Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-10-22T13:19:14-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
SOB PRESSÃO

Furo no teto e Guedes na corda bamba elevam apostas para os próximos passos da Selic; contratos de DI atingem oscilação máxima

Hoje os olhos do mercado se voltam para o próprio Guedes, com temores de que o ministro seja o próximo a pular fora do barco. A curva de juros reage

22 de outubro de 2021
13:15 - atualizado às 13:19
Selic renda fixa
A taxa de juros segue como protagonista de hoje, mas a PEC dos precatórios eleva a cautela - Imagem: Shutterstock

O tempo fechou em Brasília e as incertezas que já eram grandes ficaram maiores ainda. O furo no teto de gastos e a ampliação das despesas do governo estão próximos de se tornar uma realidade agora que a PEC dos precatórios tem um texto fechado e será encaminhado para votação no plenário da Câmara. 

O texto altera o indexador utilizado para reajuste da quantia e adianta a revisão dos valores em cinco anos. No total, são quase R$ 100 bilhões liberados para que o governo federal honre suas promessas para as famílias mais necessitadas (com um auxílio de no mínimo R$ 400 até o fim de 2022) e também para os caminhoneiros (com um auxílio de R$ 400 para compensar a alta do valor dos combustíveis). 

O indigesto desenho encontrado para elevar os gastos públicos não desagradou apenas ao mercado financeiro. Na noite de ontem, a equipe econômica de Paulo Guedes sofreu novas baixas, com a saída de seus principais secretários. 

Hoje os olhos do mercado se voltam para o próprio Guedes, com temores de que o ministro seja o próximo a pular fora do barco. O presidente Jair Bolsonaro já garantiu que o chefe da economia fica e deve ir até o ministério como forma de mostrar apoio ao homem que garantiu o apoio do mercado ao mandato de Bolsonaro. 

Inflação, elevação dos gastos públicos e crise política não é um combo desejado por ninguém. Com a deterioração do cenário fiscal, os investidores já começam a projetar que o Banco Central terá que acelerar o ritmo de elevação da taxa Selic, em uma tentativa de manter o país mais atrativo para investimentos, mas que também deve repercutir em uma desaceleração da atividade econômica. 

Se antes os investidores estavam confiantes de que o BC elevará a taxa básica de juros em 1 ponto percentual na próxima reunião, essa não é mais realidade. As opções de Copom negociadas na B3, que mostram a aposta do mercado para a próxima decisão, mostram que o ajuste esperado é de no mínimo 1,25 ponto percentual. 

Indo ao limite

Sempre um bom termômetro para o humor do mercado, as taxas dos contratos de Depósito Interfinanceiro (DI) de curto prazo chegaram a atingir o limite de oscilação permitida, como:

  • Janeiro de 2024: de 11,13% para 12,45%
  • Janeiro de 2023: de 10,495% para 11,45%
  • Julho de 2022: de 9,77% para 10,57%
  • Abril de 2022: de 8,99% para 9,67%

Confira também como anda o desempenho dos contratos de DIs mais líquidos:

  • Janeiro de 2022: de 7,89% para 8,31%
  • Janeiro de 2023: de 10,58% para 11,42%
  • Janeiro de 2025: de 11,50% para 12,41%
  • Janeiro de 2027: de 11,78% para 12,65%
Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

NOVATA NA FINAL

Não estranhe: patrocinadora da final entre Palmeiras e Flamengo é a nova corretora de criptomoedas do Brasil; conheça Crypto.bom

A exchange resolveu investir no segmento de esportes e patrocina Fórmula 1, NBA e até o campeonato europeu

Raio-X

Análise: Por que a alta da inflação pode ameaçar o pacote de infraestrutura de Joe Biden?

O presidente americano tem ambiciosos planos pela frente, mas a alta da inflação e gargalos estruturais da economia podem alterar o rumo

A SEMANA EM GRÁFICOS

Covid-19 pressiona aéreas, turismo, Ibovespa e bitcoin, mas inflação avança no mundo: entenda a última semana com estes gráficos

As companhias aéreas sofreram perdas significativas na bolsa esta semana e nem o bitcoin (BTC) conseguiu se salvar

O MELHOR DA SEMANA

Piora da covid no mundo e criptomoedas além do bitcoin (BTC): 5 assuntos mais lidos no Seu Dinheiro esta semana

O mercado já trabalhava amplamente com a visão do verdadeiro normal. Mas os mercados globais voltaram a entrar em pânico com a covid-19

PAPO CRIPTO #007

Tecnologia que criou o bitcoin (BTC) pode reduzir custo de captação de recursos em quase 70%, diz chefe de ativos digitais do BTG

“Empresas pequenas e médias têm menor possibilidade de acesso ao mercado de capitais, muito por causa dos custos envolvidos”, comenta

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies