';

Veja onde investir em 2023 no guia exclusivo do Seu Dinheiro; baixe gratuitamente aqui

Cotações por TradingView
2022-01-06T09:36:22-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: Bolsas e bitcoin (BTC) caem após ata do Fed, e Ibovespa deve aprofundar queda com risco fiscal do cenário doméstico

Os índices dos Estados Unidos tiveram uma queda expressiva ontem (05) após a divulgação do documento, e o Ibovespa, que já ia mal, piorou ainda mais

6 de janeiro de 2022
8:00 - atualizado às 9:36
FED Assombração Fantasma Mercados Gráfico Federal Reserve Jerome Powell bolsa
Saiba o que movimenta o Ibovespa, dólar e as bolsas pelo mundo hoje (06). Imagem: Shutterstock, com intervenção de Andrei Morais

A palavra “incerteza” gera calafrios na espinha dos investidores, mas a concretude do pior cenário possível também não agrada. O Federal Reserve, o Banco Central americano, confirmou os temores do mercado na ata da sua última reunião e esse fantasma deve refletir no pregão desta quinta-feira (06) em todo o mundo. 

A retirada dos estímulos à economia, movimento conhecido como tapering, começará antes do esperado. Os juros também devem subir antes — e mais — para conter a maior inflação dos EUA em 30 anos. 

Com isso, a curva de juros disparou por lá, com os retornos dos títulos do Tesouro americano, os chamados Treasuries, em alta de até 2%. Um retorno maior dos ativos de menor risco da economia mundial deve retirar o interesse de grandes investidores por países emergentes — e o Brasil, em especial, deve ser o patinho feio da história. 

O risco fiscal do país segue nas alturas. A ameaça ao teto de gastos, os dribles fiscais com a já aprovada PEC dos precatórios e a desoneração da folha de pagamento sem a compensação adequada para a renúncia da receita ligam um sinal vermelho para o crime de responsabilidade fiscal. 

Tudo isso em um ano de eleição que irá chacoalhar a bolsa brasileira. 

Saiba o que esperar do pregão de hoje: 

Um gavião muito grande

A divulgação da ata da última reunião do Federal Reserve, o Banco Central americano, na última quarta-feira (05) caiu como uma bomba nos mercados. 

O discurso de inflação transitória foi jogado na lata do lixo, e o remédio para correr atrás do prejuízo não poderia ser diferente — nem mais amargo. Além da redução da compra de ativos, o que deve influenciar diretamente na quantidade de dinheiro disponível para os investidores, a alta nos juros americanos já está marcada para março deste ano. 

O Fed carrega hoje mais de US$ 8 trilhões em ativos no balanço. Não é por acaso, portanto, que os investidores tremem só de pensar na possibilidade de o BC norte-americano começar a desovar esses papéis no mercado.

E ninguém escapou

Os ativos de risco sofreram com o anúncio de que o Fed irá fechar a torneira do dinheiro nos mercados ainda mais rapidamente que o esperado, e nem as criptomoedas ficaram de fora. 

Durante a madrugada no Brasil, o bitcoin (BTC) aprofundou a queda e passou a recuar 8,57%, cotado a US$ 42.755,21 (R$ 244.065,35). Com exceção das stablecoins, as criptomoedas com lastro, todas as dez maiores criptos do mundo caem mais de 10%.

Nada novo em solo brasileiro

O Ibovespa já destoava do otimismo das bolsas internacionais desde a primeira segunda-feira de 2022. A piora do sentimento internacional com a ata do Fed fez o principal índice da B3 aprofundar as perdas e recuar mais 2,42% na sessão de ontem (05), aos 101.006 pontos, nível mais baixo desde novembro de 2021.

O dólar à vista, que operou em queda na primeira etapa do pregão, subiu 0,39%, aos R$ 5,7351.

Como se não bastasse um exterior negativo, o cenário doméstico não ajuda. A desoneração da folha de pagamento, medida sancionada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, tem gerado debates que, em última instância, podem fazer a MP ser considerada crime de responsabilidade, o que poderia motivar um impeachment.

Segundo a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), deve haver uma compensação para a renúncia de receitas, o que não ocorreu com a MP de Bolsonaro. Técnicos do Tribunal de Contas da União (TCU) e da equipe econômica temem por uma abertura de processo por crime de responsabilidade. 

O que diz a MP

A medida provisória de desoneração da folha de pagamento retira encargos trabalhistas de 17 setores da economia, considerados os que mais geram empregos no país.

O alívio tributário está em vigor desde 2011, e desta vez foi apenas prorrogado, pois expiraria no fim de 2021. Pela desoneração da folha, as empresas beneficiadas recolhem alíquotas de 1% a 4,5% sobre o faturamento, em vez de 20% sobre a folha de salários.

Para os técnicos do TCU, deveria haver uma compensação para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) porque, segundo os servidores, essa revisão do cálculo do teto de gastos abre um espaço artificial nas contas públicas, e a renúncia fiscal pode chegar a R$ 9,08 bilhões

Bolsas pelo mundo

Os principais índices asiáticos encerraram o pregão desta quinta-feira majoritariamente em baixa após a ata mais dura do Federal Reserve contra a inflação. 

De maneira semelhante, as bolsas europeias também registram perdas após a abertura, de olho na redução da liquidez dos mercados globais causada pelo aperto monetário do Fed. 

Por fim, os futuros de Nova York apontam para a mesma direção, e a abertura deve ser no campo negativo, com os investidores se ajustando ao novo cenário imposto pelo BC americano. 

Agenda do dia

  • FGV: IGP-DI de dezembro e de 2021 (8h)
  • IBGE: Produção Industrial de novembro (9h)
  • Estados Unidos: Pedidos de auxílio-desemprego (10h30)
  • Estados Unidos: Balança comercial de novembro (10h30)

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

DIA 24

Brasil no cenário global: Lula fala em reencontro consigo mesmo em reunião de países latino-americanos

24 de janeiro de 2023 - 20:21

Em discurso que marcou o retorno do país à cúpula da Celac, o presidente também lembrou da importância de estar perto de China e de UE

REVERSÃO

BTG Pactual sofre derrota em batalha judicial contra Americanas (AMER3): bloqueio de R$ 1,2 bilhão do caixa da varejista é suspenso

24 de janeiro de 2023 - 19:55

O mesmo desembargador que havia concedido a liminar ao banco determinou hoje que o valor que estava retido deve ser revertido à ação de recuperação judicial

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Recuperação dos bancos e queda dos juros impulsionam Ibovespa; confira os destaques do dia

24 de janeiro de 2023 - 18:58

Veja tudo o que movimentou os mercados nesta terça-feira, incluindo os principais destaques do noticiário corporativo

A GIGANTE ESTÁ DE PÉ?

Crescimento da receita da Microsoft é o menor desde 2016, mas ações sobem em Nova York — o que agradou os investidores?

24 de janeiro de 2023 - 18:33

Os papéis da gigante do software reagiram bem no after market em Nova York, chegando a subir mais de 4% depois de encerrarem o dia em queda na negociação regulamentar

Bancos x Americanas

Caso Americanas: Itaú rebate Lemann e diz que é ‘leviano’ atribuir aos bancos responsabilidade sobre rombo contábil

24 de janeiro de 2023 - 17:04

Para o Itaú, as demonstrações financeiras da Americanas são de responsabilidade única e exclusiva da varejista, incluindo diretoria e conselho

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies