Você pode ter uma renda semanal de até 500 dólares na sua conta; descubra como aqui

Cotações por TradingView
2021-10-21T13:06:08-03:00
Vinícius Pinheiro
Vinícius Pinheiro
Diretor de redação do Seu Dinheiro. Formado em jornalismo, com MBA em Derivativos e Informações Econômico-Financeiras pela FIA, trabalhou nas principais publicações de economia do país, como Valor Econômico, Agência Estado e Gazeta Mercantil. É autor dos romances O Roteirista, Abandonado e Os Jogadores
Renda fixa vive

Com lambança fiscal do Auxílio Brasil, taxa dos títulos do Tesouro Direto já rende quase 1% ao mês

Quem investir hoje no título do Tesouro Direto prefixado com vencimento em 2031 leva para casa um retorno de 12,10% ao ano, o equivalente a 0,9563% ao mês

21 de outubro de 2021
11:13 - atualizado às 13:06
Estátua do ministro Paulo Guedes na sede do TC - Traders Club
Estátua do ex-ministro Paulo Guedes na sede do TC - Traders Club - Imagem: Reprodução Twitter

Estava com saudades do retorno de 1% ao mês proporcionado pelo governo? Pois a verdadeira lambança fiscal provocada pelo anúncio do benefício de R$ 400 do Auxílio Brasil furando o teto de gastos levou a uma disparada nos juros dos títulos públicos, incluindo aqueles que você pode investir no Tesouro Direto.

A taxa do título do Tesouro prefixado com vencimento em 2031 saltou de 11,08% no fechamento de segunda-feira para 12,10% na manhã desta quinta-feira.

Ou seja, quem investir nesse título hoje leva para casa um retorno equivalente a 0,9563% ao mês — com a regra dos juros compostos, não basta dividir 12% por 12 meses — e com direito a um rendimento caindo na conta a cada seis meses.

O problema é conseguir investir, já que o sistema do Tesouro Direto estava indisponível, com negociação apenas dos títulos atrelados à taxa básica de juros (Tesouro Selic).

A alta das taxas pode ser uma boa notícia para quem investe em renda fixa, mas é um péssimo sinal para o país e mostra a perda da credibilidade do governo. Mas afinal, por que o risco fiscal mexe com as taxas dos títulos do Tesouro Direto?

O receio dos investidores é o de que a falta de compromisso com o teto de gastos — que proíbe o crescimento das despesas além da inflação — leve a um descontrole fiscal.

É por isso que o mercado exige taxas maiores para comprar os títulos públicos. E o governo não tem muito o que fazer, já que opera com déficit nas contas desde 2014 e precisa do dinheiro dos investidores para arcar com as despesas, incluindo o novo programa social que vai substituir o Bolsa Família.

A "pá de cal" no teto e que levou os títulos do Tesouro Direto de volta aos 12% aconteceu ontem à noite, quando o ministro Paulo Guedes reconheceu que o governo pedirá uma "licença para gastar" R$ 30 bilhões fora do limite para bancar o Auxílio Fiscal de R$ 400.

Tesouro Direto prefixado: retorno bom, mas arriscado

Do ponto de vista do investidor, conseguir um retorno de quase 1% ao mês no Tesouro Prefixado pelos próximos 10 anos e com risco praticamente zero de calote é sedutor. Hoje já é possível obter ganhos semelhantes ou até maiores com títulos privados. Mas eles embutem o risco de o emissor dos papéis não honrar o compromisso.

No caso do Tesouro Direto, a chance de o investidor não ter o dinheiro de volta com o rendimento prometido é mínima, já que, no limite, o governo pode imprimir dinheiro para pagar.

Então, qual é o risco de se investir no Tesouro Prefixado? Como diz o nome, a taxa desse título público é definida no momento da compra e não muda mais.

Isso significa que, se os juros no Brasil subirem além dos 12% e permanecerem nesse patamar, quem investiu nos títulos prefixados do Tesouro Direto vai acabar perdendo dinheiro — ou ganhar menos do que poderia.

Outro lembrete importante é que o rendimento dos títulos do Tesouro Direto só é garantido no vencimento. Ou seja, se você precisar resgatar o dinheiro antes, terá que aceitar a taxa que está sendo negociada no momento da venda.

Quanto maior for a taxa, pior. Mas você também pode ganhar dinheiro se o mercado passar a exigir menos juros pelos títulos públicos. Saiba mais sobre a chamada "marcação a mercado" nesta matéria.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Jogando para frente

Ultraleve: Gol (GOLL4) renegocia dívidas de curto prazo e tira um peso das asas; ações sobem

7 de fevereiro de 2023 - 15:01

A Gol vai trocar títulos de dívida com vencimento até 2026 por outros mais longos, com prazo para 2028, numa operação com o Grupo Abra

A CAMPEÃ

Na corrida do atacarejo, quem leva a melhor: Assaí (ASAI3) ou Carrefour (CRFB3)? Saiba qual ação é a medalha de ouro de Bradesco BBI e JP Morgan

7 de fevereiro de 2023 - 14:31

Resultado da disputa muda dependendo da estratégia — curto ou longo prazo. As recomendações para os papéis também não são as mesmas, e em um dos casos o potencial de valorização chega a 70%

DE OLHO NAS REDES

Como ganhar um salário de R$ 7.500 na aposentadoria: este investimento pode te garantir essa renda — não é a previdência privada; descubra detalhes

7 de fevereiro de 2023 - 14:09

Se aposentar com um salário de R$ 7.507,49 — o teto do INSS atualmente — está cada dia mais difícil, em especial depois da Reforma da Previdência. A verdade é que, se você depender exclusivamente do INSS na hora da sua aposentadoria, é bem provável que você se dê mal.  Pensando nisso, existe um novo […]

RECALCULANDO A ROTA

MRV (MRVE3) corta operações e reduz metas de crescimento para recuperar rentabilidade; confira os planos da companhia para os próximos três anos

7 de fevereiro de 2023 - 13:47

A mudança de foco da companhia foi anunciada pelo copresidente Rafael Menin durante um encontro com investidores e analistas promovido nesta terça-feira

FAVORITISMO

Saiba o que está fazendo os olhos dos analistas do Credit Suisse brilharem quando falam sobre Nubank

7 de fevereiro de 2023 - 13:12

Para a equipe do banco, o Nubank é menos afetado pelos problemas que atingem as grandes instituições, como a inadimplência corporativa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies