Menu
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Vídeo

Você investe na bolsa brasileira? Então é bom ficar de olho também na bolsa americana! Entenda por quê

O Ibovespa, principal índice da bolsa brasileira, costuma acompanhar as bolsas americanas, e isso não é mera coincidência; o que acontece lá fora afeta diretamente o seu investimento em ações por aqui

15 de março de 2019
5:30 - atualizado às 17:49

O desempenho das bolsas americanas é acompanhado de perto por quem investe na bolsa brasileira, e não é à toa. O Ibovespa, nosso principal índice de ações, costuma acompanhar o desempenho do mercado americano, sobretudo do índice S&P500.

Ou seja, se você investe ou pretende investir na bolsa, deve saber que o que acontece lá fora afeta o seu investimento por aqui. Mas você sabe por que isso acontece? Eu respondo no vídeo a seguir:

Veja a seguir a transcrição do texto do vídeo:

Por que o Ibovespa tende a acompanhar o desempenho das bolsas americanas?

Os mercados do mundo inteiro ficam de olho no sobe e desce das bolsas americanas. E por aqui, o desempenho do nosso Ibovespa, o mais importante índice da bolsa brasileira, tá muito ligado ao que acontece com os índices dos Estados Unidos, principalmente o S&P500. Mas por quê? Desempenho das bolsas americanas: e eu com isso?

O que acontece nas bolsas americanas praticamente determina o destino das nossas ações, e o Ibovespa tende a acompanhar o movimento gringo. Muitas vezes, mesmo um mero soluço lá fora se sobrepõe a acontecimentos importantes no mercado doméstico. A correlação do Ibovespa é especialmente forte com o S&P500, o índice mais representativo da economia dos Estados Unidos.

Não é que a bolsa brasileira não possa se descolar das bolsas americanas. Muitas vezes isso acontece, e por períodos longos de tempo. Mas a verdade é que o mercado de ações brasileiro é super dependente do mercado americano.

Em primeiro lugar, hoje em dia todas as economias do mundo, e consequentemente os seus mercados de ações, tão meio que interligados. Então tudo que acontece em bolsas importantes, principalmente nos países com as maiores economias, influencia o resto do mundo. E como a economia americana é a maior do planeta, a sua influência nas bolsas globais tende a ser mais relevante.

Em segundo lugar, os países emergentes, como o Brasil, são altamente dependentes de capital estrangeiro. E isso não só pra investimentos diretos, na atividade produtiva propriamente dita, mas também no nosso mercado de ações. Cerca de 50% do volume financeiro da B3 tem origem estrangeira.

Uma aversão a risco significativa pode levar os investidores gringos a venderem ações não só em Nova York, mas em vários outros mercados. Especialmente os de maior risco, como o Brasil. Nesse outro vídeo, eu falei, inclusive, sobre por que a alta nos juros americanos tende a tirar recursos estrangeiros do país e derrubar o Ibovespa.

De maneira geral, se as coisas vão mal nos Estados Unidos, a tendência é que a bolsa não consiga subir muito por aqui, mesmo que no Brasil as coisas estejam indo bem. A valorização das nossas ações fica bastante limitada se os gringos resolvem sair do mercado brasileiro ou se relutam a voltar depois de já terem saído.

Gostou do vídeo? Então assine o nosso canal de YouTube e deixe suas dúvidas e sugestões para os próximos vídeos no campo de comentários!

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
Conteúdo patrocinado por Startse

Milionária sem sair da cama

O caso da inglesa que ficou milionária trabalhando de pijama no quarto – e o número de brasileiros que querem enriquecer da mesma forma.

Venham para o Brasil!

Em discurso na Câmara de Comércio dos EUA, Guedes faz chamado aos investidores americanos

Ministro da Economia disse que o Brasil vive um novo momento econômico e citou as mudanças fiscais que o governo tem promovido como exemplo

Viagem aos Estados Unidos

Citando o recorde na bolsa, Bolsonaro fala em “amor à primeira vista” por Guedes

Presidente parabenizou o ministro pelo seu trabalho e colocou nas mãos dele a responsabilidade pelos 100 mil pontos do Ibovespa

Seu Dinheiro na sua noite

100 mil razões para celebrar

Ibovespa rompe marca dos 100 mil pontos pela primeira vez na história; na economia, governo já lança novo pacote de concessões de aeroportos

Pente-fino

Governo encaminha projeto contra grandes devedores da Previdência este mês

Membros do governo Bolsonaro acreditam que será possível recuperar em torno dos R$ 150 bilhões com o novo sistema

Mercado aquecido

Volume de operações de fusões e aquisições cresce 28% em 2018, diz Anbima

De acordo com dados da associação, a alta foi puxada pela transação entre a Suzano Papel e Celulose e Fibria

Aproximação comercial

Guedes diz que exportações e importações com dos Estados Unidos devem aumentar

Ministro destacou, no entanto, que as relações comerciais com a China, principal parceiro do Brasil, não sofrerão cortes

Presidente em exercício

Em encontro com Doria, Mourão fala em convergência de ideias

Presidente em exercício afirmou que o governo federal buscará estreitar relacionamento com os Estados para atrair investimentos

Seu mentor de investimentos

Encontro em Washington

Em minha opinião, será muito mais um encontro de Bolsonaro com um dos seus ídolos do que uma reunião de trabalho

Congresso está esperando

Governo corre para protocolar proposta de Previdência dos militares no dia 20

Ministro Paulo Guedes disse nesta segunda-feira que o texto será avaliado por Bolsonaro e em seguida enviado para o Congresso

Dois focos dentro de casa

Proposta de Guedes sobre Orçamento pode atrapalhar trâmite da reforma, diz Maia

A proposta de emenda constitucional de desvinculação do Orçamento feita pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, gera algumas polêmicas no curto prazo que podem atrapalhar o trâmite da reforma da Previdência no Congresso, disse nesta segunda-feira, 18, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. Ele observou porém, que se for desejo do presidente do […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu