2018-10-06T21:58:15-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Eleições 2018

Datafolha aponta que eleição terá segundo turno entre Bolsonaro e Haddad

Candidato do PSL subiu para 36% das intenções de voto, enquanto o petista se manteve com 22%

6 de outubro de 2018
21:00 - atualizado às 21:58
Jair Bolsonaro e Fernando Haddad - Imagem: Montagem: Victor Matheus

Parece que vai dar segundo turno entre PSL e PT. O Datafolha divulgou neste sábado, 6, sua última pesquisa de intenção de voto para presidente antes do primeiro turno. De acordo com o levantamento, Jair Bolsonaro (PSL) atingiu 36% das intenções de voto. Fernando Haddad (PT) se manteve com 22%, enquanto Ciro Gomes (PDT) oscilou dois pontos para cima e atingiu 13%.

Veja os números completos:

Jair Bolsonaro (PSL): 36%
Fernando Haddad (PT): 22%
Ciro Gomes (PDT): 13%
Geraldo Alckmin (PSDB): 7%
Marina Silva (REDE): 3%
João Amoêdo (NOVO): 3%
Alvaro Dias (PODE): 2%
Henrique Meirelles (MDB): 2%
Cabo Daciolo (PATRI): 1%
Guilherme Boulos (PSOL): 1%
Vera (PSTU): 0%
João Goulart Filho (PPL): 0%
Eymael (DC): 0%
Em branco/nulo/nenhum: 6%
Não sabe: 4%

Votos válidos confirmam segundo turno

O Datafolha também fez um levantamento dos votos válidos, que desconsidera os votos Brancos, Nulos e indecisos. É esse parâmetro que o TSE utiliza para definir o resultado oficial das urnas e a possibilidade de um segundo turno. Nesse levantamento, Bolsonaro aparece com 40% das intenções de voto, enquanto Haddad tem 25% e Ciro 13%.

Veja os números:

Jair Bolsonaro (PSL): 40%
Fernando Haddad (PT): 25%
Ciro Gomes (PDT): 15%
Geraldo Alckmin (PSDB): 8%
Marina Silva (REDE): 3%
João Amoêdo (NOVO): 3%
Alvaro Dias (PODE): 2%
Henrique Meirelles (MDB): 2%
Cabo Daciolo (PATRI): 1%
Guilherme Boulos (PSOL): 1%
Vera Lúcia (PSTU): 0%
João Goulart Filho (PPL): 0%
Eymael (DC): 0%

Rejeição

Bolsonaro e Haddad chegam ao fim do primeiro turno com as maiores taxas de rejeição entre o eleitorado. Segundo o Datafolha, 44% da população rejeita o candidato do PSL, enquanto 41% rejeita o petista.

Veja os números:

Jair Bolsonaro (PSL): 44%
Fernando Haddad (PT): 41%
Marina Silva (REDE): 31%
Geraldo Alckmin (PSDB): 24%
Ciro Gomes (PDT): 21%
Henrique Meirelles (MDB): 15%
Guilherme Boulos (PSOL): 15%
Cabo Daciolo (PATRI): 15%
Alvaro Dias (PODE): 15%
Eymael (DC): 14%
Vera (PSTU): 13%
João Amoêdo (NOVO): 12%
João Goulart Filho (PPL): 12%
Não sabe: 3%
Votaria em qualquer um/ não rejeita nenhum: 1%
Rejeita todos/ não votaria em nenhum: 2%

Simulações de segundo turno

Foram feitas quatro simulações de segundo turno entre os candidatos mais bem posicionados na primeira etapa. Se a eleição fosse hoje, Bolsonaro estaria tecnicamente empatado com Haddad, Alckmin e Ciro.

Bolsonaro 45% x 43% Haddad (branco/nulo: 10%; não sabe: 2%)
Ciro 47% x 43% Bolsonaro (branco/nulo: 8%; não sabe: 2%)
Bolsonaro 43% x 41% Alckmin (branco/nulo: 13%; não sabe: 2%)
Alckmin 41% x 38% Haddad (branco/nulo: 18%; não sabe: 2%)

O Datafolha ouviu 19.552 eleitores entre 5 e 6 de outubro, e a pesquisa tem uma margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Clique aqui e receba a nossa newsletter diariamente
Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Tendências da bolsa

AGORA: Ibovespa futuro recua com novos temores sobre a covid-19 no mundo e dólar também cai

Os investidores permanecem de olho na votação da PEC dos precatórios na CCJ do Senado, marcada para esta terça-feira (30)

O melhor do Seu Dinheiro

Ômicron de “A” a “Z”, dividendos, balanço da Black Friday e outros destaques

A variante ômicron recebeu este nome para evitar maiores conflitos de linguagem, mas Matheus Spiess vai além da semântica em sua análise

A BOLSA HOJE

Esquenta dos mercados: notícia sobre possível baixa eficácia das vacinas contra ômicron derruba mercados, em dia de discurso de Powell e votação dos precatórios

O investidor local ainda permanece de olho nas falas de Roberto Campos Neto e Paulo Guedes em eventos separados hoje

SÓ NO SAPATINHO

Dividendos: Arezzo (ARZZ3) vai distribuir R$ 60 milhões aos acionistas; veja como participar

Serão R$ 33,78 milhões em JCP e R$ 26,22 milhões em dividendos a serem depositados até 31 de janeiro de 2022

INCERTEZAS NO RADAR

CEO da Moderna levanta dúvidas sobre eficácia de vacinas contra a ômicron e provoca reação negativa nos mercados

Stéphane Bancel disse que cientistas consultados por ele esperam ‘queda significativa’ na eficácia dos imunizantes contra a nova cepa