Menu
2019-06-23T12:03:20+00:00
Nicolas Gunkel
Jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP) com Nanodegree em Marketing Digital pela Udacity. Foi editor de Redes Sociais e repórter do site Exame, além de repórter no jornal Metro São Paulo.
RALI

Bitcoin ultrapassa US$ 10 mil e vai ainda mais longe. O que explica?

Alguns fatores têm catalisado a alta do preço das criptomoedas nos últimos dias. Desde o início do ano, o bitcoin bateu com folga os principais índices do mercado

23 de junho de 2019
12:03
Criptomoedas bitcoin
Bitcoin: alta de 150% desde o início do anoImagem: Shutterstock

A criptomoeda Bitcoin (BTC) bateu a cotação de US$ 10 mil pela primeira vez desde março de 2018. Na última sexta-feira (21), o ativo acelerou e subiu cerca de 10%, batendo a marca dos US$ 10,7 mil.

No sábado, porém, o Bitcoin foi ainda mais longe e chegou ao patamar dos US$ 11,2 mil em sua máxima. Outras criptomoedas, como Ethereum, Litecoin e XRP, também experimentaram altas de dois dígitos no período.

Segundo Billy Bambrough, colunista de blockchain do site da americana Forbes, o movimento fez com que muitos lembrassem do rali da moeda no fim de 2017, quando o bitcoin subiu de US$ 10 mil para US$ 20 mil em menos de 20 dias.

Não custa lembrar, claro, que valor do ativo caiu para apenas US$ 3,2 mil menos de um ano depois.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter

Razões da alta do Bitcoin

Alguns fatores têm catalisado a alta do preço das criptomoedas. Entre eles, estão os recentes anúncios de criação da Libra, nova divisa digital do Facebook, e da JPM coin, moeda do JPMorgan.

A entrada de grandes players no mundo cripto tem ajudado a validar o mercado de criptoativos e blindá-los de ataques de autoridades pelo mundo.

Um caso emblemático é a Índia, onde o governo tem empreendido uma verdadeira cruzada contra redes e tecnologias descentralizadas.

Depois de fechar o cerco contra aplicativos como Telegram e Reddit, o novo alvo foram as criptomoedas. Os ativos digitais chegaram a ser ameaçados de banimento no país, sob o pretexto de representarem esquemas de pirâmides.

Contudo, o efeito dos ataques teve o efeito oposto do esperado, e acabou jogando luz à existência desses ativos. Antes desconhecido de grande parte da população, o Bitcoin viu sua demanda subir fortemente na Índia desde o início do ano, colocando pressão sobre o preço do ativo.

Analistas acreditam que, com a entrada de um gigante como o Facebook no xadrez cripto, deve ficar mais difícil para autoridades tentarem um xeque-mate nas criptomoedas.

Halving

Outro fator diretamente ligado à alta do Bitcoin é a proximidade do halving (ou halvening), evento que acontece de quatro em quatro anos. Quando ele ocorre, a taxa de emissão do criptoativo cai pela metade, e a moeda tende a ganhar valor.

O próximo halving do bitcoin acontece em 2020 e será o terceiro da história. Historicamente, os períodos que antecedem o evento foram responsáveis por grandes altas.

O mesmo fenômeno se aplica ao Litecoin, que enfrentou um rali ainda mais acentuado que o bitcoin desde o início do ano, com valorização de 330%.

O Bitcoin já subiu 150% em 2019, muito acima dos principais índices do mercado.

FOMO

Outro fator ao qual analistas atribuem a inclinação do viés positivo do bitcoin nos últimos dias é o chamado FOMO (do inglês, Fear of Missing Out).

Em poucas palavras, trata-se de um efeito manada despertado pela barreira psicológica dos US$ 10 mil. Com o bitcoin retomando as manchetes de jornais e outros veículos, muitos investidores de varejo devem voltar a se posicionar na criptomoeda, pressionando ainda mais seus preços.

Vale a pena entrar?

Se você quer aproveitar o bull market dos criptoativos, mas não sabe se ainda vale a pena entrar, vale a pena assistir ao último vídeo de Fausto Botelho sobre o assunto. Nele, o analista gráfico argumenta que quatro criptomoedas devem ter forte alta.

Se você quer se arriscar menos, mas ainda sim aproveitar a alta das criptos, sugiro fortemente que leia a reportagem de Bruna Furlani sobre o primeiro fundo brasileiro de cripto. Em seus primeiros sete meses, ele rendeu nada menos que 720% do CDI. E por que ele é menos arriscado? Porque 80% de seus recursos são investidos em títulos públicos.

No momento de publicação dessa reportagem, o Bitcoin a cotação do bitcoin era cotado a US$ 10.729

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

Mercado de trabalho

Emprego informal recorde derruba produtividade da economia brasileira

O crescimento do trabalho informal tem afetado os índices de produtividade da economia do país, de acordo com cálculos da Fundação Getulio Vargas

Shake it off

Taylor Swift, o grupo de investimentos Carlyle e uma briga feia no mundo da música pop

O Carlyle está no centro de uma discussão envolvendo Taylor Swift e sua antiga gravadora, a Big Machine Records, que estão disputando os direitos autorais da obra da cantora pop

Seu Dinheiro no sábado

MAIS LIDAS: O jovem bilionário do Facebook

20 de janeiro de 2010: essa é a data da minha primeira postagem no Facebook. Nada muito inspirador, eu estava só reclamando do clima chuvoso. Nos meses seguintes, todas as minhas interações tratavam de joguinhos on-line — aparentemente, eu era um grande fã de FarmVille. Acessar o túnel do tempo das redes sociais é revelador. […]

Fim das atividades

Braskem encerra extração de sal-gema em Alagoas, alvo de ações de R$ 40 bi

Após supostos prejuízos causados a ruas e casas em Maceió (AL), a petroquímica Braskem decidiu encerrar as atividades de extração de sal-gema cidade

Ultrapassou Jeff Bezos

O maior bilionário: Bill Gates volta a ser o homem mais rico do mundo

Com uma fortuna avaliada em US$ 110 bilhões, o fundador da Microsoft, Bill Gates, ultrapassou Jeff Bezos na disputa pelo posto de maior bilionário do mundo

O segundo passo

Binance e Bittrex, duas exchanges estrangeiras de criptomoedas para chamar de sua

Entenda por que vale a pena abrir conta em uma corretora de fora e veja quais são as principais diferenças entre as duas casas sugeridas por especialistas com grande experiência no mercado

Dicas do Fausto Botelho

Bitcoin e outras criptomoedas que estão com tendência de alta

Neste vídeo, o analista gráfico faz projeções para o Bitcoin e muitas outras criptomoedas, além de fazer comentários sobre a tendência do S&P

Abertura de capital

XP Investimentos dá a largada para o IPO e apresenta documentos à CVM americana

A XP Investimentos protocolou os documentos referentes ao seu processo de abertura de capital nos EUA. A operação será feita na Nasdaq, com ofertas primárias e secundárias

Tensão nos ares

Crise na Boeing: sindicatos de companhias aéreas temem a liberação do 737 Max

Com a possibilidade de as aeronaves 737 Max da Boeing serem liberadas novamente para voar, os sindicatos das companhias aéreas mostram-se preocupados

Protestos no país

Banco Central do Chile anuncia novas medidas para conter a queda do peso

A autoridade monetária do Chile irá adotar mais ferramentas para frear a trajetória de desvalorização da moeda do país, em meio à onda de protestos sociais vistos nos últimos dias

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements