Menu
2019-04-05T10:20:14-03:00
Estadão Conteúdo
Como já esperado

Queda na venda de iPhones puxa lucro da Apple no 4º trimestre

Apesar do mau desempenho do iPhone, o mercado reagiu com otimismo ao balanço financeiro da companhia, com as ações subindo 5% em NY

30 de janeiro de 2019
6:39 - atualizado às 10:20
Loja da Apple em Nova York
Imagem: shutterstock

A Apple confirmou as previsões e teve queda de 5% no faturamento entre outubro e dezembro de 2018, na casa de US$ 84,3 bilhões. A informação é do "Broadcast", do Estadão, desta quarta-feira, 30.

O mau desempenho foi puxado pela baixa venda de iPhones no último trimestre. Responsável por 61% do faturamento da empresa no período, a divisão de smartphones viu sua receita cair 15% em relação ao mesmo período de 2017.

A notícia já era esperada: no início do mês, as ações da empresa caíram cerca de 9% no pregão da Nasdaq - bolsa que reúne as principais empresas de tecnologia - depois que Tim Cook, presidente executivo da companhia, emitiu comunicado prevendo queda nas receitas.

Segundo ele, o principal motivo para isso foi a baixa venda de iPhones na China, um de seus principais mercados. No trimestre, a empresa reportou que teve queda de 26% na receita no país asiático.

Há razões para isso: a guerra comercial entre EUA e China, além de afetar a empresa, também provocou uma reação entre os consumidores chineses, que preferiram marcas locais e mais baratas, como Huawei e Xiaomi.

À agência Reuters, Cook disse que está otimista com a disputa EUA-China. Próximo do presidente Donald Trump, ele afirmou que “a tensão entre os dois países cai a cada mês”.

O executivo afirmou ainda que estuda parar de basear o preço do iPhone em mercados fora dos EUA pelo câmbio do dólar. “Foi algo que nos atrapalhou e que pode melhorar nossas vendas”, disse Cook. É uma boa notícia para o Brasil, que há anos tem o iPhone mais caro do mundo - hoje, há aparelhos à venda por R$ 10 mil no País.

Serviços

Apesar do mau desempenho do iPhone, o mercado reagiu com otimismo ao balanço financeiro da Apple. Após a divulgação dos resultados, as ações da empresa subiram cerca de 5%, cotadas em torno de US$ 163. Com isso, a Apple encerrou avaliada em cerca de US$ 770 bilhões - valor bem abaixo do US$ 1 trilhão alcançado pela empresa em agosto de 2018.

Há uma razão para isso: o setor de serviços, considerado por Tim Cook como o futuro da Apple, teve faturamento recorde no último trimestre.

Ao longo do período, a companhia faturou US$ 10,9 bilhões com plataformas como a loja de aplicativos App Store, o serviço de armazenamento na nuvem iCloud e o streaming de música Apple Music.

“As margens de lucro em serviços no trimestre foram de 62%, contra 38% para a Apple em geral. É relevante”, disse Joel Kulina, analista da consultoria Wedbush Securities.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

nos estados unidos

Remuneração de CEOs cresceu em meio à pandemia

Recuperação do mercado de ações impulsionou ganhos de executivos em 2020, que tiveram remuneração média de US$ 13,7 mi no período

Após estremecimentos

China quer parceria estratégia com Brasil, diz chanceler asiático

Chanceler chinês, Wang Yi, falou com o novo ministro das Relações Exteriores do Brasil, Carlos Alberto Franco França.

entrevista

Bittar reafirma que Guedes sabia de acordo para destinar verba a emendas

Apontado como um dos artífices da “maquiagem” no Orçamento, o senador Marcio Bittar diz que não chegou sozinho ao valor de R$ 29 bilhões em emendas

Apesar da pandemia

Saúde perde espaço em emendas parlamentares

Números mostram estratégia dos parlamentares para destinar recursos para obras e projetos de interesse eleitoral em seus redutos

Renovação do Conselho

Comitê interno da Petrobras desaprova dois nomes indicados ao Conselho

Indicados foram considerados inaptos pelo Comitê de Pessoas por terem atuado em empresas com relação direta com a estatal nos últimos três anos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies