Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2021-03-18T19:22:17-03:00
Ivan Ryngelblum
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
vai demorar

Pandemia continuará afetando a Gol no 1º tri, após provocar prejuízo de R$ 6 bilhões em 2020

Nova onda de contaminações leva companhia aérea a reduzir capacidade planejada para o primeiro trimestre em 7% e estimar consumo de caixa diário em R$ 3 milhões

18 de março de 2021
10:19 - atualizado às 19:22
Avião da Gol
Imagem: Dilvugação

A pandemia de covid-19 não deve deixar a Gol (GOLL4) em paz tão cedo. Depois do estrago provocado nos resultados de 2020, o novo coronavírus deve continuar afetando as atividades neste começo de ano, temporariamente paralisando a recuperação sequencial vista a partir do segundo semestre.

A companhia aérea piorou as expectativas para indicadores operacionais e financeiros no primeiro trimestre, depois de encerrar o ano passado com um prejuízo de R$ 6 bilhões – excluindo itens não recorrentes, a perda foi de R$ 2,3 bilhões.

Ela estima agora que a receita operacional líquida deve fechar os primeiros três meses de 2021 em R$ 1,7 bilhão, abaixo dos R$ 2,4 bilhões que estimava anteriormente e dos R$ 1,9 bilhão registrados no quarto trimestre de 2020.

A Gol já tinha informado que o primeiro trimestre seria um período difícil por conta da covid-19 e do período de baixa temporada. Em fevereiro, ela registrou uma queda de 15% na busca por passagens aéreas, na comparação com janeiro, resultando numa diminuição de 28% no volume de vendas durante o mês.

A projeção para a oferta de voos para o trimestre foi reduzida em 24% ante a estimativa inicial, com a média das rotas domésticas atendidas caindo de 167 para 159. A capacidade planejada para o primeiro trimestre da Gol representa redução de 7% sobre quarto trimestre de 2020.

Os indicadores financeiros também foram revisados para baixo. Depois de fechar o quarto trimestre com R$ 2,6 bilhões em liquidez total, a Gol estima agora que este montante cairá para R$ 1,9 bilhão no primeiro trimestre. Anteriormente, ela estimava que a liquidez recuaria levemente, para R$ 2,5 bilhões.

E de uma geração de caixa diária de R$ 3 milhões no quarto trimestre, a projeção agora é de um consumo de R$ 3 milhões.

A dívida líquida também deve piorar entre o quarto trimestre de 2020 e os primeiros três meses de 2021, de R$ 13 bilhões para R$ 14,3 bilhões, com a alavancagem financeira medida pela relação entre a dívida líquida e o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado passando de 5,3 vezes para 17 vezes.

Ano de ajustes

Assim como outras companhias ligadas a transportes e turismo, a Gol sofreu com as restrições impostas pelas autoridades para combater a disseminação da covid-19.

Ela foi obrigada a praticamente paralisar suas atividades, resultando em quedas expressivas de receita, levando muita gente a especular se ela e outras companhias aéreas seriam capazes de sobreviver à pandemia.

No fim, ela e seus pares conseguiram atravessar 2020 entre trancos e barrancos. A demonstração de resultado divulgada nesta quinta-feira mostra que a Gol reduziu seus custos e despesas operacionais em 37,6%, além de ter aplicado medidas para manutenção de liquidez.

Mas isso não foi capaz de compensar o recuo de 54% da receita operacional líquida, para R$ 6,3 bilhões, nem o aumento de 179% das despesas financeiras líquidas, para R$ 4,8 bilhões.

O Ebitda acabou caindo 75,2%, para R$ 1,1 bilhão. Em termos ajustados, ele recuou 43,5%, para R$ 2,4 bilhões.

Retomada no quarto trimestre

A situação da Gol começou a dar sinais de melhora no segundo semestre, quando a pandemia deu uma leve arrefecida e as pessoas começaram a se sentir um pouco mais seguras para viajar.

Os números melhoraram nas passagens dos trimestres, mas quando se compara em relação ao terceiro e ao quarto trimestres de 2019, o que se vê é uma empresa com um desempenho muito aquém de sua capacidade.

Nos últimos três meses de 2020, a receita operacional líquida somou R$ 1,9 bilhão, queda de 50,3% em base anual, mas um crescimento de 94% ante o terceiro trimestre.

A demanda por viagens caiu 42% na comparação com o quarto trimestre de 2019, mas dobrou ante o terceiro trimestre. O mesmo ocorreu com a oferta de voos – diminuição de 42% em base anual e aumento de 93% na comparação trimestral.

A Gol registrou no quarto trimestre um lucro líquido de R$ 17 milhões, queda de 95,2% em relação ao mesmo período de 2019. Mas quando são desconsiderados itens não recorrentes, ela encerrou com prejuízo de R$ 862 milhões, revertendo lucro.

O Ebitda caiu 91%, para R$ 133 milhões, enquanto em termos ajustados ele recuou 62%, para R$ 558,5 milhões.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

efeito pandemia

Sem peças importadas, indústria busca produção local, mas esbarra em custo

Escassez de produtos como máscaras e respiradores, que marcou o início da pandemia, depois se estendeu a semicondutores, insumos e autopeças e se agravou com o aumento dos preços

é possível, sim

O segredo para ser feliz no trabalho, segundo esta especialista

Beverly Jones, autora do “Find Your Happy at Work”, arriscou algumas respostas em entrevista recente e falou sobre desconforto, networking e tédio; veja abaixo

em família

Sobrinho-neto do bilionário Warren Buffett supera Berkshire Hathaway no ano

Ações da Boston Omaha, holding de capital aberto co-liderada pelo sobrinho-neto do bilionário, Alex Buffett Rozek, estão batendo os papéis da Berkshire Hathaway

novo serviço

Grupo pão de Açúcar vai fazer entrega para lojistas de seu marketplace

No próximo ano, a companhia passará a oferecer a possibilidade de que os lojistas virtuais armazenem produtos nos centros de distribuição do GPA

inovação

Varejo online agora quer conquistar a fronteira da venda de produto fresco

A partir do mês que vem, começa a funcionar no País uma startup mexicana de tecnologia do setor de supermercados que vai explorar exatamente esse filão

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies