Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-04-04T12:34:52-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Novo governo

Governo Bolsonaro deve fazer ‘pente-fino’ em regalias como voos da FAB, diz Onyx Lorenzoni

Para futuro ministro da Casa Civil integrantes do primeiro escalão devem se conscientizar em evitar “regalias”, utilizar voos comerciais e restringir uso de cartões corporativos

28 de dezembro de 2018
9:03 - atualizado às 12:34
Onyx Lorenzoni, ministro-chefe da Casa Civil no governo Bolsonaro
Onyx Lorenzoni - Imagem: Roberto Jayme/Estadão Conteúdo

A equipe do presidente eleito, Jair Bolsonaro, discute um pacote de medidas de corte de benefícios a ministros para ser apresentado nas primeiras semanas de 2019. Entre as propostas que o grupo considera de forte apelo popular estão a redução do uso do cartão corporativo e de aeronaves da Força Aérea Brasileira. Em conversas no governo de transição, aliados de Bolsonaro citam escândalos nos governos anteriores envolvendo cartões e viagens a lazer em aviões da FAB.

Em entrevista nesta quinta-feira, 27, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), o futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse que, por enquanto, há apenas uma recomendação para que os integrantes do primeiro escalão evitem "regalias".

A sugestão é que os futuros ministros não usem os aviões da FAB especialmente em deslocamentos nos fins de semana a cidades onde possuem residência.

"É um pacto que estamos fazendo para reduzir drasticamente o uso das aeronaves da FAB", disse.

"Todos nós vamos seguir o exemplo do presidente Jair Bolsonaro e andar em avião de carreira, a não ser que seja imprescindível", afirmou.

Lorenzoni se referiu ao período de campanha, quando Bolsonaro viajou apenas em voos comerciais. Depois das eleições, o presidente eleito, por recomendação da segurança, só viaja em aviões da FAB.

A equipe de transição ainda avalia se pretende acabar com cartões corporativos ou restringir seu uso. O futuro ministro da Casa Civil disse que as mudanças serão feitas com "critérios", com base em consultas à Advocacia-Geral da União e à Controladoria-Geral.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

De onde vem o dinheiro?

Governo confirma Auxílio Brasil em R$ 400, mas sem revelar de onde vai tirar o dinheiro para bancar o benefício

O ministro da Cidadania não respondeu às perguntas da imprensa nem confirmou a fonte de renda para o novo programa social, o que é a grande preocupação dos mercados

O que vem depois da lua?

Depois do recorde: até onde vai a alta do bitcoin? Especialista em criptomoedas responde

Depois da aprovação do primeiro ETF em criptomoedas, o bitcoin (BTC) não para de subir e as estimativas são otimistas — mas os EUA podem mudar o jogo

Analistas respondem

Ações da Vale aprofundam queda com sinais ruins do relatório de produção e vendas no 3º trimestre. Hora de comprar VALE3?

Analistas apontam que, enquanto a produção foi sólida, a venda de minério de ferro veio abaixo do esperado até pelas estimativas mais conservadoras

Puxando os ETFS

Chove bitcoin, molha ETF: fundos de índice brasileiros sobem até 19% em dia de recorde do BTC

Enquanto o primeiro ETF de criptomoeda dos Estados Unidos avança tímidos 3%, na B3, o avanço é de até 19,78%

Cabo de guerra

Sem explicar origem da verba, Bolsonaro confirma Auxílio Brasil em R$ 400 e promete respeitar teto de gastos

Apesar da promessa do presidente, o governo flerta com a flexibilização do teto para conseguir arcar com o valor do benefício

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies