O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-04-18T07:05:04-03:00
Ricardo Gozzi
NEM VAI FAZER ANIVERSÁRIO?

De IPO badalado a carona de volta: DiDi chama acionistas para votarem saída de Wall Street e ações despencam (mais)

A ação da DiDi, que é dona da 99, acumula queda de mais de 80% desde seu badalado IPO, em junho do ano passado

18 de abril de 2022
6:55 - atualizado às 7:05
Didi
Veículo credenciado pelo aplicativo DiDi. Imagem: Shutterstock

A DiDi, dona da 99, requisitou uma carona em dezembro do ano passado. Ela pretendia ir de Wall Street de volta para sua casa, na China. Mas só agora um motorista acenou com uma previsão de quando a corrida será atendida.

E o resultado não foi nada bom para as ações da Didi. Os papéis da gigante tecnológica chinesa despencavam no pré-mercado em Nova York na manhã de hoje depois de a empresa ter reportado prejuízo e queda de 12,7% na receita do quarto trimestre.

A maior parte do declínio da receita veio da divisão China Mobility. O prejuízo no trimestre foi de cerca de US$ 27 milhões.

DiDi convoca assembleia extraordinária

Mas este nem é o maior dos problemas. A DiDi anunciou que não tentará listar suas ações em em nenhum outro país até que a deslistagem dos EUA seja concluída.

Além disso, para deliberar sobre a saída do mercado norte-americano de ações, a companhia convocou para 23 de maio uma assembleia extraordinária de acionistas.

Consequentemente, as ações da Didi recuavam quase 20% no pré-mercado em Nova York. Desde o IPO, em junho do ano passado, os papéis do principal aplicativo de caronas da China já caíram mais de 80%.

De IPO badalado a carona de volta

Há menos de um ano, a DiDi protagonizou uma badalada oferta inicial de ações (IPO) em Nova York.

Em dezembro de 2021, entretanto, a empresa comunicou a seus acionistas que voltaria para casa.

A DiDi encontrava-se sob intensa pressão tanto de autoridades regulatórias dos Estados Unidos quanto da China em meio a uma disputa entre os dois países que envolve privacidade de dados e segurança nacional.

DiDi promete total cooperação

Em um comunicado divulgado no sábado, a DiDi informou que estava “cooperando plenamente com as revisões de segurança cibernética na China” e, por isso, não solicitaria listagem em nenhuma outra bolsa de valores até que a deslistagem nos EUA fosse concluída.

Anteriormente, a empresa estudava a possibilidade de listar suas ações em Hong Kong.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

'PERGUNTA PRO SACHSIDA'

Bolsonaro se pronuncia sobre ‘fritura’ e possível substituição do presidente da Petrobras (PETR4)

Bolsonaro voltou a dizer que “ninguém vai tabelar preço de combustível”, mas afirmou que a “finalidade social” da Petrobras não está sendo cumprida

BAIXOU A PREVISÃO

Magazine Luiza (MGLU3) rebaixado: JP Morgan corta previsão para ações antes do balanço de amanhã, mas projeção ainda é de alta de quase 50%; entenda motivos

O cenário de alta dos juros deve pressionar o varejo, mas o JP Morgan entende que a empresa está bem posicionada no setor

ESFRIOU

Ano deve ter queda de fusões e aquisições, mas 2022 conta com negócios de grante porte até o momento; relembre algumas delas

Entre os fatores que causaram essa freada, estão a guerra entre Rússia e Ucrânia e a expectativa de desaceleração na China, após lockdowns para conterdos casos de covid

SEU DIA EM CRIPTO

Terra (LUNA) não acompanha recuperação do bitcoin (BTC) neste domingo; criptomoedas tentam começar semana com pé direito

Mesmo com a retomada de hoje, as criptomoedas acumulam perdas de mais de dois dígitos nos últimos sete dias

A COISA VAI ESQUENTAR

Novo capítulo da guerra? Vizinhos da Rússia, Finlândia e Suécia devem se juntar à Otan e tensão na região aumenta

Vladimir Putin, presidente russo, já havia dito que a entrada dos países na Organização exigiria retaliações

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies