Menu
2021-01-29T13:57:34-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Não tem mais desculpa

As opções conservadoras para ganhar mais de 100% do CDI com liquidez diária

Com a Selic tão baixa, algumas instituições financeiras de médio porte passaram a oferecer investimentos de renda fixa conservadora que pagam mais de 100% do CDI com liquidez diária; saiba onde encontrá-los

28 de janeiro de 2021
5:30 - atualizado às 13:57
Retorno
Imagem: Shutterstock

A queda da Selic para as suas mínimas históricas tornou difícil ganhar dinheiro com as aplicações financeiras mais conservadoras do mercado: os investimentos de renda fixa cuja remuneração é atrelada à Selic ou ao CDI, também chamados de pós-fixados.

É fato que essa situação acaba empurrando o investidor para opções com mais risco, desde os títulos de renda fixa prefixados ou atrelados à inflação, até as ações, passando pelos títulos de crédito privado e fundos imobiliários.

Mas também é fato que uma parte da nossa carteira precisa ficar alocada em ativos conservadores e atrelados à taxa básica de juros. Nós precisamos, no mínimo, manter uma reserva de emergência; mas também pode ser interessante manter uma reserva a mais, para aquele dinheiro que só será alocado quando surgirem boas oportunidades.

Além disso, a baixa rentabilidade da renda fixa mais conservadora prejudica sobretudo os poupadores e investidores iniciantes.

Afinal, para quem está dando os primeiros passos no mundo dos investimentos, sobretudo quem ainda não tem muitos recursos, as aplicações pós-fixadas serão, por algum tempo, as únicas da carteira.

Aqui no Seu Dinheiro, a gente já falou um bocado sobre os investimentos ideais para a sua reserva de emergência, aquela que não suporta qualquer tipo de volatilidade ou risco de crédito e exige liquidez diária.

Se você nos acompanha há algum tempo, já deve estar careca de saber que os investimentos que melhor combinam essas características com um retorno superior ao da poupança são o Tesouro Selic e os fundos Tesouro Selic de taxa zero.

Mas um episódio ocorrido no mercado de juros no ano passado, que fez o Tesouro Selic dar retornos negativos em alguns momentos, levou ao questionamento se talvez diversificar um pouco a reserva de emergência por outras aplicações de baixo risco não seria interessante.

Os CDBs de grandes bancos que pagam no mínimo 100% do CDI, com liquidez diária, surgem como as melhores alternativas, mas nem todos os investidores têm acesso a esse tipo de produto, em geral reservado a quem tem mais grana.

Os CDBs mais acessíveis dos bancões em geral pagam menos de 100% do CDI e chegam a perder da poupança. Se 100% do CDI já é pouco hoje - algo como 1,9% ao ano - menos que isso é uma miséria.

Nas instituições financeiras de médio porte, porém, é bem mais fácil encontrar opções de renda fixa que paguem 100% do CDI ou mais com risco bastante reduzido - ou os recursos do investidor ficam alocados em Tesouro Selic ou num título com proteção do Fundo Garantidor de Créditos (FGC) para aplicações de até R$ 250 mil por CPF.

O problema é que essas aplicações geralmente não têm a tal da liquidez diária - esta costuma estar presente apenas quando a remuneração é de 100% do CDI, e nada mais. Além disso, apesar das garantias, o risco de quebra da instituição financeira é maior, e o ressarcimento dos investidores, quando isso acontece, não é imediato.

Porém, nos investimentos com liquidez diária até dá para deixar uma parte pequena da sua reserva de emergência, ou mesmo aquele seu caixa para aproveitar boas oportunidades futuras.

A boa notícia é que, hoje, com os juros no chão, diversas instituições financeiras de médio porte começaram a oferecer títulos de renda fixa cobertos pelo FGC que pagam até mais do que 100% do CDI com liquidez diária. Aí a coisa começa a ficar mais interessante, pois a possibilidade de resgatar a qualquer momento é um risco a menos.

Esse tipo de investimento ainda não é tão comum, mas já está presente em instituições financeiras bastante conhecidas e próximas do pequeno investidor. Os valores exigidos para aplicar também são baixos, o que aumenta ainda mais a atratividade e facilita, para o investidor, diversificar as aplicações.

Com a ferramenta de busca da plataforma Yubb, eu levantei os investimentos de renda fixa disponíveis no mercado hoje que pagam mais de 100% do CDI com liquidez diária para diferentes valores de aporte inicial.

Em seguida, eu selecionei aquelas emitidas por instituições de solidez no mínimo razoável. As estimativas de rentabilidade entre parênteses, informadas pelo próprio Yubb, foram calculadas com base na estimativa para o CDI em um ano, de 3,45% (DI futuro). Confira:

R$ 100

  • CDB Sofisa Direto 112% do CDI (3,83% ao ano)
  • CDB Sofisa Direto 110% do CDI (3,77% ao ano)
  • CDB Banco RCI Brasil 112% do CDI (3,83% ao ano)
  • CDB BTG Pactual Digital 104% do CDI (3,56% ao ano)
  • CDB BTG Pactual Digital 103% do CDI (3,53% ao ano)

R$ 500

  • CDB Daycoval 106% do CDI (3,63% ao ano)
  • CDB Paraná Banco 105% do CDI (3,59% ao ano)
  • CDB Pine Online 103,5% do CDI (3,54% ao ano)

R$ 1.000

  • LCI Daycoval 110% do CDI (3,77% ao ano líquido)
  • CDB Daycoval 103% do CDI (3,53% ao ano)
  • CDB BMG Invest 130% do CDI (4,45% ao ano)
  • CDB bs2 102% do CDI (3,49% ao ano) - na corretora Ativa Investimentos
  • CDB bs2 101% do CDI (3,46%ao ano) - na corretora Guide Investimentos
  • CDB ABC Brasil 101% do CDI (3,46%ao ano)

R$ 5 mil

  • LC BRK Financeira 121% do CDI (4,14% ao ano) - na corretora Nova Futura Investimentos

R$ 10 mil

  • CDB Daycoval 110% do CDI (3,77% ao ano)
  • CDB bs2 105% do CDI (3,59% ao ano) - na corretora Easynvest
  • CDB b2S 102% do CDI (3,49% ao ano) - na corretora Nova Futura Investimentos
  • CDB BR Partners 102% do CDI (3,49% ao ano) - na corretora Easynvest

Como você pôde ver, a maioria desses investimentos são CDBs. Há apenas uma LC (Letra de Câmbio, uma espécie de CDB das financeiras) e uma LCI, título isento de imposto de renda.

Neste caso, por sinal, a rentabilidade chama a atenção, pois o investidor realmente embolsa 110% do CDI, enquanto nas demais aplicações ainda há cobrança de imposto de renda de acordo com o prazo de investimento.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Primeiro passo

Os documentos que você deve reunir para declarar o imposto de renda 2021

Reunir a documentação que te auxilia no preenchimento da declaração é o primeiro passo. Empresas tiveram até a última sexta (28) para entregar os informes de rendimentos.

FECHAMENTO

Ibovespa reage na reta final e sobe mais de 1% com novidades sobre PEC Emergencial; dólar também sobe refletindo cautela

A bolsa chegou a cair mais de 2%, enquanto o Banco Central precisou injetar mais de US$ 2 bilhões para tentar segurar o câmbio

Chama o Max

Devo comprar ações da Jereissati para surfar na retomada da economia? Confira a análise

Como investidor, você pode tirar proveito da retomada da economia através dos papéis de uma das mais promissoras microcaps nacionais.

Fundos de investimento

Ney Miyamoto deixa equipe de gestão da Alaska

Fundador e um dos executivos mais experientes da equipe da Alaska, Miyamoto permanece como sócio e investidor dos fundos da casa

Vai pedir música no Fantástico

CVM abre terceiro processo administrativo desde início da crise na Petrobras

O sistema da CVM não indica a apuração de eventuais operações atípicas com papéis da petroleira no período recente.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies