💰IPCA + 8% e outros títulos ‘premium’: receba as melhores ofertas de renda fixa no seu WhatsApp

Cotações por TradingView
2019-04-04T12:34:52-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Novo governo

Governo Bolsonaro deve fazer ‘pente-fino’ em regalias como voos da FAB, diz Onyx Lorenzoni

Para futuro ministro da Casa Civil integrantes do primeiro escalão devem se conscientizar em evitar “regalias”, utilizar voos comerciais e restringir uso de cartões corporativos

28 de dezembro de 2018
9:03 - atualizado às 12:34
Onyx Lorenzoni, ministro-chefe da Casa Civil no governo Bolsonaro
Onyx Lorenzoni - Imagem: Roberto Jayme/Estadão Conteúdo

A equipe do presidente eleito, Jair Bolsonaro, discute um pacote de medidas de corte de benefícios a ministros para ser apresentado nas primeiras semanas de 2019. Entre as propostas que o grupo considera de forte apelo popular estão a redução do uso do cartão corporativo e de aeronaves da Força Aérea Brasileira. Em conversas no governo de transição, aliados de Bolsonaro citam escândalos nos governos anteriores envolvendo cartões e viagens a lazer em aviões da FAB.

Em entrevista nesta quinta-feira, 27, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), o futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse que, por enquanto, há apenas uma recomendação para que os integrantes do primeiro escalão evitem "regalias".

A sugestão é que os futuros ministros não usem os aviões da FAB especialmente em deslocamentos nos fins de semana a cidades onde possuem residência.

"É um pacto que estamos fazendo para reduzir drasticamente o uso das aeronaves da FAB", disse.

"Todos nós vamos seguir o exemplo do presidente Jair Bolsonaro e andar em avião de carreira, a não ser que seja imprescindível", afirmou.

Lorenzoni se referiu ao período de campanha, quando Bolsonaro viajou apenas em voos comerciais. Depois das eleições, o presidente eleito, por recomendação da segurança, só viaja em aviões da FAB.

A equipe de transição ainda avalia se pretende acabar com cartões corporativos ou restringir seu uso. O futuro ministro da Casa Civil disse que as mudanças serão feitas com "critérios", com base em consultas à Advocacia-Geral da União e à Controladoria-Geral.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

DE OLHO NAS REDES

China deu “empurrãozinho” e fez esta ação decolar em novembro; agora ela é a favorita das corretoras para quem quer lucrar antes do fim de 2022; descubra

7 de dezembro de 2022 - 14:56

Ainda dá tempo de lucrar antes do fim de 2022. Afinal, não é porque o ano está acabando que você tem que ficar de bobeira, ainda existem boas oportunidades que podem colocar uma grana no seu bolso até dia 31 de dezembro e o Seu Dinheiro te revela duas delas.  Em uma publicação exclusiva na […]

MAIS BARATO

Depois de gasolina e diesel, Petrobras (PETR4) reduz preço do gás de cozinha em quase 10% para as distribuidoras; veja novos valores

7 de dezembro de 2022 - 14:50

Em um comunicado da estatal enviado à imprensa, a empresa afirma que a partir de amanhã haverá uma redução de R$ 3,58 para R$ 3,23 por quilo

Atualização

Tesouro Direto passa a aceitar PIX e a ser acessado com cadastro Gov.br

7 de dezembro de 2022 - 14:29

Programa de investimento em títulos públicos do Tesouro Nacional lançou cadastro unificado que simplifica o registro de novos investidores

ALÔ, FANTÁSTICO!

De novo? Loft faz terceira demissão em massa somente neste ano — novo corte atinge mais de 300 funcionários

7 de dezembro de 2022 - 13:38

Segundo a empresa, o novo corte acontece em razão da “reorganização” dos negócios. Em abril, a Loft demitiu cerca de 159 funcionários

BRINDE AOS ACIONISTAS

Dividendos e JCP: Ambev (ABEV3) anuncia pagamento de proventos; confira valores e prazos

7 de dezembro de 2022 - 12:21

A gigante de bebidas irá pagar R$ 0,76 por ação em JCP, mas o valor líquido cai com os 15% de imposto de renda retidos na fonte

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies