Menu
2019-04-04T13:54:22-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Luis Ottoni
Luis Ottoni
Jornalista formado pela Universidade Mackenzie e pós-graduando em negócios pela Fundação Getúlio Vargas. Atuou nas editorias de economia nos portais G1, da Rede Globo, e iG.
Bolsa

Maré mais tranquila no exterior puxa Ibovespa, que encerra semana em alta de quase 2%

Melhora no cenário de risco por conta da guerra comercial entre China e EUA trouxe de volta o interesse pelo mercado local

21 de setembro de 2018
17:00 - atualizado às 13:54
Donald Trump, presidente dos EUA, e Xi Jinping, presidente da China
Guerra comercial entre EUA e China robou os holofotes do mercado durante toda semana. - Imagem: Shutterstock

O principal índice da Bolsa de São Paulo fechou a semana em alta de 1,70% com o mercado surfando uma maré positiva nos últimos dias. O Ibovespa chegou ao fim do pregão desta sexta-feira aos 79.444 pontos depois de flertar ao meio do dia com os 80 mil.

Uma série de notícias positivas alimentou o apetite dos investidores pelos ativos brasileiros. Lá fora, é cada vez maior a perspectiva de que a guerra comercial entre Estados Unidos e China caminhe para um ambiente de trégua. Já aqui no Brasil, o cenário eleitoral faz preço nas ações com o resultado das urnas, apesar de em aberto, ficando cada vez mais claro.

Tudo azul na gringa

O ambiente do mercado internacional começa a caminhar para um cenário mais positivo. Os investidores reverteram parte de suas perspectivas de risco por conta da guerra comercial entre EUA e China. Como os ataques e as decisões vieram bem menos agressivas do que o esperado, as bolsas lá fora começaram a relativizar o risco desse confronto.

Todo esse movimento acabou se tornando o protagonista da semana nos negócios brasileiros, já que por aqui as eleições sem grandes novidades deixaram (por ora) de ser a grande prioridade.

Bolsonaro x Haddad

O cenário ainda segue em aberto e tudo pode acontecer até o dia 7 de outubro. Mas as tendências nas pesquisas apontam cada vez mais na direção de um segundo turno entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). O deputado leva hoje as preferências do mercado em um cenário sem Geraldo Alckmin (PSDB), mas os acenos do candidato petista à uma agenda mais moderada e de compromissos fiscais também despertam o interesse.

Vale lembrar que ontem o debate na TV Aparecida, com Haddad e sem Bolsonaro, foi tão morno que não teve um desdobramento que pudesse afetar o mercado hoje.

Brexit em risco

No exterior, o mercado passou a olhar mais de perto o cenário político no Reino Unido. A libra perdeu força depois que líderes da União Europeia alertaram a primeira-ministra, Theresa May, que devem segurar o Brexit caso ela não negocie um acordo de comércio com a Irlanda, que optou por não sair do bloco. Esse novo capítulo da novela já vinha se estendendo ao longo da semana e ganhou força na quinta-feira.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Os juros vão subir?

Mercado eleva projeção para a Selic após reunião do Copom

A mediana das previsões para a taxa básica de juros neste ano subiu de 3,25% para 3,50% ao ano, de acordo com o relatório Focus, divulgado pelo Banco Central

Dinheiro no bolso

Banco do Brasil anuncia percentual do lucro que vai pagar em dividendos em 2020 e 2021

Banco pretende distribuir 35,29% do lucro líquido do ano de 2020 aos acionistas e 40% do resultado deste ano

Seu Dinheiro na sua manhã

Pendurados em São Pedro

O desempenho pífio da economia brasileira nesta última década, quem diria, pode ter nos livrado de um grande problema: um novo racionamento de energia. A ameaça vem desde 2013, quando o país passou a consumir um volume muito grande de energia das hidrelétricas, o que derrubou o nível dos reservatórios — mais uma herança do […]

Pré-mercado

Em dia de feriado na B3, bolsas internacionais reagem a notícias sobre covid-19 e balanços

Semana nas bolsas será marcada pela divulgação dos balanços dos pesos pesadíssimos da tecnologia Microsoft, Apple, Facebook, Tesla e Amazon

Mais uma baixa

Wilson Ferreira Junior vai deixar a presidência da Eletrobras

A saída do presidente da Eletrobras enfraquece ainda mais a ala liberal do governo Bolsonaro e deve jogar ainda mais terra no plano de privatização da companhia

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies