Menu
2018-11-28T18:56:49-02:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Câmbio

Quer dólar? Então toma!

Banco Central fará nova atuação no mercado de câmbio nesta quinta-feira. Agora, serão roladas as linhas que vencem em dezembro

28 de novembro de 2018
18:56
Chuva de dólares
Chuva de dólares - Imagem: Shutterstock

O Banco Central (BC) fará mais uma atuação no mercado à vista de câmbio nesta quinta-feira, completando três dias seguidos de intervenção. No entanto, o leilão de amanhã não representa injeção de dinheiro novo no mercado, mas sim a rolagem de linhas colocadas em agosto e que venceriam agora em dezembro.

Nessa modalidade de atuação, o BC oferta uma espécie de financiamento ao mercado, “emprestando” os dólares das reservas internacionais que posteriormente serão devolvidos à autoridade monetária.

O montante do leilão de quinta-feira é de US$ 1,25 bilhão, que poderá ser rolado para fevereiro ou março de 2019, a depender da demanda do mercado. Quando o BC faz a rolagem dos contratos ele se mantem “neutro” no mercado. Se as linhas previamente ofertadas fossem vencer, o efeito líquido seria de retirada de dólares no mercado, já que os agentes teriam de entregar os dólares de volta ao BC.

Na terça e quarta-feira, o BC ofertou dinheiro novo ao mercado. Ao todo foram US$ 3 bilhões em linhas, sendo que US$ 2,65 bilhões vencem em fevereiro e outros US$ 350 milhões em março.

A decisão de ofertar liquidez à vista aconteceu na noite de segunda-feira, depois de uma disparada de 2,6% na cotação do dólar, que fechou a R$ 3,92. Hoje, o dólar comercial fechou com baixa de 0,93%, a R$ 3,838.

Segundo o próprio BC, os leilões são feitos para dar liquidez ao mercado, algo que acontece normalmente em todo fim de ano desde 2011. Neste período, aumenta a demanda por moeda à vista para remessas de resultados para as empresas que estão fechando seus balanços.

Ainda faltam os swaps

Até o fim da semana, o BC também deve comunicar ao mercado a decisão sobre a rolagem dos contratos de swap cambial, que equivalem à venda de dólares no mercado futuro. Em janeiro, o volume de vencimento é US$ 10,3 bilhões. Agora em dezembro está acontecendo a rolagem integral de US$ 12,2 bilhões.

Apesar de essa ser uma atuação no mercado futuro, a lógica de impacto é a mesma. Se o BC não rolar os contratos, o efeito líquido no mercado futuro é de compra de moeda americana. Com a rolagem, o BC se mantém “neutro”, sem realizar mudanças no estoque de contratos que está na casa dos US$ 68,8 bilhões.

E pensar que faz pouco tempo, quando o dólar perdeu a linha de R$ 3,7, discutimos o que o BC faria para suavizar um esperado movimento de queda da moeda. De fato, a fama que a taxa de câmbio tem de humilhar a todos não é por acaso.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

seu dinheiro na sua noite

A vingança das sardinhas

Podia ser o título de um filme de terror, mas está mais para uma história de superação. No jargão do mercado financeiro, sardinhas são os pequenos investidores — pessoas físicas como eu e você. No mar revolto da bolsa de valores, as sardinhas costumam virar presas fáceis para os grandes investidores — ou tubarões, como […]

balanço

Pix movimenta R$ 11,8 bilhões na primeira semana de operação

Volume considera as transações realizadas entre o dia 16 de novembro, início da ferramenta, até ontem, dia 22

ainda não é oficial

Biden deve nomear Janet Yellen como secretária do Tesouro, diz jornal

Se confirmada pelo Senado, Janet Yellen será a primeira mulher a assumir a função; bolsas subiram com a notícia

fim do dia

Tudo para cima: Ibovespa fecha em alta com vacina de Oxford 70% eficaz, enquanto risco fiscal pressiona dólar e juros

Principal índice da B3 fecha no maior patamar desde 21 de fevereiro e acumula ganhos de 14% em novembro. Paralisia com reformas e crescente dívida pública instigam alta da moeda americana

Corrida contra o tempo

Moody’s: vacinação em massa tem potencial significativo de melhora do PIB global

Hoje foi a vez da AstraZeneca, que seguiu as farmacêuticas Moderna e Pfizer nas semanas anteriores, todas com eficácia na casa dos 90%.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies