Menu
2019-07-10T06:45:19+00:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
a bula do mercado

Semana recomeça com reforma da Previdência em votação

Sessão para votar a reforma tem início previsto para as 9h; mercados podem ter volatilidade na abertura

10 de julho de 2019
6:43 - atualizado às 6:45
selo bula do mercado
Imagem: Seu Dinheiro

Os deputados favoráveis à reforma da Previdência esforçaram-se até a última hora para tentar votar ainda ontem a proposta de emenda à Constituição que reforma a Previdência social no Brasil. Entretanto, uma série de medidas de últimas hora, a pressão para a liberação de verbas bilionárias para emendas parlamentares em troca do voto favorável e uma série de requerimentos da oposição na tentativa de obstruir o caminho da reforma fizeram com que os debates se iniciassem apenas por volta das 21h de ontem.

As discussões estenderam-se até perto da 1h de hoje, quando um requerimento encerrando a fase de debates foi aprovado por 353 votos a favor e 118 contra e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM/RJ), convocou para as 9h da manhã de hoje uma sessão com o objetivo de votar a reforma da Previdência em primeiro turno.

A média da expectativa dos principais observadores do Congresso é de que a reforma da Previdência passe em primeiro turno com aproximadamente 330 votos. Isso já atenderia à expectativa da maioria dos agentes do mercado financeiro, que esperavam a proposta aprovada ao menos em primeiro turno antes do recesso parlamentar, com início previsto para 18 de julho.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Maia pretende contornar interstício

Ao término da sessão, porém, Maia disse considerar o placar da votação do requerimento para encerrar os debates uma sinalização favorável à possibilidade de angariar apoio suficiente para contornar o interstício - intervalo de cinco sessões entre primeiro e segundo turnos de votação - e encerrar a tramitação da reforma na Câmara ainda esta semana.

Antes disso, porém, os deputados favoráveis à reforma precisam, por se tratar de uma proposta de emenda constitucional, aprovar a reforma com pelo menos 308 votos favoráveis e limpar a pauta dos destaques para votação em separado, além dos esperados requerimentos da oposição para adiar ao máximo a conclusão do primeiro turno.

O fato é que a maior parte da votação deve ocorrer com o mercado financeiro local reaberto após a pausa do feriado, o que pode trazer alguma volatilidade, especialmente pelo fato de o Ibovespa ter renovado mais uma vez seu nível recorde de fechamento na segunda-feira.

Investidores estão atentos ao Fed

Na Ásia, as bolsas de Tóquio e Xangai fecharam em queda, enquanto a de Seul subiu em meio a um clima de cautela entre os investidores à espera dos testemunhos do presidente do Fed, Jerome Powell, perante o Congresso dos Estados Unidos. Na Europa, as principais bolsas de valores também abriram sem direção clara, enquanto os índices futuros de Nova York sinalizam queda.

Nos Estados Unidos, além da expectativa em relação ao testemunho de Jerome Powell hoje na Câmara e amanhã no Senado, o Fed divulgará às 15h a ata de sua mais recente reunião em meio a especulações sobre o início e a extensão de uma nova rodada de afrouxamento monetário.

Na última sexta-feira, o relatório mensal sobre a situação do mercado de trabalho dos EUA em junho aliviou em parte a pressão sobre o Fed para cortar juros. Segundo o documento, 224 mil vagas de trabalho foram abertas nos EUA em junho, bem acima da abertura de 165 mil vagas prevista pelos analistas.

Especialistas observam que os dados mais recentes do payroll poderiam levar o Fed a promover dois cortes em sua taxa de juros de referência até o fim do ano, um a menos do que os três anteriormente esperados até a divulgação dos dados referentes a junho.

Por aqui, com a perspectiva de aprovação da reforma da previdência, porém, a expectativa para hoje e para os próximos dias nos mercados financeiros locais é de que o Ibovespa volte a renovar recordes e as taxas dos contratos futuros de juros mantenham-se em queda.

Analistas esperam forte desaceleração do IPCA

A quarta-feira também começará movimentada em relação aos indicadores da economia brasileira. Os dados oficiais de inflação (IPCA e INPC) referentes a junho serão divulgados pelo IBGE às 9h em meio à expectativa de uma forte desaceleração.

Projeções apontam que a inflação anual ao consumidor medida pelo IPCA deve desacelerar de 4,66% em maio para em torno de 3,30% em junho, bem abaixo do centro da meta de inflação do Banco Central para 2019 (4,25%).

Se confirmadas as projeções, os dados da inflação em junho se somarão a uma série de indicadores mostrando as dificuldades da economia brasileira para retomar o caminho do crescimento.

E isto deve aumentar a pressão dos agentes do mercado financeiro sobre o Banco Central para cortar juros já a partir da reunião do Comitê de Política Monetária marcada para o fim deste mês em Brasília.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Vai ficar no papel?

Alcolumbre diz que há receio em autorizar privatização da Eletrobras

Presidente do Congresso relatou que 48 senadores do Norte e do Norte são contra, o que tornaria inviável a aprovação de um projeto com esse modelo

Acelerou

Preço médio dos imóveis residenciais sobe 0,36% em agosto

Dados foram divulgados nesta quinta-feira pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança

Ainda não é suficiente

Secretário da Previdência diz que para reforma ser sustentável, “precisamos de camada de capitalização”

Equipe econômica, no entanto, já trabalha em outras medidas como combate à fraude na concessão de aposentadorias e pensões e na gestão dos sistema

Será que vai melar?

Parlamento da Áustria aprova resolução obrigando governo a vetar UE-Mercosul

Movimento ocorre a poucos dias das eleições parlamentares na Áustria, antecipadas para o próximo dia 29 de setembro

Clima tenso entre os brothers

UE está pronta para impor tarifas retaliatórias contra os EUA, diz ministro da França

Bruno Le Maire comentou que a UE se prepara para eventuais sanções contra os EUA por causa de uma disputa sobre subsídios no setor de aviação

De olho na reforma

Câmara e Senado construirão proposta conjunta sobre reforma tributária, diz Maia

O presidente da Câmara também não descartou a ideia de criação de uma comissão mista (com senadores e deputados) para tratar da reforma tributária

O futuro da energia

Shell diz que seu plano é investir US$ 3 bilhões por ano em renováveis no mundo

Presidente da petroleira no Brasil afirmou que não há um prazo para definir os investimentos e que o importante é que os projetos “façam sentido”

De olho nas contas públicas

Governo deve descontingenciar entre R$ 12 bilhões e R$ 13 bilhões, diz secretário

Com a arrecadação maior nos últimos meses, a ideia é liberar parte do orçamento, que foi contingenciado nos meses anteriores

Será que cai mais?

Na contramão do mercado, Itaú mantém projeção para Selic em 5,0% no fim do ano

Segundo relatório da instituição, o banco seguirá observando os dados para a inflação e a taxa de câmbio do Banco Central para decidir por uma nova reavaliação

'impacto nulo'

Relator da reforma da Previdência apresenta novo parecer e acata apenas uma das 77 emendas

Emenda acatada retira do texto ponto que obrigava os servidores que entraram antes de 2003 a contribuírem por 35 anos, no caso dos homens, e 30 das mulheres, para ter direito à totalidade de gratificação por desempenho

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements