolha da CEO

Criptomeme bilionário, $moda$ de Hering e Arezzo, aposta contra o BC… veja o que bombou na semana no Seu Dinheiro

Você apostaria contra o Banco Central do Brasil?  Não falo de apostas mequetrefes com a turma do escritório, do tipo “quem perder paga uma rodada”.  Estou falando de colocar o seu patrimônio em investimentos que podem dar retornos altos se o BC estiver errado. Pois é justamente o que defende Rogério Xavier, da SPX Capital, um […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies