Menu
2019-04-03T18:06:31-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Plano de gestão

Petrobras prevê investimentos de US$ 84,1 bilhões no país entre 2019 e 2023

Valor representa um crescimento de 12,9% na comparação com planos da gestão divulgado no ano passado

5 de dezembro de 2018
11:27 - atualizado às 18:06
Plataforma da Petrobras no Rio de Janeiro
Imagem: shutterstock

A Petrobras prevê investimentos de US$ 84,1 bilhões no período entre 2019 a 2023. A estatal divulgou a estimativa nesta quarta-feira, 5, no Plano de Negócios e Gestão 2019-2023.

O valor representa um crescimento de 12,9% na comparação com o Plano de Negócios e Gestão 2018-2022, divulgado no ano passado, que previa investimentos totais de US$ 74,5 bilhões para o período.

Ao detalhar os números, a empresa disse que US$ 78,4 bilhões vão para o exploração e produção e refino, transporte e comercialização, setor considerado central de competitividade.

Para gás e energia, além do negócio de petroquímico, serão aportados US$ 5,3 bilhões. Energias alternativas como eólica, solar e biocombustíveis receberão US$ 400 milhões.

Sobre as novas fontes energéticas, a empresa afirmou que buscará parcerias em negócios de energia elétrica renovável, "como um novo motor de geração de valor com foco no futuro sustentável da companhia". Segundo a empresa, o foco em óleo e gás dará mais espaço para outras fontes de energia.

Desinvestimentos

A Petrobras disse também que dará continuidade aos projetos de desinvestimentos já anunciados, com potencial de entrada de caixa entre 2019 e 2023 de US$ 26,9 bilhões.

Segundo a empresa, através da disciplina de custos, redução da dívida e compromisso com a rentabilidade, ela estima uma geração de fluxo de caixa livre robusta no período do plano.

A empresa disse também que espera uma geração operacional de caixa de US$ 114,2 bilhões no período, que permitirá que a companhia realize seus investimentos e reduza seu endividamento sem necessidade de novas captações líquidas no horizonte do plano.

Além disso, a Petrobras disse que buscará uma forte estrutura de capital e tem meta de manter a alavancagem (endividamento líquido/(endividamento líquido+patrimônio líquido) em torno de 25%

Dividendos

Sobre a remuneração aos acionistas, a empresa disse que a política atual será mantida. "Eventual alteração na distribuição de dividendos levará em conta a redução dos indicadores de endividamento e novas oportunidades de investimento", explicou.

Brent

A petroleira disse esperar um preço médio para o petróleo Brent de US$ 66 o barril em 2019. Os dados também foram divulgados no Plano de Negócios e Gestão 2019-2023. Conforme a empresa, o barril da commodity deve chegar a US$ 67 em 2020 e atingir US$ 75 em 2023.

A estatal disse que o plano incorpora uma nova métrica de topo, que busca garantir a rentabilidade, além de manter as métricas de segurança e redução da dívida. Entre os pontos estão uma dívida líquida/Ebitda ajustado abaixo de 1,5 vezes em 2020, além de retorno sobre capital empregado (Roce) acima de 11% em igual ano.

Óleo

A Petrobras apontou que, em 2019, o crescimento da produção de óleo será de 10% no Brasil e de 7% olhando também outras regiões.

Para o período entre 2020 e 2023, a produção total de óleo e gás natural terá um crescimento médio de 5% ao ano, segundo a companhia.

Ainda sobre a produção, a Petrobras disse que a contínua eficiência de custos e o custo de extração no pré-sal inferior a US$ 7/boe conduzirão o custo de extração médio para níveis inferiores a US$ 10/boe a partir de 2020.

Refino

No documento, a estatal também confirmou o reposicionamento em refino, por meio de parcerias nos clusters Nordeste e Sul, que representam 40% da capacidade de refino instalada no Brasil, permitindo o compartilhamento dos riscos do negócio e o estabelecimento de um setor mais dinâmico, competitivo e eficiente, além de geração de liquidez para a companhia.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

DE OLHO NO NUBANK

Número de contas do Nubank cresce 485%, mas prejuízo também acelera e chega a R$ 312,7 milhões

Mas nem tudo foi ruim. De acordo com o documento apresentado pela fintech, o Nubank fechou o ano passado com 16 milhões de contas, sendo que 45 mil foram apenas contas voltadas para pessoas jurídicas (PJs)

AVERSÃO AO RISCO

‘Índice do medo’ dispara mais de 48% em meio a movimento de aversão ao risco no mundo

Seguindo na mesma direção, o ouro também apresentou alta na tarde desta segunda-feira por conta do movimento de busca por proteção

ECONOMIA

Carnaval 2020 deve movimentar R$ 8 bilhões na economia, diz CNC

Segundo a CNC, “a recuperação gradual da atividade econômica, combinada à inflação baixa” tendem a refletir na recuperação moderada dos serviços turísticos

AVIAÇÃO

Empresa americana ExpressJet Airlines compra 36 aviões da Embraer

A companhia anunciou também que vai diminuir gradualmente a sua frota de aeronaves E175 para acelerar o crescimento e se tornar uma companhia mais eficiente

PESQUISA

Avaliação do governo Bolsonaro fica estável em fevereiro, mostra pesquisa

A expectativa da população para o restante do mandato de Bolsonaro também não variou. Para 40%, a perspectiva é ótima ou boa e para outros 33% é ruim ou péssima

ECONOMIA

Bolsonaro diz que PIX do BC trará mais agilidade e menos custos ao cidadão

O PIX será disponibilizado pelas instituições financeiras a partir de 16 de novembro

Uns crescem, outros recuam

Desigual, recuperação do mercado imobiliário se concentra no Sudeste

Construtoras mantiveram a política de fechamento de postos de trabalho em 14 Estados em 2019

Incentivo à economia

China vai flexibilizar política monetária em resposta a coronavírus

Objetivo é auxiliar a economia do país a se fortalecer em meio aos impactos econômicos do surto da doença

Entrevista

Diretor do FGC: “sempre é melhor prevenir do que improvisar”

Daniel Lima defende as mudanças previstas no texto de Resolução Bancária enviado pelo governo

Seu Dinheiro na sua manhã

No radar: Coronavírus, Ambev, Via Varejo e tensão nos mercados

É Carnaval, mas o clima não é de festa nos mercados globais. O coronavírus faz a aversão ao risco disparar lá fora — a promessa é de uma sessão bem negativa no exterior. Por aqui, o noticiário corporativo aparece em destaque nesta semana. No front dos balanços, a Ambev divulga na quinta-feira (27) seus números […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements