Menu
2019-04-25T17:30:40+00:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Mapa da migração

Milionários abandonam Brasil, China e Índia enquanto Austrália cai nas graças dos endinheirados

Estudo analisa o movimento das pessoas mais ricas ao redor do mundo e constata: os membros do chamado BRICS são os que mais perdem milionários

17 de abril de 2019
6:02 - atualizado às 17:30
Milionário
Proporcionalmente, parcela rica da população é a que mais deixa seu país de origem - Imagem: Shutterstock

Diante de tantos casos de migração ao redor do mundo, seja por questões econômicas ou políticas, a impressão que fica é que as parcelas mais pobres da população de cada país são as que mais buscam novos horizontes, certo? Errado!

Em termos proporcionais, as pessoas mais ricas do mundo também são as que mais deixam seus países de origem para buscar uma vida melhor em outros lugares.

Um relatório sobre a Migração Global de Riqueza, divulgado nesta semana pela consultoria sul-africana NWWealth, mostram que é intenso o fluxo de pessoas milionárias e bilionárias ao redor do mundo.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

E na viagem dos chamados "indivíduos com alto patrimônio líquido" vale de tudo: desde mudar para países com leis tributárias mais favoráveis, até a busca por menos poluição e criminalidade.

Quem mais produziu milionários?

A potência da economia chinesa não poderia deixar o país asiático em outro lugar senão o primeiro entre as nações que mais produziram riquezas nos últimos dez anos. Por lá, o crescimento foi de 130% no período.

Na segunda posição aparecem as Ilhas Maurício, com crescimento de 124% na riqueza da população. Surpreendentemente, a Etiópia aparece na terceira posição do ranking, com crescimento de 102% na riqueza local.

Quem mais perde milionários?

Produzir riqueza não significa ter a capacidade de retê-la. O que poderia ser a fala de um sociólogo ou economista na realidade é o reflexo real da toda poderosa China, que lidera o ranking dos países com maior emigração de milionários e bilionários.

O estudo mostra que, em 2018, mais de 15 mil chineses deixaram seu país natal para tentar a vida em outro lugar.

E nesse quesito o Brasil também não está bem na fita. Nosso país ocupa a sétima colocação do ranking de países que mais perdem milionários, com a saída de 2 mil pessoas nessas condições ao longo do ano passado.

Aliás, o grupo de países denominado BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) está mal representado no ranking de migração das pessoas mais ricas do mundo.

No Top 9 das nações com maior número de emigrações estão quatro dos cinco países dos BRICS. Logo atrás da China, Rússia aparece na segunda posição com perde de 7 mil milionários e bilionários ao longo de 2018. Índia aparece em terceiro, com perda de 5 mil.

É interessante observar que esses países, embora percam mais cidadãos ricos em números absolutos, estão em melhores condições em relação a algumas nações que enfrentam graves crises financeiras, como a Turquia e sua instabilidade política e inflação de dos dígitos no último ano. A pesquisa mostra que cerca de 10% da população mais rica da Turquia tenha abandonado o país ao longo do ano passado.

A outra face da moeda

Enquanto uns perdem, outros ganham. E esse é o caso de países como Austrália, Estados Unidos e Canadá, o Top 3 das nações com maiores índices absolutos de imigrantes milionários.

Somente na Austrália, foram 12 mil pessoas com muito dinheiro que ingressaram no país ao longo do ano passado.

E esse "boom" tem justificativa. Além de possuir uma economia mais estável e robusta na comparação com o resto do mundo, a Austrália conta com facilidades para os milionários, como a falta de impostos sobre herança e custos menores com saúde.

Vale observar também que, em 2018, a Austrália passou o Canadá e a França no ranking de mercado de fortunas, e agora ocupa a sétima posição.

E o futuro promete...

A NW Wealth também fez um levantamento sobre as grandes promessas em termos de produção de milionários ao redor do mundo nos próximos anos. Se as previsões se concretizarem, países da Ásia devem puxar o ranking das nações que mais produzem riqueza.

E dentro desse grupo o Vietnã é a principal aposta da consultoria. Com uma indústria manufatureira pulsante, o país promete um forte crescimento, com expectativa de que a riqueza local cresça 200% na próxima década.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Roupa nova

Banco Inter dará início às negociações com units na bolsa na sexta-feira

Os certificados de ações terão o código BIDI11 e representam duas ações preferenciais (PN) e uma ordinária (ON) do Banco Inter, que também vai aderir ao Nível 2 de governança da bolsa e estuda captar R$ 1 bilhão em uma oferta de ações

Vai uma carona aí?

Uber completa cinco anos de Brasil com 2,6 bilhões de viagens

Se você acha que anda muito de Uber, olha só isso: o usuário que mais usou o Uber no Brasil nesses últimos cinco anos fez mais de 5 mil viagens pelo app, o que corresponde a cerca de 3 viagens de Uber por dia. Haja boleto!

De olho na Venezuela

Bolsonaro: “É importante buscar solução para Venezuela, até Evo se posicionou

Segundo o presidente, não ficou surpreso com o posicionamento de Morales, uma vez que o chefe de Estado boliviano já havia dados sinais positivos quando decidiu prender o italiano Cesare Battisti

Ainda sobre Eduardo

Para Mourão, indicação de Eduardo para embaixada nos EUA está dentro do padrão

“Dentro das regras da escolha para quem não é da carreira diplomática, ele está dentro do padrão. É uma decisão do presidente. Decisão a gente não discute”, disse.

Fracasso de crítica

A base de assinantes da Netflix cresceu menos que o esperado — e o mercado reagiu mal

Os resultados trimestrais da Netflix decepcionaram o mercado, em especial os números de expansão de novos usuários. Como resultado, as ações despencaram no after market de Nova York

Seu Dinheiro na sua noite

Posto Ipiranga entre o FGTS e a reforma

As histórias que mexeram com o Seu Dinheiro hoje

Há limite para o Magalu?

Ações do Magazine Luiza já subiram mais de 30% neste ano. Para o Bradesco BBI, há espaço para mais

Apesar dos ganhos expressivos dos papéis do Magazine Luiza nos últimos anos, o Bradesco BBI acredita que os papéis ainda podem subir mais, uma vez que a empresa possui boas perspectivas para surfar a nova onda do e-commerce

opinião de peso

FMI: Brasil deve atuar com limitada intervenção no câmbio ante volatilidade

Na avaliação do Fundo, as autoridades brasileiras devem manter “fortes amortecedores” para o caso de eventos globais desestabilizadores

mais do que peso real

Argentina estudará mudanças para criação de moeda única do Mercosul, diz ministro

Diferentemente do que Guedes havia sinalizado, Dujovne apontou para a criação de uma moeda única para todo o Mercosul

saldo

Fluxo cambial total em julho até dia 12 é negativo em US$ 1,227 bi

Canal financeiro apresentou saídas líquidas de US$ 188 milhões no período, resultado de aportes no valor de US$ 20,941 bilhões e de retiradas no total de US$ 21,130 bilhões

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements