Menu
2018-12-19T18:48:52-02:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Juro Americano

Banco Central americano sobe juro e acena novas altas

Federal Reserve (Fed) subiu taxa básica para o intervalo entre 2,25% a 2,5% e fez breve mudança de linguagem, falando em monitorar os eventos globais e nos mercados financeiros

19 de dezembro de 2018
17:16 - atualizado às 18:48
Fed banco central americano
Sede do Federal Reserve (Fed) - Imagem: Federal Reserve

O Federal Reserve (Fed), banco central americano, anunciou nova elevação na taxa de juros americana em 0,25 ponto percentual, para o intervalo entre 2,25% a 2,5% ao ano. No comunicado, há uma breve mudança quanto ao aceno de novas elevações.

Em Wall Street, a reação imediata foi negativa, com o Dow Jones, que subia cerca de 1%, passando a recuar 0,06%. Quem também não deve ter gostado nada da decisão foi o presidente americano Donald Trump.

Nem mesmo a entrevista coletiva concedida pelo presidente Jerome Powell logo depois da reunião ajudou a melhorar o clima nas bolsas.

Em entrevista, Powell afirmou que o crescimento de 2019 vai continuar em um bom ritmo, mas que os membros do comitê, levando em consideração a mudança nas condições financeiras e outros eventos, como uma redução no ritmo de crescimento de outras economias globais, reduziram a projeção de altas de juros no ano que vem, de três para duas elevações.

Segundo Powell, a mudança na comunicação e nas projeções do colegiado mostra que o Fed não tem um curso de ações predeterminado, mas sim que leva em consideração o comportamento dos dados (data dependent Fed).

O documento colocou a palavra “some” e “julgar” antes de falar em “novas elevações graduais de juros”. A mudança de linguagem foi discutida na ata da reunião de novembro, quando alguns membros do Fed tinham dito que a atuação deveria ser guiada pelos dados econômicos e suas implicações para o panorama econômico.

Tal avaliação que tenta transmitir a ideia de que não há uma rota predeterminada de atuação, também passou a constar na comunicação, já que ao falar sobre o balanço de riscos, o Fed diz que vai continuar a avaliar os desenvolvimentos globais e nos mercados financeiros e seus impactos no cenário econômico.

Nessa reunião, o Fed também apresenta seu famoso “gráfico de pontos”, que mostrou uma redução na projeção media para o juro de 2019, de 3,1 para 2,9. A taxa de longo prazo caiu de 3% para 2,8%.

Tal mudança também se mostra consistente com a avaliação feita pelo presidente Jerome Powell que  falou que o juro estaria “logo abaixo” ou “just below”, das estimativas para a taxa neutra, no fim de novembro. A previsão de crescimento para 2019 cedeu de 2,5% para 2,3%.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

LIÇÕES SOBRE INVESTIMENTOS

Senna, o barbeiro de Mônaco, já tocou minha campainha

Mesmo os tricampeões mundiais cometem erros de vez em quando. Neste texto, Felipe Paletta mostra como a inteligência emocional pode contribuir com você para tomar melhores decisões de investimentos. Dimensionando o risco, você pode ir mais longe.

Impacto do coronavírus

Balança comercial tem superávit de US$ 4,548 bilhões em maio, queda de 19,1%

Com queda nas exportações e, em menor volume, nas importações, a balança comercial brasileira registrou saldo positivo de US$ 4,548 bilhões em maio

Retorno das operações

32 shoppings reabrem no interior de SP e país já tem 211 ativos, diz Abrasce

Com a flexibilização das regras para retomada das atividades comerciais no Estado de São Paulo, 32 shopping centers foram reabertos nesta segunda-feira, 1º, todos no interior, de acordo com levantamento da Associação Brasileira de Shopping Centers

Mudança de sentimento

Fluxo de capital para emergentes fica positivo em US$ 4,1 bilhões em maio, diz IIF

O resultado, porém, é inferior aos US$ 18,6 bilhões de abril. De qualquer modo, o IIF diz em relatório que houve nas últimas semanas uma “mudança de sentimento” em relação a esses países

Volta de atividades

Volkswagen retoma produção em São Bernardo do Campo em um turno

A fábrica da Volkswagen em São Bernardo do Campo voltou a produzir nesta segunda-feira, 1º de junho, depois de dois meses em que a operação ficou suspensa por causa da pandemia do novo coronavírus

Campos Neto no Congresso

Presidente do BC diz que Brasil foi o que mais sofreu com desvalorização cambial

Campos Neto reforçou que o câmbio é flutuante no Brasil e que a autarquia realiza intervenções quando há “gap (lacuna) de liquidez”

efeito coronavírus

Venda de papelão ondulado cai 10,89% em abril ante março, diz ABPO

Queda, conforme a entidade, interrompe um crescimento interanual dos últimos dois anos e representa o primeiro impacto da pandemia

POLÍTICA

‘STF tomou ação efetiva para barrar projeto autoritário’

Para Marcos Nobre, professor de Filosofia Política na Universidade de Campinas (Unicamp) e presidente do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap), a fidelidade do presidente Jair Bolsonaro a suas “convicções autoritárias” o levaram a instituir um “governo de guerra” em reação à pandemia do coronavírus. Nobre acaba de lançar o e-book Ponto Final – […]

ECONOMIA

Pandemia afeta meta de fundos de pensão

Maior fundo de pensão do País, o Previ, dos funcionários do Banco do Brasil, teve retorno negativo de 12,4% em um de seus planos no primeiro trimestre, com déficit de R$ 23,6 bilhões.

EM MEIO À PANDEMIA

Com receita recorde, agronegócio vai aumentar participação no PIB do país

Com a desvalorização do real, as exportações ficaram mais atraentes ao agricultor

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements