2022-07-14T16:36:47-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
PELÉ DE 2022

Bolsonaro vai acabar com a guerra? Presidente diz que tem saída para conflito entre Rússia e Ucrânia

Bolsonaro, que tenta emplacar uma agenda externa há menos de três meses das eleições, tem uma ligação marcada para o próximo dia 18 com o presidente ucraniano

14 de julho de 2022
16:36
Bolsonaro
Bolsonaro sobe nas pesquisas -

Em 1969, Pelé conseguiu parar uma guerra. Mais de 50 anos depois, o conflito não é na Nigéria e nem estamos falando do camisa 10. Em 2022, o cenário é a Ucrânia e a figura em questão é o presidente Jair Bolsonaro, que diz ter a fórmula para acabar com o conflito no leste europeu

Dessa vez, no entanto, o cessar-fogo não virá de uma partida do Santos, que fez a Nigéria parar para assistir o rei do futebol.

A solução de Bolsonaro passa muito longe dos campos, mas também tem inspiração em um conflito internacional. 

Como Bolsonaro quer parar a guerra?

Há 53 anos, o Santos fazia excursão pela África e recebeu convite para jogar na Nigéria. Só que para chegar até o estádio Beni City em segurança, era preciso um cessar-fogo. E foi justamente isso que ocorreu. O conflito foi interrompido para que as pessoas pudessem ver o rei Pelé.

No caso de Ucrânia e Rússia, Bolsonaro quer usar como modelo o conflito entre Reino Unido e Argentina  para o fim da guerra. 

A sugestão deve surgir em uma conversa que o presidente brasileiro tem programada com o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, agendada para o próximo dia 18. 

“Vou dar minha opinião a ele sobre o que eu acho. Eu sei como seria a solução do caso. Mas não vou adiantar. A solução do caso… Como acabou a guerra da Argentina com o Reino Unido em 1982? É por aí”, disse Bolsonaro nesta quinta-feira (14). 

A guerra entre Reino Unido e Argentina

O ano era 1982 e em jogo estava as Ilhas Malvinas, palco da disputa entre o Reino Unido e a Argentina. 

O conflito é um dos mais curtos do século 20, durando de abril a junho daquele ano. E o motivo para isso era a falta de armamentos potentes do lado argentino e o maior preparo tático dos britânicos.

O resultado: a Argentina se rendeu sem oferecer muita resistência e em 14 de junho de 1982, o Reino Unido restabeleceu a hegemonia sobre as Ilhas Falkland — nome oficialmente dado pelos britânicos à região.

Não ficou claro, porém, se o presidente brasileiro vai sugerir como solução para o fim da guerra a rendição da Ucrânia, que conta com poder bélico bem menor que a Rússia apesar do apoio dos países do Ocidente.

Veja também: Riscos para a economia no segundo semestre

E Putin sabe disso, Bolsonaro?

Em fevereiro deste ano, Bolsonaro fez uma viagem polêmica à Rússia, onde se reuniu com Vladimir Putin e pediu que o envio de fertilizantes ao Brasil não fosse interrompido.

No mês passado, em encontro com o presidente norte-americano, Joe Biden, Bolsonaro lamentou o conflito na Ucrânia, mas ressaltou que tem um país para administrar.

“Foi ele [Zelensky] que buscou conversa conosco. E eu disse de imediato que conversaria com ele, sim. Ele tem um país grande para administrar. Tudo que foi acordado com o presidente Putin está sendo cumprido. Da minha parte e da parte dele”, disse Bolsonaro. 

“Vou conversar bastante com ele [Zelensky]. É uma liderança e vou dar minha opinião para ele. Essa guerra tem causado transtorno não só para o Brasil. Brasil menos. É muito mais para a Europa”, acrescentou. 

Pelé já tentou parar a guerra na Ucrânia

Antes de Bolsonaro, Pelé tentou parar a guerra na Ucrânia — só que dessa vez sem as chuteiras nos pés. 

O rei do futebol enviou uma carta no mês passado a Putin, pedindo que o líder russo "pare com a invasão" e guerra na Ucrânia. 

A carta foi publicada nas redes sociais, antes da partida em Glasgow em que os ucranianos acabaram eliminando a Escócia (2-1) na repescagem rumo à Copa do Catar-2022.

"Eu quero utilizar a partida de hoje como uma oportunidade de fazer um pedido: pare com essa invasão. Não existem argumentos que justifiquem a violência", diz trecho da carta endereçada a Putin.

Bolsonaro tenta emplacar uma agenda externa

Bolsonaro vem tentando emplacar uma agenda externa alinhada a líderes conservadores  há menos de três meses do primeiro turno das eleições. 

Além de falar com Zelensky, nesta semana, ele recebeu no Planalto a presidente da Hungria, Katalin Novák

A chefe de Estado húngara é aliada do primeiro-ministro Viktor Orbán, símbolo da extrema-direita mundial.

Embora esteja tentando recolocar o Brasil no mapa, parece que a América do Sul está fora dos planos do presidente brasileiro — pelo menos por enquanto. 

Bolsonaro disse hoje que não irá ao Paraguai para a cúpula de líderes do Mercosul. 

"Falei que não vou mais. Na política você pode voltar atrás em algumas coisas. Minha decisão no momento é não ir ao Mercosul", afirmou. 

A cúpula semestral do Mercosul acontece no próximo dia 20, em Assunção, e será liderada pelo presidente paraguaio, Mario Abdo Benítez, aliado de Bolsonaro.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

CAÇADOR DE TENDÊNCIAS

Oportunidade de lucro acima de 9% em swing trade com a Helbor (HBOR3); confira a recomendação

9 de agosto de 2022 - 8:26

Identifiquei uma oportunidade de swing trade – compra dos papéis da Helbor (HBOR3). Saiba mais detalhes

O melhor do Seu Dinheiro

Os sons do silêncio nas bolsas: Saiba como interpretar os ruídos dos mercados que mexem com os seus investimentos hoje

9 de agosto de 2022 - 8:24

De olhos e ouvidos atentos aos dados da inflação, investidores os juntarão ao quebra-cabeças da ata da última reunião do Copom

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Todos os olhos e ouvidos do Ibovespa voltados para a inflação de hoje enquanto as bolsas internacionais aguardam os dados dos EUA

9 de agosto de 2022 - 7:43

Os índices internacionais aguardam os números de inflação dos EUA, que só devem ser conhecidos na quarta-feira

Balanço

BTG Pactual (BPAC11) tem lucro de R$ 2,175 bilhões no 2T22 e renova recorde

9 de agosto de 2022 - 7:26

Lucro líquido recorrente de R$ 2,175 bilhões do BTG no segundo trimestre representa um avanço de 26,5% em relação ao mesmo período de 2021

INSIGHTS ASSIMÉTRICOS

Um mundo tomado pela inflação: entenda ao que é preciso prestar atenção para saber se os preços vão finalmente parar de subir

9 de agosto de 2022 - 6:10

O processo de normalização dos preços será fundamental para que consigamos ter maior previsibilidade quanto ao futuro dos ativos de risco

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies