O melhor time de jornalistas e analistas do Telegram! Inscreva-se agora e libere a sua vaga

2022-04-25T17:14:09-03:00
Renan Sousa
Renan Sousa
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP) e já passou pela Editora Globo e SpaceMoney. Twitter: @RenanSSousa1
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Formada em jornalismo pela Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
MERCADOS HOJE

Bolsa hoje: Ibovespa melhora com virada do Nasdaq, mas segue em queda; dólar sobe

25 de abril de 2022
9:06 - atualizado às 17:14

RESUMO DO DIA: As bolsas internacionais continuam com uma forte aversão ao risco nesta segunda-feira (22). As sinalizações de uma elevação de juros mais brusca por parte do Federal Reserve e os novos surtos da covid-19 na China piora o sentimento dos investidores e derruba as commodities. Por aqui, a crise política local é o principal fator de cautela.

Acompanhe por aqui o que mexe com a bolsa, o dólar e os demais mercados hoje, além das principais notícias do dia.

FECHAMENTO EM NOVA YORK

Os investidores deixaram para trás o mau humor dos primeiros momentos do pregão e fecharam o dia com apetite por risco em Wall Street.

  • Nasdaq: +1,29%
  • Dow Jones: +0,71%
  • S&P 500: 0,58%

Em um dia de forte volatilidade, o dólar à vista encerrou a sessão em alta de 1,29%, a R$ 4,8755. O Ibovespa ficou longe das mínimas, mas recuou 0,35%, aos 110.684 pontos.

É OFICIAL

O CEO da Tesla (TSLA34) agora também é o dono do Twitter (TWRT34). O negócio, avaliado em cerca de US$ 44 bilhões, foi anunciado oficialmente nesta segunda-feira (25) como era esperado.

Após comprar cerca de 9% da plataforma, o bilionário apresentou no último dia 14 uma proposta para adquirir 100% do Twitter por US$ 54,20 por ação.

A empresa chegou a adotar a chamada pílula de veneno (poison pill) para impedir que Musk aumentasse sua participação, mas mudou de posição depois que seus papéis desabaram e o dono da Tesla afirmar que tinha garantido US$ 46,5 bilhões em financiamento.

Confira os detalhes da operação. 

WALL STREET BUSCA FÔLEGO

As pressões negativas persistem no mercado internacional, mas as bolsas em Wall Street buscam algum alívio nesta tarde – o que reflete em uma melhora do humor também no Ibovespa.

Quem puxa a alta desta tarde é o Nasdaq. O setor de tecnologia é impactado pela alta de quase 10% das ações do Twitter. O mercado espera que o bilionário Elon Musk feche a compra da rede social ainda nesta segunda-feira (25).

IRB (IRBR3) NO VERMELHO

Depois de amargar centenas de milhões em prejuízo no ano passado e voltar a reportar lucro em janeiro de 2022, o grupo de resseguros voltou a fechar no vermelho em fevereiro. O resultado negativo foi de R$ 50,9 milhões, de acordo com relatório enviado à Susep, órgão regulador do setor.

Com o resultado, o IRB reverteu o lucro de R$ 20,8 milhões que havia registrado no mesmo mês de 2021. Confira os detalhes do resultado. 

CORRENDO ATRÁS

Enquanto os olhos do mundo se voltam para a China, o governo do gigante asiático busca estimular o consumo doméstico para escapar do efeito das novas medidas de restrição contra o coronavírus.

Entre as medidas adotadas está a construção de armazéns nos arredores de grandes cidades e a redução da taxa de juros. CONFIRA MAIS DETALHES. 

Na última hora, os investidores reduziram o movimento de cautela no mercado global. Com uma sutil melhora em Nova York, o Ibovespa conseguiu abandonar as mínimas, mas segue acumulando o pior desempenho mensal desde o pico da pandemia.

Por volta das 14h40, o principal índice da bolsa apresentava queda de 0,93%, aos 110.039 pontos. O dólar à vista sobe 1,93%, a R$ 4,9031.

Felipe Izac, sócio da Nexgen Capital, explica que a tendência para o dólar hoje é de valorização, principalmente frente a moedas de países mais ligados à commodities, como é o caso do Brasil.

Lembrando: o petróleo recua cerca de 5%, enquanto o minério de ferro fechou a madrugada em queda de 10%.

FECHAMENTO NA EUROPA

A preocupação com a fragilidade da economia global também pressionou os negócios na Europa. Confira o desempenho das principais bolsas do continente:

  • Frankfurt: -1,59%
  • Londres: -1,89%
  • Paris: -2,01%
  • Stoxx: -1,76%

A cautela não parece arrefecer ao longo do pregão desta segunda-feira. O Ibovespa segue renovando mínimas, se mantendo abaixo da linha dos 110 mil pontos. O dólar à vista avança 2,35%, a R$ 4,9177.

TWITTER (TWTR34) EM ALTA

As ações do Twitter (TWTR34) sobem 3,88%, cotadas a US$ 50,83, em Nova York, embaladas pela notícia do Wall Street Journal indicando que representantes da plataforma se reuniram com Elon Musk para discutir a oferta de aquisição do bilionário, avaliada em US$ 43 bilhões.

As BDRs acompanham o movimento de alta e avançam 5,36%, cotadas a R$ 123,47. Segundo o jornal, um acordo entre o Twitter e Musk pode ser finalizado nesta segunda-feira (25). No entanto, não há garantias para a conclusão do negócio.

JUROS EM QUEDA

Depois da forte inclinação na curva vista na última semana, os juros futuros operam em queda nesta manhã.

Na semana passada, diversos dirigentes do Federal Reserve – incluindo o presidente Jerome Powell – defenderam uma alta de 50 pontos-base na próxima reunião do Banco Central americano. Além disso, devemos ver também uma alta dos juros na Europa e no Brasil, caso a inflação siga no patamar atual.

Confira o movimento desta segunda-feira.

CÓDIGO NOME  ULT  FEC
DI1F23 DI jan/23 12,97% 12,99%
DI1F25 DI Jan/25 12,11% 12,15%
DI1F26 DI Jan/26 11,95% 11,97%
DI1F27 DI Jan/27 11,94% 11,97%
PIORES DO DIA

Confira as empresas com o pior desempenho do dia. As empresas do setor de mineração e siderurgia dominam a lista, repercutindo a queda de 10% do minério de ferro:

CÓDIGO NOME VALOR VAR
BRFS3 BRF ON R$ 13,96 -3,79%
GETT11 Getnet units R$ 3,36 -3,72%
GGBR4 Gerdau PN R$ 27,41 -3,04%
GOAU4 Metalúrgica Gerdau PN R$ 11,10 -2,97%
CSNA3 CSN ON R$ 21,37 -2,91%
TIM (TIMS3) LIDERA ALTAS

Nesta manhã (25), a Tim (TIMS3) detalhou para analistas quais serão as sinergias da companhia com os ativos recém-adquiridos da Oi Móvel. Segundo o presidente da companhia, as sinergias devem ser de R$ 16 bilhões, o dobro estimado pela Anatel. Confira os detalhes nesta matéria. 

O otimismo do mercado se reflete nas cotações: a companhia de telecomunicações lidera as altas do Ibovespa em dia de forte aversão ao risco.

Na sequência, a Eletrobras (ELET6) sobe após anúncio de pagamento de dividendos. Confira:

CÓDIGO NOME VALOR VAR
TIMS3 Tim ON R$ 13,97 3,10%
CMIG4 Cemig PN R$ 14,91 1,91%
ELET6 Eletrobras PNB R$ 39,73 1,71%
EQTL3 Equatorial ON R$ 25,42 0,95%
ELET3 Eletrobras ON R$ 39,74 0,92%

A política de tolerância zero da China contra a covid-19 segue causando preocupação. Cresce o número de óbitos e infectados nas principais cidades do país, aumentando os temores de que novos lockdowns sejam anunciados.

A medida é um ponto de preocupação para o mercado financeiro global. A interrupção da atividade em áreas de forte concentração industrial pode deteriorar ainda mais as cadeias logísticas e de produção, pressionando a inflação. Além disso, a redução da atividade da segunda maior economia do mundo é sinônimo de um menor consumo de commodities – como minério de ferro e petróleo – o que faz com que os preços despenquem.

Com forte exposição ao setor, o Ibovespa não escapa de uma correção mais forte. O minério de ferro recuou cerca de 10% durante a madrugada e o petróleo recua mais de 5%.

Com o temor que uma nova desaceleração global coincida com o aperto mais rápido da política monetária, as bolsas americanas recuam 1%. Balanços corporativos também decepcionaram, aumentando a cautela dos investidores em Wall Street.

No Brasil, ainda existem outros fatores locais que não ajudam a aliviar o humor, como o possível reajuste para diversas classes do funcionalismo público e a última polêmica envolvendo o presidente Jair Bolsonaro e o STF.

Por volta das 10h30, o principal índice da bolsa recuava 1,22%, aos 109.607 pontos. O dólar à vista sobe 1,34%, a R$ 4,8696.

O Ibovespa encerrou os leilões de abertura em queda de 1,24%, aos 109.695 pontos, enquanto o dólar à vista avançava 0,38%, negociado a R$ 4,8295.

RISCO DE RECESSÃO CHINESA?

Os sinais de que a segunda maior economia do mundo está desacelerando injetaram cautela nas bolsas nesta segunda-feira (25).

Segundo dados do Escritório Nacional de Estatística do país (NBS, na sigla em inglês), a produção industrial subiu 5,0%, dentro das estimativas do The Wall Street Journal.

Entretanto, os números de vendas no varejo sentiu um recuo de 3,5% em março, maior do que as projeções de queda de 2,0%.

O desemprego chinês também atingiu o maior patamar em quase dois anos, a 5,8%. Por fim, os investimentos em ativos avançaram 9,3% no primeiro trimestre, acima do ritmo de 8,5% esperado pelos analistas, mas o movimento de desaceleração nos primeiros meses do ano ligou o sinal amarelo para os investidores.

Sinais de que a China estaria perdendo fôlego ecoam pelo mundo e se refletem principalmente nas matérias primas. A perspectiva de uma demanda menor do país culminou na queda das cotações do minério de ferro em Dalian, enquanto a principal commoditie energética do mundo — o petróleo — também segue no vermelho.

  • Petróleo Brent: US$ 101,62 (-4,30%)
  • Minério de ferro (Dalian, China): US$ 121,36 (-10,7%)

O responsável por esse cenário é o surto de covid-19 no país, que impôs diversos lockdowns em grandes cidades — como a própria Xangai, com mais de 26 milhões de habitantes — foi um dos centros afetados.

A política de “covid zero” impõe que regiões afetadas pela doença permaneçam isoladas, o tem gerado efeitos significativos na economia do país.

Em Pequim, a capital chinesa, foram registrados 22 novos casos de covid-19 no domingo (24), o maior número deste ano.

Já em Xangai, ocorreram 39 mortes pela doença no sábado (23), número mais de três vezes maior do que o dia anterior.

IBOVESPA FUTURO EM QUEDA

Ibovespa futuro abre em queda de 1,47%, aos 111,255 pontos, enquanto o dólar à vista sobe 0,90%, negociado a R$ 4,8540

BOLSAS NO EXTERIOR: CHINA É O FOCO DO DIA

As primeiras horas do dia sinalizam momentos difíceis antes da abertura de mercados por aqui. O destaque vai para a forte queda das bolsas da Ásia, com destaque para o derretimento de Xangai.

  • Xangai: -5,13% (fechado)
  • Euro Stoxx 50: 1,75%
  • Dow Jones futuro: -0,63%
  • S&P 500 futuro: -0,75%
  • Nasdaq futuro: -0,75%

As commodities também permanecem no campo negativo antes da abertura do Ibovespa por aqui. Com a perspectiva de novos lockdowns em grandes cidades chinesas, o minério de ferro derretou mais de 10% na madrugada no Brasil.

Por sua vez, o petróleo segue em queda com a perspectiva de redução da demanda chinesa.

  • Petróleo Brent: US$ 100,84 (-4,98%)
  • Minério de ferro (Dalian, China): US$ 121,36 (-10,7%)
SEGREDOS DA BOLSA: PREPARE-SE PARA A SEMANA

A última semana de abril começou ruim para boa parte dos mercados internacionais. A começar pela bolsa de Xangai, que derreteu 5,1% nesta madrugada, a maior queda desde 2020, o sentimento geral é de medo e cautela nesta segunda-feira (25).

Na esteira dos acontecimentos, além da guerra na Ucrânia pressionar os mercados desde fevereiro, as preocupações com a nova onda de covid-19 na China começam a preocupar e afetar as projeções para retomada da economia.

Somado a isso, a alta de juros dos Estados Unidos, que derrubou Wall Street na semana passada, também comprometeu o sentimento dos investidores hoje.

Do mesmo modo, as bolsas na Europa amanheceram no vermelho pelos mesmos motivos. Havia alguma expectativa de que a vitória de Emmanuel Macron para presidência da França trouxesse algum alívio, mas os investidores não tiveram tempo de comemorar.

Por último, a semana das bolsas em Nova York também não começou com o pé direito. A casa do Touro de Ouro de Wall Street acompanha a divulgação de resultados das big techs e da inflação americana nos próximos dias.

Na semana passada, o principal índice acionário da B3 terminou o dia em 11.077 pontos, menor nível desde 16 de março; o tombo chegou a 4,39% naquele período. Já o dólar à vista subiu 4%, cotado em R$ 4,8051.

Confira o que será destaque para as bolsas, o dólar e o Ibovespa nesta semana.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

DE VOLTA DAS CINZAS

Nova esperança da Terra (LUNA)? Criador do projeto tenta salvar criptomoeda que desapareceu com proposta de atualização; é o suficiente?

O relançamento da Terra inclui distribuição gratuita de novas criptomoedas para alguns investidores; saiba se você pode receber

concorrência no varejo

Magalu ameaçada? Dona da rival Shopee tem salto na receita e lidera aplicativos baixados no Brasil

Papéis da controladora da Shopee subiram 14% na bolsa de Nova York (Nyse) ontem (18) e fecharam o pregão valendo US$ 80,14

EM TEMPO REAL

TCU retoma julgamento da privatização da Eletrobras (ELET3) hoje; acompanhe ao vivo

O governo está otimista com a perspectiva de que o processo seja aprovado pelo tribunal

DE ROUPA NOVA

Com foco em criptomoedas e NFTs, Zuckerberg muda o nome do Facebook Pay para Meta Pay; entenda as alterações

Novo passo em direção ao metaverso inclui na plataforma de pagamentos e negociações usada no WhatsApp as funções de empréstimos e investimentos em ativos digitais

NA SAÚDE E NA DOENÇA

Parceria bilionária entre Dasa (DASA3) e Inspirali, da Ânima (ANIM3), sai do papel com foco em formação médica; confira detalhes do projeto

Iniciativa deve beneficiar os mais de 10 mil estudantes de Medicina da Inspirali assim como os médicos que fazem parte das mais de 900 unidades de medicina diagnóstica e hospitais da Dasa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies