⚽️ Jogos das quartas-de-final começam a se desenhar; confira os dias da próxima fase

Cotações por TradingView
2019-04-04T12:34:43-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Novo governo

Bolsonaro defende legislação trabalhista ‘informal’

Bolsonaro voltou a dizer que ser patrão no Brasil “é um tormento” e indicou que há necessidade de mexer em direitos trabalhistas, como férias e 13º dos funcionários

13 de dezembro de 2018
6:46 - atualizado às 12:34
Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro - Imagem: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, afirmou que pretende mudar a legislação trabalhista para aproximá-la da "informalidade". Em reunião com parlamentares do DEM, também criticou a atuação do Ministério Público do Trabalho e de ambientalistas em contraposição ao avanço do agronegócio.

"No que for possível, sei que está engessado no artigo sétimo (da Constituição), mas tem que se aproximar da informalidade", declarou nessa quarta-feira, 12, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB). O artigo 7º trata dos direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, como férias e décimo terceiro.

Bolsonaro falou sobre o assunto ao fazer críticas ao PT e ao Bolsa Família. Ele disse ser favorável ao programa, mas destacou que deve possibilitar formas de saída e oportunidades de emprego.

Ele também afirmou, ao se referir ao Ministério Público do Trabalho (MPT), que "se tiver clima a gente resolve esse problema". Bolsonaro disse que "não dá mais para quem produz ser vítima de ações de uma minoria, mas de uma minoria atuante".

O presidente eleito criticou a decisão do MPT por pedir multa de R$ 100 milhões da empresa Havan e de seu dono, Luciano Hang, por suposta coação de funcionários durante período eleitoral para apoiarem Bolsonaro. "O Luciano Hang está com uma multa de 100 milhões porque teria aliciado funcionários a votarem em mim. Como é que os caras conseguem bolar um negócio desses?", questionou.

Ele disse, mais uma vez, que "ser patrão no Brasil é um tormento". "Eu poderia ter microempresa, mas sei das consequências depois se meu negócio der errado. Devemos mudar isso daí."

Também defendeu que os patrões e as empresas sejam tratados como amigos. "Nós queremos que tenha fiscalização sim, mas que chegue no órgão a ser fiscalizado e que a empresa seja atendida como amiga. Vê o que está errado, faz observações, dá um prazo, e depois volta pra ver se a exigência foi atingida. E aí multa. Não fazer como está aí. Ser patrão no Brasil é um tormento."

Na semana passada, Bolsonaro já havia dito que é preciso mudar "o que for possível" na legislação trabalhista, mas não detalhou quais pontos quer priorizar. Ele defendeu um aprofundamento da reforma trabalhista já aprovada pelo governo Michel Temer a diversos partidos que se reuniram com ele no CCBB.

Bolsonaro repetiu a afirmação de que "é difícil ser patrão no Brasil". "Nós temos direitos demais e empregos de menos, tem que chegar a um equilíbrio. A reforma aprovada há pouco tempo já deu uma certa tranquilidade, um certo alívio ao empregador e repito o que falei ontem: é difícil ser patrão no Brasil", reforçou.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Entrevista exclusiva

Na ClearSale (CLSA3), um plano para pôr ordem na casa e retomar a confiança do mercado — mas sem descuidar das fraudes

6 de dezembro de 2022 - 7:11

Bernardo Lustosa, CEO da ClearSale, falou com o Seu Dinheiro sobre o atual momento da companhia e a retomada dos principais indicadores financeiros após um período turbulento

MERCADOS AGORA

Esquenta dos mercados: Bolsas internacionais caem com chances de Fed mais agressivo contra inflação; Ibovespa acompanha sessão no Senado sobre a PEC da Transição

6 de dezembro de 2022 - 7:09

RESUMO DO DIA: Após golear a Coreia do Sul e garantir uma vaga nas quatas de final, o Brasil volta seus olhos para outros eventos. Pela manhã, a CCJ do Senado deve analisar o texto da PEC da transição. Ontem (05), o mercado se viu diante de uma possibilidade de gastos no valor de quase […]

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

Entre a cautela e a moderação, Copom reúne-se pela última vez em 2022

6 de dezembro de 2022 - 6:00

Apesar da tensão do mercado, Copom deve manter a taxa Selic inalterada; com isso, a atenção se volta para as possíveis interpretações do comunicado

LOTERIAS

Quina acumula, mas Lotofácil tem 7 ganhadores; será que você é um deles?

6 de dezembro de 2022 - 5:54

Cada bilhete premiado da Lotofácil dará direito a mais de R$ 600 mil. Já a Quina acumulou novamente e oferece prêmio de R$ 1,3 milhão hoje.

COSTURANDO ALIANÇAS

Colocou contra a parede? O que o enviado de Biden disse a Lula na visita ao Brasil

5 de dezembro de 2022 - 20:27

O presidente eleito foi convidado, em nome do presidente dos EUA, a visitar Washington; saiba se ele vai

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies