🔴 TCHAUZINHO, NUBANK: Itaú BBA revela o nome da ação que pode colocar o roxinho para comer poeira; CLIQUE AQUI  e descubra a resposta no nosso Telegram

2018-11-29T13:06:33-02:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Juro Americano

O Federal Reserve mudou mesmo de “falcão” para “pombo”?

Discurso de Jerome Powell sobre taxa de juros animou os mercados, mas pode ser mais uma leitura equivocada do que uma mudança de fato

29 de novembro de 2018
11:53 - atualizado às 13:06
Jerome Powell ao lado de um gavião e uma andorinha: o futuro das bolsas depende do presidente do Banco CEntral dos EUA
Imagem: Federal Reserve / Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O discurso do presidente do Federal Reserve (Fed), banco central americano, Jerome Powell, está em debate nos mercados locais e externos. Apesar da reação positiva dos ativos de risco no pregão de ontem, será que Powell mudou mesmo a sinalização sobre o juro nos EUA?

A frase que levou os mercados a uma forte arrancada de alta está no segundo parágrafo de um discurso feito no clube de Economia de Nova York. Powell diz que:

“As taxas de juros ainda estão baixas pelo seu padrão histórico e ainda permanecem logo abaixo do amplo range de estimativas do nível considerado neutro para a economia.”

Taxa neutra é aquela que não estimula nem atrapalha o crescimento. Para boa parte do mercado, o “logo abaixo” ou “just below” para classificar a taxa atual em comparação com o que seria a taxa neutra é o ponto chave do discurso, pois no começo de outubro Powell disse que o juro americano, que está entre 2% e 2,25%, estaria “longe do neutro”.

Em política monetária é comum o uso dos termos “hawk”, falcão, e “dove”, pombo, para definir a inclinação de um BC e seus dirigentes. O falcão é aquele de postura mais rígida, enquanto o pombo seria mais condescendente ou de postura mais acomodativa.

Uma das leituras é de que Powel “virou pombo”, ou seja, o ciclo de aperto estaria mais próximo do fim do que se imaginava. Quanto menos o juro americano subir, melhor a condição para os ativos de risco. De fato, a preocupação com a normalização do juro é o que tem deixado diversos especialistas em mercado preocupados, como relatamos em algumas matérias (veja abaixo).

Para os especialistas da Continuum Economics, essa resposta do mercado é apenas “viés de confirmação”, ou seja, parte do mercado leu da forma que melhor lhe convém algo que não é novo na comunicação do Fed.

De fato, dizem esses especialistas em relatório, a taxa americana vem diminuindo a distância do que seria considerado neutro por diversas estimativas. O juro nominal estaria entre 0,5 ponto-base a 0,9 ponto-base do que alguns modelos sugerem. Assim, se a meta do Fed é atingir a taxa neutra, e essas estimativas para a variável ficassem congeladas, teríamos entre duas ou quatro altas de 0,25 ponto para chegar até lá.

O ponto é que os membros do Fed, segundo a sua ata mais recente, estavam discutindo a possibilidade de elevar a taxa básica para cima do considerado neutro, deixando a política monetária “moderadamente” restritiva ou “temporariamente” restritiva buscando reduzir o risco e uma alta da inflação para cima da meta de 2% ou mesmo mitigar riscos provenientes de desequilíbrios financeiros.

Na avaliação de um amigo gringo, a questão é que Powell não é “falcão” nem “pombo”, ele estaria no meio dessa classificação, por isso suas falas podem ser lidas de diferentes ângulos.

A questão que fica, agora, é se haverá uma mudança na expectativa com relação ao número de apertos previstos para 2019. As estimativas vão de duas até 4 altas, com variações para três ajustes em 2019 e um derradeiro em 2020.

Para o encontro dos dias 18 e 19 de dezembro não há mudança na avaliação de um novo aperto de 0,25 ponto, que levaria o juro para 2,25% a 2,5%. Essa reunião será seguida de coletiva de imprensa e de uma atualização nas projeções do Fed para crescimento, desemprego e taxa de juros.

Em 2019, Powell inaugura uma nova dinâmica de comunicação, dando entrevista após todos os encontros do Fed, algo que deve ajudar nesse ajuste fino das expectativas como relação ao rumo da taxa de juros.

Ainda hoje, às 17 horas, o Fed apresenta a ata da sua reunião dos dias 7 e 8 de novembro, quando o colegiado voltou pela manutenção do juro básico. A dúvida é se o mercado verá o documento como “vencido”, em função da fala de ontem de Powell.

A leitura política

Também me deparei com uma possível leitura política para essa fala de Powell. Ao aliviar o discurso, o presidente do Fed teria transferido para o presidente Donald Trump a responsabilidade por um fim de ano de alegria nos mercados americanos. Trump vai realizar negociações comerciais com a China neste fim de semana no encontro de G-20 e o resultado dessa conversa passaria a ser mais determinante para o andamento dos mercados do que a postura do Fed. Seria esse mais um viés de confirmação ou mais uma deliciosa teoria da conspiração?

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Pílula de felicidade

Dividendos: Hypera (HYPE3) anuncia pagamento de R$ 194 milhões aos investidores; veja detalhes

23 de setembro de 2022 - 19:04

A data exata para o pagamento ainda não está definida, mas a Hypera garantiu que será realizado até o final de 2023

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

O canto da sereia do Ibovespa, novo inverno do bitcoin e Magalu (MGLU3) no banco de reservas; confira os destaques do dia

23 de setembro de 2022 - 18:30

Veja tudo o que movimentou os mercados nesta sexta-feira, incluindo os principais destaques do noticiário corporativo e as ações com o melhor e o pior desempenho do Ibovespa

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa derrapa com maré negativa das bolsas de NY e tombo da Petrobras (PETR4), mas avança mais de 2% na semana; dólar recua 0,2%

23 de setembro de 2022 - 18:00

Veja tudo o que movimentou os mercados nesta sexta-feira, incluindo os principais destaques do noticiário corporativo e as ações com o melhor e o pior desempenho do Ibovespa

FECHAMENTO DO DIA

Urso bate à porta de Wall Street: Dow Jones desaba e S&P 500 fecha no menor nível do ano; entenda o que está por trás da queda

23 de setembro de 2022 - 17:06

Europa não escapa do dia de fúria, com os sinais de recessão da economia britânica derrubando as bolsas do continente e fazendo a libra atingir o menor nível em quase 40 anos

VAGAS DA SEMANA

Vagas de emprego: Ame Digital, Cielo e PicPay estão com processos seletivos abertos; confira as principais oportunidades da semana

23 de setembro de 2022 - 16:54

Ao todo, são mais de 500 vagas de emprego para diversas áreas no formato híbrido ou remoto, em todo o país

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies