🔴 [EVENTO GRATUITO] COMPRAR OU VENDER VALE3? INSCREVA-SE AQUI

Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @Renan_SanSousa
Segredos da Bolsa

Esquenta dos mercados: Bolsas abrem em tom positivo após PIB da China, de olho nos balanços da semana e avanço da pandemia

A prévia do PIB brasileiro movimenta a segunda-feira, em meio à liquidez reduzida em virtude do feriado nos Estados Unidos

Renan Sousa
Renan Sousa
17 de janeiro de 2022
7:57 - atualizado às 8:16
PIB Grande Gráficos
Confira o que movimenta os mercados nesta semana. Imagem: Shutterstock

O primeiro pregão da semana começa com uma boa notícia. A recuperação econômica da China aparenta ter ganhado tração, após o PIB do país vir em linha com as projeções mais otimistas dos analistas, o que impulsiona as bolsas pelo mundo na manhã desta segunda-feira (17)

Hoje é feriado em comemoração ao dia de Martin Luther King, o que mantém os mercados fechados por lá e reduz a liquidez internacional das bolsas. 

O exterior permanece atento ao avanço da pandemia e da variante ômicron, enquanto a vacinação também cresce pelo mundo. 

No panorama doméstico, os debates envolvendo o reajuste dos servidores públicos permanecem no radar. Enquanto o presidente da República, Jair Bolsonaro, pretendia um aumento de salário apenas dos policiais federais, os demais setores do funcionalismo iniciaram um movimento de entrega de cargos e paralisações. 

Em especial os servidores do Banco Central e Receita Federal são um problema que pode interferir na liberação de produtos em portos e aeroportos. 

Mesmo com ameaças de greve, o Ibovespa fechou a semana passada com uma alta de 4,10%. Na sexta-feira (14), o principal índice da B3 encerrou o pregão com um avanço de 1,33%, aos 106.927 pontos. 

Já o dólar à vista, que passou quase todo o pregão em leve alta, perdeu força no fim do dia e terminou em queda de 0,29%, a R$ 5,5132, acumulando baixa de 2,10% na semana.

Confira o que deve movimentar os mercados esta semana:

Greve à vista

Os servidores públicos da Receita Federal permanecem em choque com o governo e uma greve da categoria está marcada para esta terça-feira (18)

Os funcionários do fisco pedem reajuste de 19,9% para repor a inflação dos últimos anos de governo. Contudo, de acordo com cálculos do diretor executivo da Instituição Fiscal Independente (IFI), cada 1% de reajuste linear para servidores impacta os cofres públicos em R$ 3 bilhões a R$ 4 bilhões

Histórico

Tudo começou quando o presidente da República, Jair Bolsonaro, buscou beneficiar os policiais federais, sua base de apoio eleitoral, antes do pleito de 2022. Isso gerou uma reação dos demais setores do funcionalismo, incluindo servidores do Banco Central

Ainda existe a chance de judicialização do processo, o que pode atrasar os planos de Bolsonaro, que tem até março para realizar o reajuste antes de começarem a valer as leis eleitorais. 

Na agenda local

A semana começa com os dados da “prévia do PIB” do Banco Central. O IBC-Br será divulgado às 9h de hoje, com o intervalo das estimativas indo de um avanço na casa dos 0,3% até alta de 1,0%, com mediana em 0,7%, de acordo com o Broadcast. 

Existe grande expectativa de que o IBC-Br surpreenda, tendo em vista o crescimento do setor de serviços e dados do varejo, divulgados na última semana. 

Sem maiores indicadores para os próximos dias, o IGP-M deve tomar a cena da quarta-feira (19)

Segunda de feriado…

O exterior inicia a semana com a liquidez reduzida. Hoje é feriado em comemoração ao dia de Martin Luther King nos Estados Unidos, o que mantém os mercados fechados por lá. 

Contudo, os investidores voltam seus olhos para o início da reunião do Fórum Econômico Mundial.

… Mas vai dar trabalho

A primeira reunião da semana será do Presidente da China, Xi Jinping com o conselheiro médico chefe da presidência dos EUA, Anthony Fauci e Secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, além do primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi.

Confira a agenda de participações:

  • Terça-feira: Diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS),Tedros Adhanom Ghebreyesus e o primeiro-ministro do Japão, Kishida Fumio;
  • Quarta-feira: Chanceler da Alemanha, Olaf Scholz; Diretor-executivo da Agência Internacional de Energia (AIE), Fatih Birol; Enviado Presidencial Especial para o Clima dos Estados Unidos, John F. Kerry;
  • Quinta-feira: Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen; Diretora-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Ngozi Okonjo-Iweala; Representante de Comércio dos Estados Unidos, Katherine Tai;
  • Sexta-feira: Diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva; Presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde; Secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen.

Por fim, os dados inflacionários da Europa ao longo da semana devem dar o tom das bolsas nos próximos dias. 

Do fim de semana

O primeiro grande indicador da semana foi divulgado durante a noite de domingo (16) no Brasil. O PIB da China cresceu 8,1% em 2021, em linha com as previsões mais otimistas do The Wall Street Journal

Isso mostra uma recuperação das atividades chinesas, que cresceram apenas 2,2% em 2020, segundo o departamento de estatísticas do país (NBS, em inglês).

Mas não apenas isso. O Banco do Povo da China (PBoC, em inglês), o Banco Central do Gigante Asiático, ainda cortou a taxa de juros de médio prazo e injetou mais dinheiro na economia após dados crescentes de covid-19 indicarem o avanço da pandemia nos países.

Bolsas pelo mundo

Os principais índices asiáticos encerraram o pregão desta segunda-feira sem uma única direção, após o PIB da China crescer acima do esperado, mas com a notícia de corte nos juros por parte do PBoC desanimou os negócios por lá. 

Já na Europa, o feriado nos Estados Unidos, que mantém as bolsas por lá fechadas hoje e reduz a liquidez dos mercados globais, ajuda na alta das principais bolsas por lá nesta manhã. O PIB chinês também animou os índices do Velho Continente.

Agenda da semana

Segunda-feira (17)

  • China: PIB de dezembro (domingo, 21h)
  • Banco Central: Boletim Focus semanal (8h25)
  • FGV: IGP-10 (8h)
  • Banco Central: IBC-Br de novembro (9h)
  • Feriado do dia de Martin Luther King nos EUA mantém mercados fechados 
  • Início dos trabalhos do Fórum Econômico Mundial

Terça-feira (18)

  • Estados Unidos: Índice de atividade industrial Empire State de janeiro (10h30)

Quarta-feira (19)

  • Brasil: Segunda prévia do IGP-M de janeiro(4h)
  • Banco Central: Fluxo cambial semanal (14h30)

Quinta-feira (20)

  • Zona do Euro: Inflação (7h)
  • Alemanha: BCE divulga a ata da última decisão de política monetária (9h30)
  • Estados Unidos: Pedidos de auxílio desemprego (10h30)

Sexta-feira (21)

  • Último dia da reunião do Fórum Econômico Mundial. 

Balanços da semana

Terça-feira (18)

  • Estados Unidos: Balanço do Bank of America (antes da abertura)
  • Estados Unidos: Balanço do Goldman Sachs (antes da abertura)

Quarta-feira (19)

  • Estados Unidos: Balanço do Morgan Stanley (antes da abertura)
  • Estados Unidos: Balanço da United Airlines (após o fechamento)
  • Estados Unidos: Balanço da Procter & Gamble (sem horário)

Quinta-feira (20)

  • Estados Unidos: Balanço da Netflix (após o fechamento)
  • Estados Unidos: Balanço da American Airlines (sem horário)

Compartilhe

MAQUININHA DE LUCRO

PagSeguro (PAGS34) dispara após balanço e puxa ações da Cielo (CIEL3); veja os números do resultado do 2T22

25 de agosto de 2022 - 17:28

A lucro da PagSeguro aumentou 35% na comparação com o mesmo período do ano passado e atingiu R$ 367 milhões

FIM DE TEMPORADA

Nos balanços do segundo trimestre, uma tendência para a bolsa: as receitas cresceram, mas os custos, também

19 de agosto de 2022 - 16:18

Safra de resultados financeiros sofreu efeitos do aumento da Selic, mas sensação é de que o pior já passou

Investidores gostaram

Nubank (NU; NUBR33) chega a subir 20% após balanço, mas visão dos analistas é mista e inadimplência preocupa

16 de agosto de 2022 - 12:03

Investidores gostaram de resultados operacionais, mas analistas seguem atentos ao crescimento da inadimplência; Itaú BBA acha que banco digital pode ter subestimado o risco do crédito pessoal

BALANÇO

Inter (INBR31) reverte prejuízo em lucro de R$ 15,5 milhões no segundo trimestre; confira os números

15 de agosto de 2022 - 21:01

No semestre encerrado em 30 de junho de 2022, o Inter superou a marca de 20 milhões de clientes, o que equivale a 22% de crescimento no período

BALANÇO DA HOLDING

Lucro líquido da Itaúsa (ITSA4) recua 12,5% no segundo trimestre, mas holding anuncia JCP adicional; confira os destaques do balanço

15 de agosto de 2022 - 19:52

Holding lucrou R$ 3 bilhões no segundo trimestre e vai distribuir juros sobre capital próprio no fim de agosto

Resultados

Nubank (NUBR33) tem prejuízo acima do esperado no 2º tri, e inadimplência continuou a se deteriorar; veja os destaques do balanço

15 de agosto de 2022 - 18:42

Prejuízo líquido chegou a quase US$ 30 milhões, ante uma expectativa de US$ 10 milhões; inadimplência veio dentro do esperado, segundo o banco

Bife suculento

Marfrig (MRFG3) anuncia R$ 500 milhões em dividendos e programa de recompra de 31 milhões de ações; veja quem tem direito aos proventos e os destaques do balanço

12 de agosto de 2022 - 13:15

Mercado reage positivamente aos números da companhia nesta sexta (12); dividendos serão pagos em setembro

Balanço

Oi (OIBR3) sai de lucro para prejuízo no 2T22, mas dívida líquida desaba

12 de agosto de 2022 - 6:45

Oi reportou prejuízo líquido de R$ 320,8 milhões entre abril de junho, vinda de um lucro de R$ 1,09 bilhão no mesmo período do ano anterior

Balanço do 2º tri

Cenário difícil para os ativos de risco pesa sobre o balanço da B3 no 2º trimestre; confira os principais números da operadora da bolsa

11 de agosto de 2022 - 19:56

Companhia viu queda nos volumes negociados e também nas principais linhas do balanço, tanto na comparação anual quanto em relação ao trimestre anterior

BALANÇO

Apelo de Luiza Trajano não foi à toa: Magazine Luiza tem prejuízo de R$ 135 milhões no 2T22 — veja o que afetou o Magalu

11 de agosto de 2022 - 19:26

O Magalu conseguiu reduzir as perdas na comparação com o primeiro trimestre de 2022, mas em relação ao mesmo período de 2021, acabou deixando o lucro para trás

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar