Menu
2018-10-13T10:40:12-03:00
Luis Ottoni
Luis Ottoni
Jornalista formado pela Universidade Mackenzie e pós-graduando em negócios pela Fundação Getúlio Vargas. Atuou nas editorias de economia nos portais G1, da Rede Globo, e iG.
Na contramão

Bolsonaro volta a dizer que não vai privatizar estatais estratégicas

Durante transmissão em suas redes sociais, presidenciável voltou a dizer que não vai privatizar bancos públicos e hidrelétrica

13 de outubro de 2018
10:40
Jair Bonsonaro
Bolsonaro voltou a dizer que não vai privatizar estatais estratégicas - Imagem: Igo Estrela/Estadão Conteúdo

O candidato à Presidência do PSL, Jair Bolsonaro, voltou a tocar na ferida que causou 'dores' ao mercado no início desta semana. Em uma transmissão ao vivo no seu Facebook, o presidenciável disse defender a não privatização de empresas estatais "estratégicas". Ele citou Banco do Brasil, Caixa Econômica e Furnas como algumas delas das quais não abriria mão.

"Temos 150 estatais. No primeiro ano, umas 50 que foram criadas pelo PT vamos mandar para o espaço. Para outras 50, vai ter que ter critério, um modelo com responsabilidade, talvez uma golden share,", disse Bolsonaro. "O que for estratégico não pode privatizar", repetiu, citando os bancos públicos e a hidrelétrica.

No início desta semana, o mercado financeiro reagiu mal a comentários de Bolsonaro sobre as "estratégicas", cuja manutenção vai na direção oposta da cartilha liberal de seu guru econômico, Paulo Guedes. Entre as mais afetadas pelas declarações, estiveram Eletrobras e a Petrobras, cujos papéis perderam, respectivamente, 9,1% e 3,7% de seu valor na última segunda-feira.

Mesmo em contradição

Apesar das discordâncias, o presidenciável negou problemas com Guedes ou com a cúpula do partido. "Não estou batendo de frente com Paulo Guedes de jeito nenhum. Concordo com 90% do que ele diz e ele concorda 90% do nosso lado. Está bem encaminhado esse casamento."

Bolsonaro fez a "live" acompanhado de Luiz Philippe de Orleans e Bragança, eleito deputado federal por São Paulo pelo PSL. Na transmissão, ele não comentou a tentativa do ex-prefeito e candidato do PSDB ao governo de São Paulo, João Doria, de encontrá-lo esta tarde. Doria viajou ao Rio para ir a casa do empresário Paulo Marinho, onde iria gravar nesta sexta-feira. O presidenciável, no entanto, cancelou a gravação alegando indisposição.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Casamento à vista?

Linx e Stone negociam fusão; ações disparam

Os papéis da Linx (LINX3) dispararam mais de 30% na B3 após o anúncio, feito por meio de um fato relevante encaminhado na hora do almoço; os papéis da Stone, listados na Nasdaq, também subiam forte

financial journey

Como sair agora da renda fixa?

Dara Chapman vai contar só para você como diversificar seus investimentos agora

resultado positivo

Rentabilidade de 4,90% do FGTS em 2019 supera inflação, poupança e dólar

O valor será repartido de forma proporcional aos saldos de cada conta do FGTS e o depósito ocorrerá até o dia 31 de agosto

saque liberado

Conselho do FGTS aprova distribuição de R$ 7,5 bi de lucro aos trabalhadores

O montante equivale a 66,23% do resultado global do FGTS em 2019, que foi superavitário em R$ 11,324 bilhões

expandindo horizontes

Azul lança nova empresa de aviação regional e quer chegar a 200 cidades

A cerimônia de lançamento foi em Jundiaí e contou com a presença de profissionais e executivos da empresa e representantes do governo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements