Menu
2018-11-28T18:56:49-02:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Câmbio

Quer dólar? Então toma!

Banco Central fará nova atuação no mercado de câmbio nesta quinta-feira. Agora, serão roladas as linhas que vencem em dezembro

28 de novembro de 2018
18:56
Chuva de dólares
Chuva de dólares - Imagem: Shutterstock

O Banco Central (BC) fará mais uma atuação no mercado à vista de câmbio nesta quinta-feira, completando três dias seguidos de intervenção. No entanto, o leilão de amanhã não representa injeção de dinheiro novo no mercado, mas sim a rolagem de linhas colocadas em agosto e que venceriam agora em dezembro.

Nessa modalidade de atuação, o BC oferta uma espécie de financiamento ao mercado, “emprestando” os dólares das reservas internacionais que posteriormente serão devolvidos à autoridade monetária.

O montante do leilão de quinta-feira é de US$ 1,25 bilhão, que poderá ser rolado para fevereiro ou março de 2019, a depender da demanda do mercado. Quando o BC faz a rolagem dos contratos ele se mantem “neutro” no mercado. Se as linhas previamente ofertadas fossem vencer, o efeito líquido seria de retirada de dólares no mercado, já que os agentes teriam de entregar os dólares de volta ao BC.

Na terça e quarta-feira, o BC ofertou dinheiro novo ao mercado. Ao todo foram US$ 3 bilhões em linhas, sendo que US$ 2,65 bilhões vencem em fevereiro e outros US$ 350 milhões em março.

A decisão de ofertar liquidez à vista aconteceu na noite de segunda-feira, depois de uma disparada de 2,6% na cotação do dólar, que fechou a R$ 3,92. Hoje, o dólar comercial fechou com baixa de 0,93%, a R$ 3,838.

Segundo o próprio BC, os leilões são feitos para dar liquidez ao mercado, algo que acontece normalmente em todo fim de ano desde 2011. Neste período, aumenta a demanda por moeda à vista para remessas de resultados para as empresas que estão fechando seus balanços.

Ainda faltam os swaps

Até o fim da semana, o BC também deve comunicar ao mercado a decisão sobre a rolagem dos contratos de swap cambial, que equivalem à venda de dólares no mercado futuro. Em janeiro, o volume de vencimento é US$ 10,3 bilhões. Agora em dezembro está acontecendo a rolagem integral de US$ 12,2 bilhões.

Apesar de essa ser uma atuação no mercado futuro, a lógica de impacto é a mesma. Se o BC não rolar os contratos, o efeito líquido no mercado futuro é de compra de moeda americana. Com a rolagem, o BC se mantém “neutro”, sem realizar mudanças no estoque de contratos que está na casa dos US$ 68,8 bilhões.

E pensar que faz pouco tempo, quando o dólar perdeu a linha de R$ 3,7, discutimos o que o BC faria para suavizar um esperado movimento de queda da moeda. De fato, a fama que a taxa de câmbio tem de humilhar a todos não é por acaso.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

seu dinheiro na sua noite

IPO da Smart Fit: vai sair da jaula o monstro!

Eu nunca fui muito de academia, confesso. Já tive meus tempos de malhar regularmente, mas nunca consegui tomar gosto pela coisa. Exercícios repetitivos não me cativam, meu negócio sempre foi dançar, de preferência em turma, com professor e horário, se não eu falto. Como você deve imaginar, entre meus colegas jornalistas não é muito diferente. […]

atenção, acionista

Vale eleva valor de dividendo a ser em pago em 30 de junho para R$ 2,189 por ação

No dia 17 de junho, a empresa tinha informado o pagamento de R$ 2,177 de dividendo por ação; demais condições da distribuição não serão alteradas

de olho na inovação

Moeda digital é nova forma de representação da moeda já emitida, diz Campos Neto

Segundo ele, ela não se confunde com os criptoativos, como o bitcoin, que não têm característica de moeda, mas sim de ativos

em audiência

Yellen diz esperar apoio do G-20 para proposta de imposto corporativo global

Grupo das 20 maiores economias do mundo se reúne em julho e deve debater o assunto

retomada

PIB da Argentina sobe 2,6% no 1º trimestre

Na comparação com igual período do ano passado, o avanço foi de 2,5%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies