Menu
2019-01-05T16:33:16+00:00
Ruídos na comunicação

Onyx diz que Bolsonaro “se equivocou” sobre aumento do IOF e redução do Imposto de Renda

Ministro da Casa Civil tentou justificar as declarações dadas pelo presidente no começo desta sexta-feira

4 de janeiro de 2019
19:50 - atualizado às 16:33
onyx-lorenzoni
Ministro negou a proposta de aumento do IOF - Imagem: Antonio Cruz/Agência Brasil

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse nesta sexta-feira, 4, que o presidente Jair Bolsonaro se "equivocou" ao falar em entrevistas de aumento do Imposto de Operações Financeiras (IOF) e da redução da alíquota do Imposto de Renda de 27,5% para 25%.

"Estava toda uma celeuma no País que era ter aumento de impostos. Não dá para o cidadão que votou no Bolsonaro não ter aumento de impostos e ter aumento de impostos", afirmou.

No começo da tarde, o secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, esteve no Planalto para discutir as medidas com o presidente.

Na saída do palácio, ele negou informação publicada pela imprensa e confirmada num evento pela manhã pelo próprio Bolsonaro de que o governo aumentaria o IOF para garantir compensações a prorrogação de benefícios concedidos pela Sudene e pela Sudam.

"Houve vazamento indevido. Alguém que vazou algo que não deveria ter vazado", disse Onyx Lorenzoni. O ministro não respondeu, na sequência, se o "vazamento" era um "balão de ensaio" - uma tática para avaliar a repercussão e os efeitos de uma medida antes de sua real adoção.

Onyx disse que havia, sim, um estudo para aumentar o IOF como forma de garantir a prorrogação dos benefícios da Sudene e da Sudam. Mas a equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes, teria conseguido uma outra solução.

"Uma das alternativas seria o aumento do IOF", disse. "A equipe econômica encontrou uma solução que deu tranquilidade ao presidente", ressaltou.

No começo da entrevista, o ministro da Casa Civil resistiu a dar explicações sobre qual foi a solução encontrada para garantir a prorrogação dos benefícios da Sudene e da Sudam.

Ele também considerou como "armadilha", "bomba" e "maldadezinha" do ex-presidente Michel Temer não ter assinado antes o decreto de prorrogação e deixado o tema para o atual governo.

Depois, Onyx, no entanto, disse que, como o prazo de fruição dos benefícios era de 12 a 14 meses, eles "não ocorreriam" neste ano.

"Então, para o ano de 2019, a previsão que tem de R$ 740 milhões é suficiente para atender aqueles projetos que foram aprovados ao longo do ano de 2017 e 2018", disse.

O ministro relatou que, pela manhã, quando questionado se haveria de fato aumento do IOF, Bolsonaro teria feito referência à sanção e também ao decreto que dava a garantia para a prorrogação sem aumento de impostos.

"Não haverá nenhum aumento de IOF", afirmou. "O aumento de impostos confrontava com compromisso que governo assumiu", disse.

Sobre a possível redução do Imposto de Renda, Onyx disse que o governo não pensa na medida, no momento, em razão da Lei de Responsabilidade Fiscal.

"Não podemos neste momento fazer nenhuma ação que possa resultar em redução de arrecadação", afirmou. "A redução do Imposto de Renda é fruto de estudo, mas depende de equilíbrio fiscal. Temos a premissa antes de fazer essas coisas que é ter equilíbrio fiscal", completou."

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Será que vem mudança?

Bolsonaro quer mecanismo para reavaliar patrimônio declarado no IR

Temática do projeto seria a reavaliação de patrimônios que “normalmente são declarados com valores históricos”

Agora passou!

Senado aprova MP que abre setor aéreo a capital estrangeiro

Senadores mantiverem o conteúdo como saiu da Câmara, retomando a franquia gratuita de bagagem

Foi por pouco

Câmara aprova texto base da MP da reforma administrativa

Votação de modificações como a volta do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) para o Ministério da Economia será feita separadamente

E vai adiando...

Maia assina prorrogação de envio de emendas para reforma da Previdência

Prazo de envio das emendas já havia sido postergada, mas dependia de um ato oficial do presidente da Casa

Crypto News

Falsatoshi ataca novamente

Piada da vez com Craig Wright foi ele dar entrada no pedido de direitos autorais do código original do Bitcoin e de seu white paper

Seu Dinheiro na sua noite

15 anos esta noite

Um dos grandes marcos do mercado de capitais brasileiro está para completar 15 anos. Trata-se da oferta de ações da empresa de cosméticos Natura. A abertura de capital aconteceu no dia 26 de maio de 2004 na antiga Bovespa – bem antes da fusão com a BM&F e da mudança de nome para B3. Desde […]

Estatal fará follow on

Petrobras bate o martelo: irá reduzir sua fatia na BR Distribuidora para menos de 50%

A Petrobras irá diminuir sua participação na BR Distribuidora por meio de uma oferta pública secundária de ações (follow on), mas a fatia exata a ser vendida ainda não foi definida

Investimento mais que bem-vindo

Fiat Chrysler vai investir R$ 500 milhões em nova fábrica de motores em Betim (MG)

Nova linha será instalada ao lado do prédio onde já funciona a fábrica de motores aspirados e pode gerar 1,2 mil empregos

Cedendo à pressão

Governo diz que vai apoiar reforma tributária do Congresso

Secretário da Receita Federal disse que o Executivo irá opinar sobre as medidas em “momento oportuno” na Comissão Especial

Proposta própria do Congresso

CCJ da Câmara aprova admissibilidade da reforma tributária

Proposta de emenda à Constituição é uma iniciativa da própria Casa, que decidiu não esperar o envio do texto do governo sobre o tema

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements