Menu
Eduardo Campos
Eduardo Campos
Jornalista formado pela Universidade Metodista de São Paulo e Master In Business Economics (Ceabe) pela FGV. Cobre mercado financeiro desde 2003, com passagens pelo InvestNews/Gazeta Mercantil e Valor Econômico cobrindo mercados de juros, câmbio e bolsa de valores. Há 6 anos em Brasília, cobre Banco Central e Ministério da Fazenda.
Mercados

Aposta do estrangeiro na alta do dólar bate novo recorde a US$ 41,2 bilhões

Na semana, gringo já comprou o equivalente a US$ 3,5 bilhões em contratos futuros. Bancos e fundos ampliam posição vendida

6 de dezembro de 2018
11:01
Imagem: Shutterstock

O investidor estrangeiro está ampliando a “aposta” na alta do dólar de forma consistente neste começo de mês. Em três pregões, a posição comprada em dólar futuro e cupom cambial (DDI, juro em dólar) subiu em US$ 3,5 bilhões e bateu novo recorde a US$ 41,231 bilhões.

Como o mercado futuro é um jogo de soma zero, se o gringo compra, alguém vende. Nesse mesmo período de três pregões, os bancos ampliaram a posição vendida, que ganha com a queda do dólar, em US$ 2,5 bilhões, para US$ 16,541 bilhões. E os fundos de investimentos venderam outros US$ 990 milhões, atingindo um estoque de US$ 26,238 bilhões.

A avaliação de ganhadores e perdedores nesse mercado é sempre feita em tese, pois não sabemos a que preço as posições foram montadas e se esses agentes possuem exposição ao dólar no mercado à vista e de balcão.

Mesmo assim, o que se pode inferir é que dificilmente o dólar apresentará um consistente movimento de baixa enquanto o estrangeiro estiver carregando tamanha posição comprada no mercado futuro.

No fim de novembro e agora em dezembro, além da posição no mercado futuro temos de prestar atenção ao fluxo no mercado à vista. Como vimos ontem, a saída de dólares pelo canal financeiro foi bastante elevada em novembro, chamando o Banco Central (BC) a fazer atuações no mercado à vista por meio de leilões de linha com compromisso de recompra.

Mas vimos, também, que não é o fluxo que determina o preço e sim a formação de expectativas e a percepção do mercado. Na segunda-feira, dia 26 de setembro, dia que o dólar saltou 2,6%, para cima de R$ 3,90, a saída líquida do mercado físico foi de apenas US$ 573 milhões. Mas na terça-feira, dia do primeiro leilão de linha, o fluxo foi negativo em US$ 2,6 bilhões, com a moeda recuando 1,24%.

Nesta quinta-feira, o dólar começa o pregão em alta de pouco mais de 1%, testando, novamente, a linha de R$ 3,9. A formação de preço reflete um ambiente externo pouco favorável aos ativos de risco.

Ibovespa futuro

No mercado de índice futuro do Ibovespa, principal índice de ações da B3, a troca de posições é pouco expressiva. Desde meados de outubro temos o não residente vendido e os fundos de investimento comprados.

No pregão de quarta-feira, a posição vendida do gringo era de 113.035 contratos, contra 119.528 no fim de novembro. Os fundos estavam comprados em 110.246 contratos em comparação com 115.614 contratos em 30 de novembro.

Uma forma de ler as posições no Ibovespa futuro é como uma proteção (hedge) às oscilações no mercado à vista. Por exemplo. O investidor está comprado em bolsa no mercado à vista e vai proteger essa exposição no mercado futuro vendendo contratos de Ibovespa.

No entanto, o mercado também opera o Ibovespa futuro com um ativo em si. Podendo montar apostas de alta (comprado) ou de queda (vendido) no Ibovespa.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
Com governo em crise

“Estamos determinados a mudar o rumo do país”, diz Bolsonaro no Twitter

Segundo presidente, o governo está fiscalizando recursos, diminuindo gastos, propondo endurecimento penal e a reforma da Previdência

Crise no governo

Magoado, Bebianno não vai poupar filho de Bolsonaro

A interlocutores, Bebianno tem deixado clara sua mágoa com a atitude do vereador do Rio de Janeiro que tentou lhe cunhar a pecha de mentiroso

No Twitter

Trump diz que fará reuniões e ligações importantes sobre acordo comercial com a China

Na última sexta-feira, Trump comunicou que americanos e chineses estariam “muito próximos” de um “acordo muito bom”

Entrevista

“Sem investimentos será difícil continuar”, diz presidente da GM no Brasil

Segundo Carlos Zarlenga, negociações com funcionários, fornecedores, concessionários e governos para atrair novos projetos estão dando certo

Reformar é preciso

Guedes vence primeira batalha da Previdência, mas guerra será longa

Força da reforma parcialmente apresentada está no tempo de transição de 12 anos, mais curto que o previsto no texto enviado por Michel Temer

Bon Vivant

Hospedagem com tons de realeza: conheça os mimos dos hotéis ‘6 estrelas’ do Brasil

Hotéis mais luxuosos do país apostam em experiências exclusivas, vinhos e charutos raros, além de uma boa dose de romantismo

Caso Coaf

MP teria informação de que advogado de Flávio Bolsonaro atuou no caso Queiroz, diz jornal

Motorista de senador, Victor Alves teria mantido contato direto com o ex-motorista em nome de Flávio nos primeiros dias, quando o caso veio à tona

Small cap

A prova de fogo da Linx para emplacar seu sistema de pagamentos, o Linx Pay

Para esclarecer como será feita a distribuição da nova solução e quais são as perspectivas para o futuro da empresa, conversei com o presidente da companhia, Alberto Menache

Após 'briga' com setor agropecuário

Equipe econômica vai revisar 37 medidas antidumping

De acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), estão em revisão 37 medidas antidumping e outras 39 vencem ao longo de 2019

Suspeita de lavagem de dinheiro

Raquel Dodge pede ao STF que mande para o TRE inquérito que envolve Kassab e JBS

No inquérito, a PF identificou pagamentos de R$ 23,1 milhões da JBS a Kassab e disse ver indícios de lavagem de dinheiro

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu