Menu
2019-12-02T17:41:47-03:00
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Explicando

Se mercado de dólar ficar disfuncional, BC atuará novamente, diz Campos Neto

Segundo presidente do BC, Roberto Campos Neto, atuações acontecerão sempre que o BC entender que preço do dólar está descolado dos fundamentos ou com problemas de liquidez

26 de novembro de 2019
19:11 - atualizado às 17:41
Presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, em audiência na CAE.
Imagem: Pedro França/Agência Senado

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, afirmou que se o mercado brasileiro de dólar se descolar de outros países, sem fundamento e com problemas (gap) de liquidez, o BC voltará a atuar no mercado como atuou nesta terça-feira.

“Hoje tivemos movimento bastante atípico, porque o câmbio descolou de outras moedas com gap de liquidez. Nós entendemos que era o momento em que o câmbio não estava funcional e fizemos duas intervenções, exatamente na linha do que tenho dito. Se amanhã nós entendermos que, de novo, tenha movimento disfuncional e que o câmbio brasileiro está descolando de outros países, sem fundamento e com gap de liquidez, nós vamos voltar a fazer intervenção como fizemos hoje”, disse Campos Neto em evento do jornal “Correio Braziliense”.

O dólar teve um pregão de forte volatilidade nesta terça-feira, parte dela atribuída às declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes, de que o dólar alto não gerava preocupação. Depois de fazer máxima a R$ 4,2772, o dólar comercial terminou o dia com alta de 0,61%, a R$ 4,24, nova máxima histórica nominal, mesmo após duas vendas no mercado à vista - veja a cobertura completa de mercados.

Princípios importam

O presidente aproveitou para explicar que o BC trabalha com o princípio da separação e que tem lido que suas declarações estariam gerando controvérsia, mesmo falando sempre a mesma coisa.

“Acreditamos que a política monetária se faz com juro. Que o câmbio é flutuante e que as intervenções são feitas no sentido de atenuar movimentos que estão fora do padrão normal ou quando existe gap de liquidez. A política macroprudencial é voltada para a estabilidade financeira”, disse.

Campos Neto reforçou que esse princípio da separação é muito importante e que o histórico de BCs que o seguem mostra ganho de credibilidade, pois é algo entendido por todos e que gera transparência.

Ele também explicou, novamente, o princípio que norteia as intervenções cambiais. As atuações do BC não buscam mudar a tendência do mercado ou defender uma linha de preço, mas sim suavizar eventuais movimentos de estresse do mercado. Tal estratégia é conhecida como “leaning against the wind” ou “inclinar-se contra o vento” em tradução literal.

“É importante entender que acreditamos no princípio da separação e entendemos que as intervenções não fazem com que o movimento de longo prazo seja revertido. A intervenção não tem capacidade de fazer com o que o câmbio mude uma tendência natural que é feita por variáveis macroeconômicas. Mas sim atenua movimentos”, disse.

Encerrada a parte do câmbio, Campo Neto se disse feliz por ser um banqueiro central que fala pouco sobre inflação, mas que a mensagem que o BC quer deixar é que a melhor política de crescimento que podemos ter é inflação baixa e estável.

Com relação à taxa de Selic, Campos Neto manteve a mensagem da última reunião, de que o BC entende que há espaço para corte adicional de juros. “A consolidação do cenário benigno para a inflação prospectiva deverá permitir um ajuste adicional, de igual magnitude ao realizado na reunião de outubro”.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Credit Suisse recomenda compra de ação do BMG após queda de 28% desde IPO

Os analistas do banco suíço – que foi um dos bancos coordenadores do IPO – iniciaram a cobertura das ações do BMG com preço-alvo de R$ 12,50, o que representa um potencial de alta de 50%

de olho no dólar

Fundo Verde vê medo do câmbio como infundado, mas zera posição vendida em dólar

Em novembro o fundo teve um retorno zerado e abaixo do CDI, que teve um desempenho de 0,38%. No acumulado do ano o Verde ainda tem um desempenho de 11,19%, acima dos 5,57% do índice de referência

Mercados hoje

Ibovespa tem leve alta e dá continuidade ao rali dos últimos dias; dólar fica estável

O Ibovespa abriu o pregão desta segunda-feira em alta, dando continuidade aos ganhos da semana passada. O dólar à vista oscila perto do zero a zero, com um leve viés negativo.

hora do planejamento

Após reforma da Previdência, brasileiro revê hábitos de poupança

Pesquisa encomendada pelo C6 Bank ao Ibope Inteligência mostra que 33% das pessoas com acesso à internet afirmam ter mudado seus hábitos de poupança

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta segunda-feira

As taxas do Tesouro Direto abriram em alta nesta sexta-feira (6). O Tesouro IPCA+ 2024 (NTN-B Principal) é negociado com taxa de 2,26% ao ano mais IPCA, por um valor mínimo de R$ 58,64. O Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2050 (NTN-B) é negociado com taxa de 3,51% ao ano mais IPCA e aplicação mínima […]

na expectativa

Mercado eleva estimativa para inflação e PIB em 2019

Boletim Focus prevê IPCA a 3,84% neste ano – a projeção da semana passada era de 3,52%; PIB foi revisto para de 0,99% para 1,10%

Só daqui 60 dias

Congresso prorroga vigência de MP que institui 13º para bolsa família

MPs têm validade já desde a edição pelo governo federal, mas precisam ser aprovadas pelo Congresso Nacional para terem a vigência confirmada, ou perdem efeito

Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

No radar: Gol tenta de novo recomprar o Smiles, mercados e IPO da XP

A Gol anunciou hoje cedo mais uma oferta para recomprar as ações dos minoritários da Smiles. Hoje trago também notícias sobre novas ofertas de ações e 3 formas de investir no IPO da XP. O que você precisa saber hoje: Mercados • O Ibovespa subiu 2,69% na semana passada e fechou em 111.125,75 pontos, uma nova máxima. […]

mudança na casa

Gol faz nova tentativa de incorporar a Smiles

Empresa afirma que não vai negociar com a administração da controlada, nem submeter a proposta ao conselho independente da companhia

guerra comercial

China busca resultado ‘satisfatório’ em negociações comerciais com EUA

Na coletiva de hoje, outra autoridade do Ministério de Comércio chinês, Li Xingqian, disse que Pequim vai continuar reduzindo tarifas sobre produtos externos para impulsionar suas importações

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements