Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-08-19T09:46:01-03:00
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo
Esquenta dos Mercados

Pré-mercado: Ata do Fed repercute nas bolsas e Ibovespa deve cair hoje com risco fiscal e aumento da cautela no radar

Os bons dias da bolsa brasileira parecem ter ficado para trás e o clima da eleição de 2022 tomou conta das decisões do Congresso

19 de agosto de 2021
7:48 - atualizado às 9:46
Fed
Imagem: Shutterstock

A bolsa brasileira deve sentir a cautela vinda do exterior no pregão desta quinta-feira (19). O Ibovespa hoje deve repercutir os desdobramentos do cenário interno conturbado, com ameaças ao teto de gastos, e repercutir a ata do Fed de ontem. 

AGORA: Ibovespa futuro abre em queda de mais de 1% enquanto dólar avança (clique aqui)

Risco fiscal no radar

A eleição de 2022 parece ter finalmente dobrado a esquina. O clima eleitoral de agora deve colocar o teto de gastos e a regra de ouro em segundo plano, com a popularidade do atual governo caindo a cada pesquisa. 

A PEC dos precatórios serviria, em tese, para abrir espaço no Orçamento e aliviar as contas do governo. Entretanto, o presidente Jair Bolsonaro quer usar essa folga nas contas para aumentar o valor do Auxílio Brasil, um substituto do Bolsa Família. 

Somado a isso, o Congresso Nacional não consegue achar um meio termo para a reforma do Imposto de Renda, em especial a parte que fala do IRPJ. Estados e Municípios entraram na disputa por recursos, afirmando que o texto, como está, afetaria o caixa dos entes da federação. 

Os detalhes do que acontece em Brasília você pode conferir aqui: Ruídos de Brasília: o que acontece no Planalto Central e respinga na Bolsa (e no seu bolso)

No pregão de ontem, o principal índice da bolsa fechou o dia em recuo de 1,01%, aos 116.642 pontos, menor nível de fechamento desde abril. O dólar à vista, por sua vez, encerrou a sessão em alta de 1,99%, a R$ 5,3549.

Confira o que mais deve movimentar o pregão de hoje:

Ata do Fed

O documento da última reunião do Federal Reserve trouxe dois pontos importantes que colocaram os investidores contra a parede. 

Em primeiro lugar, a falta de consenso entre os dirigentes do BC americano sobre a retirada de estímulos da economia dos Estados Unidos, o chamado tapering. Na última reunião, o Fed decidiu por manter a compra de pelo menos US$ 120 bilhões de títulos por mês.

Outro ponto importante foi uma sinalização sobre a retirada de estímulos ainda este ano.  A ata indica que quase 60% dos participantes apostam que a primeira redução no ritmo dos estímulos ocorra apenas a partir de janeiro. Os detalhes você confere clicando aqui.

Antes da divulgação da ata, dirigentes do Fed já haviam sinalizado sobre a falta de efetividade da atual política monetária da instituição. Para eles, o processo de compra de ativos não estava interferindo nos números de emprego, mas aumentando a inflação e pressionando a curva de juros. 

O exterior segue de olho nas próximas movimentações do BC americano. A aversão ao risco está afetando o desempenho das principais praças do mundo. 

Bolsas pelo mundo

A ata do Fed desagradou os investidores asiáticos e os índices da região fecharam em baixa na manhã desta quinta-feira. Os temores envolvendo a variante delta do coronavírus e o avanço regulatório da China sobre empresas de tecnologia também fizeram pressão nos índices.

Na Europa, o documento da última reunião do BC americano também ligou o sinal vermelho dos investidores, que aumentaram a cautela e derrubaram os índices. No Velho Continente, o apetite de risco é limitado pelo avanço da variante delta pelo mundo. 

Por fim, os futuros de Nova York também apontam para um pregão de baixa. Os investidores devem ficar de olho nos pedidos de auxílio-desemprego desta manhã. 

Agenda do dia

  • Estados Unidos: Pedidos de auxílio-desemprego (9h30)
  • CNI: Índice de evolução da produção de julho e utilização da capacidade instalada (10h)
  • Banco Central: Diretores do BC Bruno Serra Fernandes (Política Monetária), Fabio Kanczuk (Política Econômica), Fernanda Guardado (Assuntos Internacionais e de Gestão de Riscos Corporativos) e Paulo Souza (Fiscalização) participam de reunião trimestral com economistas (10h30)
  • Banco Central: Presidente do BC, Roberto Campos Neto, participa de webinar do Council of the Americas, evento virtual aberto à imprensa (11h)
  • Ministério da Economia: Ministro Paulo Guedes (Economia) participa de audiência sobre Mercosul na Comissão de Relações Exteriores do Senado (11h)
  • China: Banco do Povo da China (PBoC) define taxa de juros de referência (LPRs) de 1 e 5 anos (22h30)

Não deixe de conferir o nosso canal do YouTube:

Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

MERCADOS HOJE

Evergrande injeta temor no mercado global e bolsas têm dia de fortes perdas; Ibovespa fecha no menor nível desde novembro

Temor de que os problemas da incorporadora chinesa gerem uma reação em cadeia no mercado global afundou as bolsas nesta segunda-feira (20)

Ruído político

Congresso não participou de debate sobre aumento no IOF, revela presidente da Câmara

Arthur Lira também declarou que quer avançar com a reforma administrativa e uma solução para a questão dos precatórios ainda nesta semana

Na onda do minério

Mercado Livre (MELI34) ultrapassa Vale (VALE3) e se torna a empresa mais valiosa da América Latina

A gigante de comércio eletrônico argentina conquistou o posto após a mineradora brasileira perder R$ 43,6 bilhões em valor de mercado na última semana

Vídeos

Investir em IPOs vale a pena? Saiba as causas dessa febre do mercado

O ano de 2021 está mostrando a força do setor dos IPOs. São diversas empresas que abriram seu capital e fizeram sua oferta primária. Matheus Spiess, analista da Empiricus, explica neste vídeo sobre este cenário. Confira

desaceleração a caminho

Renda fixa: Por que a Evergrande derruba o Ibovespa, mas alivia o mercado de juros

Desempenho é oposto ao que se poderia esperar quando há pânico no mercado, diz especialista; contratos DIs para janeiro de 2022 caem de 7,09% para 7,08%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies