Menu
2019-07-16T16:36:06+00:00
Bruna Furlani
Bruna Furlani
Jornalista formada pela Universidade de Brasília (UnB). Fez curso de jornalismo econômico oferecido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tem passagem pelas editorias de economia, política e negócios de veículos como O Estado de S.Paulo, SBT e Correio Braziliense.
Uma das cartas mais esperadas do mercado

Gestora SPX projeta corte no próximo Copom e acredita que Selic pode chegar a 5% ao ano

Apesar de estar mais positiva com Brasil, a carta fez ressalvas sobre o enfraquecimento das economias mundiais e disse para tomarmos cuidado com os “leões e o dragão” que estão à solta no mercado

16 de julho de 2019
16:36
Rogerio Xavier spx
Ilustração de Rogério Xavier, gestor da SPX - Imagem: Ilustração/Seu Dinheiro

Depois de adotar um postura de cautela nas avaliações sobre o mercado doméstico e externo em sua última carta, a gestora de Rogério Xavier, SPX, conhecida por antecipar alguns movimentos do mercado financeiro, deu como quase certo que o Banco Central deverá reduzir os juros em meio ponto percentual na próxima reunião do Copom.

Em sua última carta divulgada hoje (16), a gestora destacou que o BC deverá ainda fazer mais dois cortes de juros e levar a taxa básica de juros para 5% ao ano, o menor patamar desde o lançamento do Plano Real.

"Com esse vento a favor do mercado financeiro externo, a melhora na perspectiva para a inflação e o baixo crescimento econômico, abriu-se a oportunidade de testarmos juros nominais e reais ainda mais baixos", destacou a gestora.

Os gestores também se mostraram mais otimistas com a reformas. No documento, eles ressaltaram que há muito a se fazer, mas que pelo menos viraram a página mais difícil que era a da Previdência. Apesar de a mesma ainda precisar passar pelo Senado e depois retornar à Câmara.

Eles disseram ainda estar confiantes de que em breve reformas como a tributária e a administrativa também devem passar pelo Congresso.

Mas nem tudo é perfeito

Apesar de se mostrarem mais otimistas com o cenário brasileiro, os gestores fizeram um alerta sobre o comportamento das economias mundiais.

Segundo eles, "estamos em um mundo perigosíssimo. Os ativos financeiros estão se valorizando de forma importante, mas em um cenário onde a economia global afunda".

Na visão dos gestores, isso pode gerar duas possíveis consequências: ou a economia global vai reagir e alcançar o cenário de preços do mercado financeiro, ou ela não conseguirá reagir e os ativos financeiros passarão por uma importante correção de preços à frente.

Mas a mais provável é que o mundo não saia dessa tendência de desaceleração da economia global.

Os "leões estão sem dentes"

Para justificar o maior pessimismo com a economia mundial, os gestores destacaram que há "leões sem dentes" e um dragão de gelo" à solta. Na carta, eles disseram que os bancos centrais são como leões porque "procuram rugir alto e mostrar dentes afiados para obterem o respeito do mercado".

Mas destacaram que agora os leões estão "praticamente sem instrumentos e sem potência", porque não há dentes e os efeitos sobre os agentes econômicos tendem a ser cada vez menores".

Na visão deles, o Fed e o BCE estão sendo comandados por "dois profissionais sem formação técnica liderando a política monetária global".

E completaram "dois agentes políticos, o que sinaliza que os governantes terão permissão para interferir na política monetária...Hoje em dia, está difícil achar taxas de juros positivas no mundo desenvolvido. Isso mostra como o sistema capitalista está em risco no longo prazo. As pessoas aceitam investir em títulos de 10, 20, 30, 50 anos e receber menos do que investiram".

O "dragão" do mercado

Já ao falar sobre a economia chinesa, eles destacaram que o "grande dragão chinês não cospe mais o mesmo fogo de outrora. Está esfriando e pode até congelar. O governo continuará insistindo em medidas de estímulo para reaquecer a economia, mas a tendência de desaceleração é inequívoca".

Na visão dos gestores, se o dragão de fato congelar, os efeitos sobre a economia serão devastadores. "Ainda não estamos nesse ponto, mas é um risco que deve ser monitorado de perto".

E finalizou fazendo um alerta: "viveremos os próximos meses nessa aparente calmaria e alegria com os preços dos ativos se valorizando, mas não se esqueçam dos leões sem dentes e do dragão gelado".

As apostas da vez

Depois de demonstrar preocupação com o cenário de desaceleração mundial, os gestores destacaram as suas principais alocações.

Ao comentar sobre ações, os gestores destacaram que estão comprados em bolsa de ações de países emergentes e estão com posição comprada também no setor de energia contra a bolsa americana. Ou seja, acreditam que ambos vão se valorizar em relação ao preço de entrada.

Já em relação à bolsa brasileira, a gestora aponta que iniciou uma posição comprada e que está de olho em empresas dos setores de óleo e gás, mineração, utilities e financeiro.

Ao falar sobre juros, eles disseram que estão incrementando posições aplicadas em juros de outros países, tanto em desenvolvidos quanto em alguns emergentes, apesar de o risco permanecer modesto no direcional.

Já no Brasil, eles destacaram que um cenário em que a inflação está controlada, com atividade econômica estagnada justifica alocações na parte intermediária da curva.

"A votação da reforma da Previdência foi um evento importante e deverá ter impacto positivo na percepção de risco da divida interna brasileira, com a consequente diminuição dos prêmios de risco na curva como um todo. O cenário externo, com perspectivas de juros menores, ajudam nessa percepção positiva", afirmaram os gestores.

No quesito moedas, a gestora aponta que segue comprada em dólar americano, ou seja, eles acreditam que a moeda irá se valorizar. E sobre commodities, eles disseram que adicionaram uma posição comprada em ouro e em petróleo.

Já no mercado de agrícolas, iniciaram uma posição vendida em milho, ou seja, estão apostando na desvalorização do ativo. No mês de junho, o SPX Nimitz rendeu 1,49%, ante um CDI de 0,47% no mesmo
período.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta terça-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

lista vip

BNDES divulga nomes de compradores de jatinhos da Embraer

Na última quinta, Bolsonaro disse que revelaria quem comprou jatinhos com recursos do banco estatal e fez referência ao apresentador Luciano Huck, que havia criticado o governo

Mais perdas

Ibovespa abre em queda de mais de 1%, pressionado pelo exterior, e volta aos 98 mil pontos

O Ibovespa tem mais um dia de desempenho negativo, ainda afetado pela maior aversão ao risco no exterior. O dólar à vista segue na faixa de R$ 4,06

tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

Dólar a R$ 4? Acostume-se…

Um conjunto de forças paralelas puxa as cotações das moedas do mundo para um lado e para o outro. São as taxas de juros, perspectivas de crescimento das diferentes nações, apetite das empresas por negócios internacionais, crises políticas em todos os cantos do mundo e até mesmo o Twitter de autoridades como Donald Trump. Com […]

dinheiro no caixa

B2W propõe aumento de capital de R$ 2,5 bi

Serão 64 milhões de novas ações ordinárias, ao preço de R$ 39; empresa quer acelerar o processo de transformação rumo a uma plataforma digital híbrida

subiu o tom

Maior acionista da Oi pede troca de presidente

Gestora de investimentos GoldenTree Asset Management manifestou preocupação com as finanças da operadora e pediu saída de Eurico Teles

crise no posto ipiranga

Lava Jato ignorou repasse de Guedes em denúncia contra empresa de fachada, diz jornal

Segundo a Folha de S. Paulo, força-tarefa detectou pagamento de R$ 561 mil, mas só acusou outras firmas

sem dinheiro

Receita pode parar sistema de CPF e restituição

Arrecadação de tributos, emissões de certidões negativas, controle aduaneiro e operações de comércio exterior também serão afetados, assim como o envio de cartas de cobrança aos devedores do fisco

de mudança

Medida Provisória oficializa mudança do Coaf para o Banco Central

Segundo porta-voz, Coaf será uma “unidade de inteligência financeira” que não perderá o caráter colaborativo com outros órgãos e manterá o perfil de combate à corrupção.

olho na vale

CVM abre inquérito contra executivos da Vale por tragédia de Brumadinho

Investigação é sobre deveres dos executivos em relação a acionistas e investidores; rompimento da barragem matou 248 pessoas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements