Menu
2018-10-30T12:31:14-03:00
O QUE DIZ O NOVO VICE-PRESIDENTE

‘Nós somos irmãos siameses’, diz Mourão sobre Bolsonaro

Eleito vice-presidente da República na chapa de Jair Bolsonaro (PSL), o general da reserva Hamilton Mourão (PRTB) disse que se considera um assessor privilegiado no novo governo

30 de outubro de 2018
12:26 - atualizado às 12:31
hamilton-mourao
Hamilton Mourão - Imagem: Shutterstock

Eleito vice-presidente da República na chapa de Jair Bolsonaro (PSL), o general da reserva Hamilton Mourão (PRTB) afirmou ao jornal "O Estado de S. Paulo" que se considera um "assessor privilegiado" do novo governo. "Sou um assessor eleito. É diferente dos ministros, que podem ser escalados e 'desescalados' a qualquer momento. Eu não posso ser 'desescalado'", disse Mourão.

Segundo o vice, ele e Bolsonaro são "irmãos siameses". "Estamos juntos mesmo." Durante a campanha, no entanto, o então candidato a vice causou polêmica ao afirmar que a elaboração de uma nova Constituição não precisaria passar por eleitos e ao sugerir um "autogolpe" foi desautorizado por Bolsonaro. "Ele é general, eu sou capitão. Mas eu sou o presidente", disse o presidenciável na época. Veja a seguir a opinião de Mourão sobre alguns temas importantes.

Governo Bolsonaro: "O governo deve ser austero, aquele que bota a moedinha no cofrinho, que faz uma viagem e não leva cem pessoas. Tem que ser o governo da economia, da austeridade. O governo do exemplo, no qual o presidente fala e faz. Governo que não pactua com a corrupção, um governo em que o relacionamento com os demais Poderes e demais entes da Federação se dê em torno das ideias, dos programas, dos objetivos, e naquele toma lá, dá cá que vinha acontecendo."

Papel do vice: "Sou um assessor privilegiado, porque sou um assessor eleito. É diferente dos ministros, que podem ser escalados e 'desescalados' a qualquer momento. Eu não posso ser 'desescalado'. Nós somos irmãos siameses, eu e ele (Bolsonaro). Estamos juntos mesmo. E ele já tinha sinalizado que me colocaria em outras tarefas. O que vejo mais é auxiliá-lo na tomada de decisões, cooperando em trabalhos interministeriais. Não precisa ser função oficial, mas de pequenos conselhos."

Chegada ao poder: "Desde os protestos de 2013 há uma onda moralizadora por parte da população, que começou a se mostrar farta com os desmandos nos diversos níveis de governo, principalmente ligados à corrupção, desvio de recursos, obras inacabadas. Isso foi aumentando, até que apareceu alguém capaz de representar no meio político esse sentimento, e esse alguém é o Bolsonaro."

Palácio do Jaburu: "Vamos ver se vou para o Jaburu. O presidente pode querer morar lá e eu vou ter de morar em outro lugar. Dizem que o Alvorada está sendo submetido a uma nova reforma e que é meio difícil de habitar. Mas vou reduzir a estrutura da Vice-Presidência."

Ações em universidades: "Também somos contra o fascismo, estamos empatados com eles (universitários). Alguém determinou que a polícia entrasse. Não considero censura e depois o STF (Supremo Tribunal Federal) derrubou isso."

Maioridade penal: "Isso não é para ladrão de chinelos. É para quem comete crime hediondo. No Rio teve caso recente de um rapaz com 17 anos que esfaqueou e matou um médico que estava andando de bicicleta na Lagoa, ficou três, quatro meses preso, o que não sai no registro dele, e depois já matou mais duas pessoas. Algo tem que ser feito para coibir isso aí."

PRTB: "Não fizemos exigência. Mas, obviamente, vamos buscar ter algum espaço como partido no governo Bolsonaro. Pode ser um ministério ou uma secretaria, algo do gênero."

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Leia também:

O vice de Bolsonaro surpreendeu o mercado financeiro 

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Petrobras à beira da privatização

Caro leitor, São grandes as expectativas do mercado em torno das vendas de ativos estatais para o setor privado durante o governo Jair Bolsonaro. Recentemente, o secretário especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados, Salim Mattar, disse que a meta do governo federal é levantar R$ 150 bilhões em privatizações apenas em 2020. Mas Bolsonaro já […]

De volta aos 118 mil pontos

Noticiário corporativo dá as cartas e Ibovespa sobe mais de 1%; dólar cai a R$ 4,17

Num dia de calmaria no exterior, o Ibovespa fechou em alta firme, impulsionado pelo bom desempenho das ações das siderúrgicas, da Eletrobras e do setor de papel e celulose.

PETRÓLEO

Campo de Lula permanece em 2019 como o maior produtor de petróleo do Brasil

Primeiro campo supergigante brasileiro, Lula foi descoberto em 2006, representando hoje 34,2% da produção do País

PETRÓLEO

Produção de petróleo no Brasil cresce 7,78% em 2019, diz ANP

A maior alta foi registrada pela produção de petróleo na região do pré-sal, de 21,56%, para 633,9 milhões de barris, segundo agência

MAIS ESCLARECIMENTOS

Contrato para abrir ‘caixa-preta’ é da gestão Temer, diz presidente do BNDES

“Não foi esta diretoria que contratou a auditoria. Chegamos em julho no banco e 90% do relatório estava pronto”, afirmou Montezano

OLHO NO VAREJO

XP diz que ações de varejistas não estão caras e coloca Lojas Renner, Via Varejo e Vivara entre as apostas para setor

Para o analista, a alta nos múltiplos é reflexo do aumento das expectativas dos investidores com a melhora do consumo e expansão das varejistas. Mas ponderou que, ao mesmo tempo, tal fato diminui a margem de erro por parte das empresas

Altas e baixas

Eletrobras, siderúrgicas, Marfrig, JBS e Klabin: os destaques do Ibovespa nesta quarta-feira

As ações da Eletrobras reagiram positivamente à recomendação de compra pelo Itaú BBA. Siderúrgicas e Klabin também subiram, enquanto Marfrig e JBS caíram

em compasso de espera

Gol nega revés após Boeing adiar novamente retorno do 737 MAX

Modelo foi suspenso por autoridades em todo o mundo após dois acidentes deixarem centenas de mortos no fim de 2018 e início de 2019

de olho na avaliação

Aprovação de Bolsonaro cai para 47,8% em um ano, diz CNT/MDA

O chefe do Planalto, no entanto, se recuperou quando a comparação ocorre entre a última pesquisa, em agosto, e agora

Bolada no Caixa

BNDES vai repassar R$ 15 bilhões em dividendos para a União

Receita de dividendos do BNDES em 2019 “salvou” o governo num momento em que o Orçamento estava bloqueado e alguns órgãos da Esplanada dos Ministérios operando numa situação de quase paralisação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements