🔴 +35 RECOMENDAÇÕES DE ONDE INVESTIR EM MARÇO – VEJA GRATUITAMENTE

Cotações por TradingView
Camille Lima
Camille Lima
Repórter no Seu Dinheiro. Estudante de Jornalismo na Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS). Já passou pela redação do TradeMap.
DE VOLTA AO VERMELHO

IRB Brasil (IRBR3) volta a registrar prejuízo em fevereiro; ações reagem em queda na B3

Apesar do prejuízo, o grupo de resseguros acumula um lucro líquido de R$ 63,2 milhões no primeiro bimestre de 2022, alta de cerca de 62% na comparação anual

Camille Lima
Camille Lima
25 de abril de 2022
14:45 - atualizado às 17:42
Imagem de um celular com o logo do IRB (IRBR3) sendo exibido na tela | Ibovespa
Imagem de um celular com o logo do IRB (IRBR3) exibido na tela - Imagem: Shutterstock

A alegria do IRB Brasil (IRBR3) durou pouco. Depois de amargar centenas de milhões em prejuízo no ano passado e voltar a reportar lucro em janeiro de 2022, o grupo de resseguros voltou a fechar no vermelho em fevereiro. O resultado negativo foi de R$ 50,9 milhões, de acordo com relatório enviado à Susep, órgão regulador do setor.

Com o resultado, o IRB reverteu o lucro de R$ 20,8 milhões que havia registrado no mesmo mês de 2021.

Apesar do prejuízo, o IRB acumulou lucro líquido de R$ 63,2 milhões no primeiro bimestre de 2022, uma alta de 62% em relação aos R$ 38,8 milhões do mesmo período do ano passado.

As ações do IRB Brasil operaram em baixa nesta segunda-feira (25). Os papéis IRBR3 recuaram 1,72%, negociados a R$ 2,86. Os papéis acumulam desvalorização da ordem de 27% em 2022.

Prêmio do IRB Brasil (IRBR3) em queda em fevereiro

Os dados operacionais do IRB (IRBR3) também registraram piora em fevereiro. O grupo teve uma queda de 9,5% nos prêmios (receitas) na base anual, para R$ 478,5 milhões.

Os prêmios no Brasil avançaram 30,6%, para R$ 334,1 milhões, enquanto as receitas no exterior recuaram 47%, para R$ 144,4 milhões. De acordo com a companhia, a redução no exterior está alinhada à estratégia de foco no mercado doméstico.

No bimestre, o dado reportou crescimento de 11,9% frente a janeiro e fevereiro de 2021, alcançando o montante de R$ 1.502 milhões.

Desse total, R$ 945,7 milhões foram de prêmios do IRB no Brasil, que subiram 31,4% na mesma base, e R$ 556,3 milhões no exterior, o que representa uma baixa de 10,6%.

Despesas com sinistros

Já no quesito despesas com sinistros, o IRB Brasil (IRBR3) mostrou queda de 50,2% em relação a fevereiro de 2021, somando R$ 188,9 milhões.

Assim, o índice de sinistralidade ficou em 81% em fevereiro deste ano, avanço de 10,3 pontos percentuais em comparação com o mesmo mês do ano anterior.

No primeiro bimestre de 2022, a despesa com sinistro chegou a R$ 482,8 milhões, baixa de 27,9% na base anual.

Dessa forma, o índice de sinistralidade foi de 72,8% nos dois primeiros meses do ano, o índice de sinistralidade foi de 72,8%, alta de 2,2 pontos percentuais no comparativo ano a ano.

Como tudo isso chegou ao mercado

Segundo Waldir Morgado, sócio da Nexgen Capital, os números mostram uma mudança no foco do IRB, que está concentrando seus esforços no mercado doméstico, o que fica evidente quando se observa a queda nos prêmios fora do país.

Mesmo assim, a avaliação é de que o papel deve ser visto com cautela, já que está sendo negociado perto das mínimas históricas e a empresa registra prejuízos de maneira recorrente. 

Também joga contra a ação, a acusação que recai sobre o ex-CFO do IRB de disseminar notícias falsas sobre investimentos na companhia.

O gestor ainda ressalta que “não temos posições deste papel, neste momento, na nossa carteira”.

Leia também:

Compartilhe

FINANCIAMENTO DE IMÓVEIS

Crédito imobiliário: Caixa vê cenário complexo para captação em 2025 — mas mudança nas regras de emissões das LCIs pode ajudar

3 de março de 2024 - 13:07

O presidente da Caixa, Carlos Vieira, afirmou que o banco está com a captação assegurada para cumprir o orçamento de crédito em 2024

PROCESSO DE SUCESSÃO

A “mão” de Lula? Acionista da Vale (VALE3) quer que mineradora publique ata de reunião que expôs racha sobre quem deve comandar companhia

2 de março de 2024 - 20:01

A Previ pede que a ata “seja tornada pública para todos os acionistas, de forma não sumarizada, em benefício da transparência do processo”

SETOR FINANCEIRO

Cinco maiores bancões do Brasil lucram R$ 107,5 bilhões em 2023 — e presidentes das empresas revelam o que esperar neste ano

2 de março de 2024 - 18:07

O melhor desempenho desses três bancos no ano passado compensou a retração nos números de Bradesco e Santander Brasil

PARCEIRA DA NVIDIA

Como essa ação ligada a inteligência artificial disparou 800% em um ano e conquistou lugar no S&P 500

2 de março de 2024 - 17:01

O papel será adicionado ao S&P 500 antes do início das negociações de 18 de março, substituindo a Whirlpool na carteira do índice

MERCADO DE CAPITAIS

Vem IPO no conglomerado da Cosan (CSAN3)? Ometto planeja abrir capital de “joias esquecidas” do grupo, diz jornal

2 de março de 2024 - 15:40

Segundo O Globo, o presidente da companhia aguarda uma janela de mercado favorável para abrir o capital da Compass — e planeja IPO da Moove no exterior; entenda

IMPASSE ENTRE SÓCIOS

Troca de comando na Vale (VALE3)? Aqui está tudo o que você precisa saber sobre a sucessão de CEO da mineradora até agora

2 de março de 2024 - 12:30

O mandato do atual CEO, Eduardo Bartolomeo, está cada vez mais próximo do fim — e a definição da sucessão do presidente é uma das pendências da mineradora

DUELO DE TITÃS NA BOLSA

Depois das Sete Magníficas, vem aí as “Super Sete”: por que o Citi aposta que as ações da Europa têm mais potencial que as americanas

2 de março de 2024 - 9:03

O banco fez uma avaliação baseada em retorno, múltiplos e preço e concluiu que as ações do Velho Continente podem render bons frutos para quem apostar nelas agora

NO BOLSO DO ACIONISTA

Copel (CPLE6) pode pagar dividendos extraordinários aos acionistas em 2024, mas com uma condição, diz CEO

1 de março de 2024 - 16:25

Para Daniel Slaviero, o ano de 2025 servirá para “extrair bastante valor da operação integrada e ganhar escala nos negócios que tenham bom retorno de capital”

BRIGA DE GIGANTES

Por que Elon Musk está processando a OpenIA, a ‘joia da coroa’ do mercado de inteligência artificial que ele ajudou a fundar?

1 de março de 2024 - 11:17

Musk foi um dos co-fundadores da OpenIA, lá em 2015, porém deixou o conselho da companhia em 2018

REPERFILAMENTO

Casas Bahia (BHIA3) negocia com bancos e consegue mais prazo para pagar R$ 1,5 bilhão em dívidas

29 de fevereiro de 2024 - 19:34

O acordo ainda precisa do sinal verde dos credores, mas, se aprovado, estenderá o vencimento de 69% do endividamento da companhia

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies