Menu
2018-10-29T18:20:02-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Mercados

‘Canelada’ sobre papel do BC azeda festa de Bolsonaro no mercado

Declarações desencontradas sobre meta para câmbio e juros reforçam necessidade de Paulo Guedes assumir articulação dos temas relacionados à agenda econômica

29 de outubro de 2018
15:29 - atualizado às 18:20
Onyx Lorenzoni, ministro-chefe da Casa Civil no governo Bolsonaro
Onyx Lorenzoni, futuro ministro de Bolsonaro, fala sobre papel do BC - Imagem: Roberto Jayme/Estadão Conteúdo

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, e sua equipe ainda não entenderam que a campanha acabou e que suas falas, agora, são descontadas a “valor de face”. Não há mais espaço para complacência com eventuais “caneladas”.

Boa parte da virada de humor nos mercados nesta segunda-feira está relacionada com declarações desencontradas do deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), à agência “Reuters”, envolvendo uma possível definição de metas de inflação e de juros para o Banco Central (BC). Lorenzoni também teria falado em dar maior previsibilidade à taxa de câmbio.

O Banco Central opera com uma meta, inflação, e com um instrumento, a taxa de juros. Sugerir que o BC passaria a ter meta de juros ou algo parecido ou mesmo que buscaria um câmbio mais previsível, passa longe da agenda liberal defendida pela candidatura ao longo da campanha.

Existem algumas regras não escritas, mas que quando seguidas facilitam a comunicação do governo com o mercado e com a sociedade. Uma delas é que ministros da área política evitem ao máximo tratar de assuntos fora de sua alçada, como atribuições do Banco Central, por exemplo.

Mesmo como “coordenador de tudo”, seria prudente que Lorenzoni buscasse alinhar posições com Paulo Guedes. Mas o ideal mesmo seria o próprio Guedes assumir toda a articulação e comunicação de assuntos da agenda econômica.

Antes disso, no sábado, o próprio Bolsonaro, em entrevista ao “Poder 360”, disse que o BC teria liberdade para decidir, mas dentro de certos parâmetros, e que teriam de ser estabelecidas metas para dólar e inflação.

Depois de um período de silêncio, Guedes voltou a falar sobre economia, ontem, mas apenas reiterou diretrizes que são bem conhecidas, como o controle de gastos públicos, privatizações buscando redução do déficit primário, e uma simplificação e redução de impostos.

O que se busca, agora, são indicações mais claras de como esse desenho econômico será colocado em marcha e com qual equipe.

Não seria justo colocar na conta do deputado toda a virada de humor de mercado, alguma correção nos preços depois dos ganhos na semana passada era esperada e o quadro externo continua inspirando cuidado.

Quer ser o primeiro a saber sobre o que afeta os seus investimentos? Então clique aqui e cadastre-se na newsletter do Seu Dinheiro.

Leia também:

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Negócio fechado

Petrobras assina venda de sua fatia de 50% no campo terrestre de Rabo Branco

O campo teve produção média em 2020 de 131 barris de petróleo por dia (bpd).

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

O Fundo Verde e a tragédia grega do Brasil

Ao despertar a fúria de Zeus por ter entregue o fogo do Olimpo aos mortais, Prometeu foi acorrentado e punido: durante o dia, uma águia devorava seu fígado; durante a noite, o órgão se regenerava — um ciclo de tormento eterno. Tragédias gregas, infelizmente, costumam ser úteis ao falarmos sobre o Brasil. Reformas econômicas demandam […]

FECHAMENTO

Commodities amenizam a queda da bolsa, mas exterior negativo e nova crise em Brasília falam mais alto

As commodities mais uma vez tentaram salvar a bolsa brasileira de um dia no vermelho, mas o exterior negativo e a cautela em Brasília falaram mais alto

Presidente otimista

EUA devem ter retomada econômica mais rápida em quase 40 anos, diz Biden

Segundo o democrata, o foco de seu governo se manterá em criar empregos e combater a pandemia de covid-19

Gestão na crise

Brasil vive uma espécie trágica de dia da marmota, diz Verde Asset

Navegar os mercados locais vem sendo uma odisseia extremamente complexa e nada indica que vai melhorar, diz a gestora de Luis Stuhlberger

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies