Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-04-04T13:54:22-03:00
Fernando Pivetti
Fernando Pivetti
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP). Foi repórter setorista de Banco Central no Poder360, em Brasília, redator no site EXAME e colaborou com o blog de investimentos Arena do Pavini.
Luis Ottoni
Luis Ottoni
Jornalista formado pela Universidade Mackenzie e pós-graduando em negócios pela Fundação Getúlio Vargas. Atuou nas editorias de economia nos portais G1, da Rede Globo, e iG.
Bolsa

Maré mais tranquila no exterior puxa Ibovespa, que encerra semana em alta de quase 2%

Melhora no cenário de risco por conta da guerra comercial entre China e EUA trouxe de volta o interesse pelo mercado local

21 de setembro de 2018
17:00 - atualizado às 13:54
Donald Trump, presidente dos EUA, e Xi Jinping, presidente da China
Guerra comercial entre EUA e China robou os holofotes do mercado durante toda semana. - Imagem: Shutterstock

O principal índice da Bolsa de São Paulo fechou a semana em alta de 1,70% com o mercado surfando uma maré positiva nos últimos dias. O Ibovespa chegou ao fim do pregão desta sexta-feira aos 79.444 pontos depois de flertar ao meio do dia com os 80 mil.

Uma série de notícias positivas alimentou o apetite dos investidores pelos ativos brasileiros. Lá fora, é cada vez maior a perspectiva de que a guerra comercial entre Estados Unidos e China caminhe para um ambiente de trégua. Já aqui no Brasil, o cenário eleitoral faz preço nas ações com o resultado das urnas, apesar de em aberto, ficando cada vez mais claro.

Tudo azul na gringa

O ambiente do mercado internacional começa a caminhar para um cenário mais positivo. Os investidores reverteram parte de suas perspectivas de risco por conta da guerra comercial entre EUA e China. Como os ataques e as decisões vieram bem menos agressivas do que o esperado, as bolsas lá fora começaram a relativizar o risco desse confronto.

Todo esse movimento acabou se tornando o protagonista da semana nos negócios brasileiros, já que por aqui as eleições sem grandes novidades deixaram (por ora) de ser a grande prioridade.

Bolsonaro x Haddad

O cenário ainda segue em aberto e tudo pode acontecer até o dia 7 de outubro. Mas as tendências nas pesquisas apontam cada vez mais na direção de um segundo turno entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). O deputado leva hoje as preferências do mercado em um cenário sem Geraldo Alckmin (PSDB), mas os acenos do candidato petista à uma agenda mais moderada e de compromissos fiscais também despertam o interesse.

Vale lembrar que ontem o debate na TV Aparecida, com Haddad e sem Bolsonaro, foi tão morno que não teve um desdobramento que pudesse afetar o mercado hoje.

Brexit em risco

No exterior, o mercado passou a olhar mais de perto o cenário político no Reino Unido. A libra perdeu força depois que líderes da União Europeia alertaram a primeira-ministra, Theresa May, que devem segurar o Brexit caso ela não negocie um acordo de comércio com a Irlanda, que optou por não sair do bloco. Esse novo capítulo da novela já vinha se estendendo ao longo da semana e ganhou força na quinta-feira.

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Balanço

Santander tem lucro de R$ 4,3 bilhões no 3º trimestre, acima do esperado, e com retorno recorde

Resultado da unidade brasileira do banco espanhol representa um avanço de 12,5% em relação ao mesmo período de 2020 e superou mais uma vez a projeção média do mercado

O RUÍDO PERSISTE

Renda mínima permanente? Presidente da Câmara dá a entender que Auxílio Brasil pode se tornar política contínua

Expectativa é de que a mera menção a um programa de renda mínima permanente mantenha a pressão sobre os ativos financeiros locais

Quem dá mais?

A CCR (CCRO3) e o leilão da Dutra: o que está em jogo para a companhia?

A CCR (CCRO3) administra a Dutra desde 1996. Mas, com o novo leilão marcado para essa sexta (26), a empresa pode perder a concessão

ÚLTIMO ADEUS?

De malas prontas para deixar a B3, Banco Inter (BIDI11) reverte prejuízo em lucro líquido de R$ 19,2 milhões no terceiro trimestre

O banco digital também celebrou a marca de 14 milhões de clientes no período, um salto de 94% na comparação com o terceiro trimestre de 2020

Tecnologia em foco

As big techs na balança: veja como foi o trimestre de Google, Microsoft e Twitter

Três das principais big techs americanas reportaram seus balanços nesta noite; veja como se saíram Alphabet/Google, Microsoft e Twitter

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies